sábado, 31 de dezembro de 2016


  Que para o novo ano possamos levar todas as experiências que adquirimos no decorrer deste.

  Que, juntos, possamos nos congratular e comemorar a vitória de mais uma ano sobre o tempo, além de todas as vitórias que tivemos no decorrer do ano, comemorar o fato de termos terminado mais um ano com vida.

  Que guardemos as boas lembranças que nos acalentam o coração e deixemos por aqui todas as frustrações, decepções e rancores.

  Que aprendamos a perdoar e a pedir perdão, que sejamos tolerantes e empatas o suficiente para não julgar, mas aconselhar, não desprezar, mas acolher.

  Que antes de querer um ano melhor para nós, nos empenhemos em torná-lo melhor para aqueles que nos cercam.

  Que além de não desperdiçar oportunidades, saibamos criá-las.

  Que nos empenhemos pela mudança do mundo, mudando a nós mesmos para que então possamos mudar o mundo dos outros, e sempre para melhor.

  Que valorizemos as amizades e a família, que valorizemos a nós mesmos.

  Vamos fazer de 2017 o melhor ano que já tivemos, e que saiamos vitoriosos de todas as batalhas nas quais a vida nos jogar.

  Que 2017 seja um ano desafiador, no qual possamos desabrochar como pessoas e nos tornar mais fortes, de preferência sem nenhuma perda significativa.

  Que tudo que nos atrasa fique por aqui e pensamentos novos e edificantes nos aguardem logo ali, depois da meia-noite.

    Façamos todos de 2017 um ano feliz para aqueles que nos cercam, e consequentemente, para nós mesmos!!


sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Metas Literárias para 2017

  Sim, isso é um retorno ^^


  Não sou muito, nada bom, na verdade, em cumprir metas, mas quero mudar isso, então vamos tentar ;)
  Esse ano minha meta eram 50 livros (na verdade 70, mas no meio do ano diminuí) e consegui alcançar, mas entre minhas metas estava também, finalmente ler Gabriel García Marques, 1984, Admirável Mundo novo, Farenheit 451 e a trilogia 1Q84, e não li nenhum desses.
  Enfim, em 2017 quero ler, pelo menos 50 livros, novamente, quero terminar algumas séries:
  A primeira, como muitos devem saber, é A Torre Negra, até porque sai filme ano que vem e quero já ter terminado antes de assistir, o que significa que não vou ver no cinema, pois sei que ainda vou demorar bastante para ler o que falta.
  Outra série que quero terminar ano que vem é a Deixados Para Trás, estou conseguindo os livros por meio de troca no Skoob, já que é muito difícil encontrá-los para comprar, só li o primeiro no final desse ano, mas já consegui outros volumes da série e pretendo concluí-la logo.

  Aprovei uma promoção da Amazon e comprei os e-books de 2 a 7 da serie dos Legados de Lorien, já estou lendo o segundo e pretendo ler o restante no decorrer de 2017.

  Quero criar coragem pra ler a trilogia Mundo de Tinta, comecei a ler o primeiro livro mas não dei continuidade, em 2017, quero ler, pelo menos, o primeiro.

  Outra coisa que quero fazer no próximo ano é usar minhas próprias fotos para ilustrar o blog... além de mudar o nome dele, estudando possibilidades.

12 Livros para 2017

  Resolvi separar 1 livro para cada mês no ano que vem, assim como fez a Tati Feltrin, e minha lista ficou assim:






   Janeiro será o mês que finalmente lerei Cem Anos de Solidão, é um livro mais denso, pelo que sei e como Janeiro é um Mês mais tranquilo acho que consigo.


















  Fevereiro vou tirar o pó de O Lobo de Wall Street, comprei esse quase calhamaço em janeiro do ano que saiu o filme, isso deve fazer uns dois ou três anos, já nem lembro, e nada de ler.


















    Março, mês das minhas férias, bastante tempo livre, vou finalmente ler Os Pilares da Terra, esse livro eu comprei antes de começar a trabalhar no meu atual serviço, e já estou lá a mais de três anos :x















  
  Abril vou, finalmente terminar Precisamos Falar Sobre o Kevin, passei muitos anos querendo ler esse livro, e finalmente consegui minha edição, com essa capa, esse ano, comecei a ler, e fui pego de surpresa ao descobrir que se trata de um romance epistolar, não morro de amores por esse tipo de narrativa, mas vamos lê-lo.















  Maio será o mês de Corajosos, a novelização do filme que nunca assisti. comprei o livro a mais de ano porque estava baratinho e nem tirei do plástico até hoje.


















  Em Junho farei as pazes (espero, pelo menos) com Carlos Ruiz Zafón lendo A Sombra do Vento. E espero realmente gostar, já que me decepcionei com o último livro que li do autor.

















 Em Julho vamos, finalmente, desencalhar Deus Não Abandona, o livro mais antigo da minha coleção que ainda não li.



















   Em Agosto retomaremos Golem e o Gênio, comecei ele nesse fim de ano mas resolvi esperar mais um tempo para lê-lo.

















   Setembro será outro mês de  reencontro, esse ano não li nada do Sidney Sheldon, ano que vem vou ler, pelo menos A Ira Dos Anjos, que já deve fazer uns dois anos que comprei e só peguei na mão para limpar a estante.
















   
  Outubro, mês do meu aniversário, vou ler Memórias de Uma Gueixa, outro livro que quis por muito tempo e quando finalmente o ganhei, larguei na estante e não li.




















   Em novembro mais um reencontro emocionante, quero tentar ler, pelo menos, um livro da Jodi Picoult  por ano, e em 2017 será Um Mundo À Parte.
















   Em dezembro vamos desencalhar Doze Anos de Escravidão que comprei junto com O Lobo de Wall Street e está tão estacionado quanto ele.













   Em 2017 também quero comprar menos livros do que esse ano, que realmente exagerei, e quero me tornar assinante da TAG \o/

  E é isso povo, quais são as metas de vocês para o ano vindouro? 
  Grande abraço a todos!


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

[Opinião] Um Brinde de Cianureto - Agatha Christie

Editora: L&PM Pocket

N° de Páginas: 253

Quote:
Por que as mulheres não tinham a decência de deixar as coisas em paz? Um homem não quer ser lembrado continuamente das asneiras que já cometeu."

Sinopse:
  O luxuoso restaurante Luxembourg é o lugar escolhido para comemorar o aniversário da linda e elegante Rosemary Barton. Entre os seis convidados, encontram-se pessoas próximas, mas que não necessariamente querem o seu bem. Mesmo assim, ninguém poderia prever o desfecho da noite: Rosemary morre subitamente após ingerir uma taça de champagne com cianureto. Tudo indica que foi um suicídio... Em um inusitado jogo literário, a rainha do suspense dá a ada um dos personagens a chance de contar sua versão daquele dia, levantando suspeitas que podem colocar em xeque a razão da morte de Rosemary.

Opinião:

  Nota mental, nunca mais esperar cinco meses para escrever minha opinião sobre um livro.
  Enfim, como pode ter ficado claro com o lembrete para mim mesmo acima, o livro não foi tão impactante para ficar gravado na memória e sobreviver às influências dos que foram lidos posteriormente. Mas eu gostei dele, logo que finalizei a leitura lembro de ter achado ele o melhor que já tinha lido da autora, mas não é bem assim, gostei muito, sim, mas ainda prefiro Um Corpo na Biblioteca e até O Cavalo Amarelo, que com toda certeza foi o que mais me marou.
  Mas estamos aqui para falar desse livro, aqui conhecemos uma família abastada, pelo menos alguns membros dela, um jovem oportunista e detestável, uma senhora ingênua ao ponto de ser burra e um senhor apaixonado, além de uma irmã sem grande importância.
  Esse livro me lembrou bastante Assassinato no Expresso do Oriente, no sentido de que não há muita, quase nenhuma, na verdade, ação. Ele foca nas batalhas internas, psicológicas, intelectuais e até sentimentais dos personagens. Mas diferente desse, daquele eu não gostei.
  Rosemary Barton é uma jovem amada por muitos (apesar de não ter me cativado tanto) que logo após um brinde com a família em um restaurante fino, cai morta. Depois de constatada a morte por envenenamento várias hipóteses são levantadas, entre suicídio e assassinato, muito tempo se passa com o viúvo planejando uma arapuca, e quando enfim a armadilha está pronta... vocês vão precisar ler o livro pra se estupefarem como aconteceu comigo.
  O livro nos apresenta situações extremas, mas que podem ser vistas ainda hoje, a desonestidade e picaretagem do parente distante:
"Eu me divirto. Sim, eu me divirto imensamente. Já vivi uma boa vida, Ruth, e já fiz de quase tudo. Fui ator, lojista, garçom, biscateiro, carregador e contrarregra em um circo! Já viajei como grumete em um cargueiro a vapor. Já concorri a presidente em uma república sul-americana. E já estive na prisão!Há só duas coisas que eu nunca fiz na vida: um dia de trabalho honesto e pagar minhas próprias contas."
   Um livro que, além do mistério envolvente (não suuuuuuuuuuuuuper envolvente, mas envolvente ainda assim) traz situações e personagens que nos fazem refletir sobre nosso comportamento, rever nossas ações e corrigir alguns desvios de caráter.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...