quinta-feira, 27 de março de 2014

[Opinião] O Guardião do Tempo - Mitch Albom

Editora: Arqueiro
N° de Páginas: 235
Citações:
"O ser humano raras vezes conhece o seu poder"49
"Nunca é tarde demais nem cedo demais. É quando deve ser."84
"É quando estamos mais sozinhos que abraçamos a solidão alheia."199
"Tempo não é coisa que se devolva. O momento imediatamente seguinte pode ser a resposta a suas orações. Negar isso é negar a parte mais importante do futuro."207
"Com o tempo infinito, nada é especial. Sem perda nem sacrifício, não podemos apreciar o que temos."218
"Há uma razão para Deus limitar nossos dias [...] É para tornar cada um deles precioso." 219 
Sinopse:
  Dhor sempre foi obcecado por enumera coisas. Quando percebeu um padrão entre o nascer e o pôr do sol - que se repetiam um após o outro, infinitamente -, ele aprendeu a contar os dias. Aos descobrir que a lua mudava de forma e depois voltava ao seu formato original, passou a contar os meses.
   Sem saber, movido por uma curiosidade ingênua, Dhor estava aprisionando a maior dádiva de Deus: o tempo. E pagaria um preço alto por isso, sendo banido para uma caverna durante seis milênios.
  Imune aos efeitos dos anos, passava seus dias sozinho, forçado a ouvir as vozes das pessoas implorando por mais minutos, mais dias, mais anos - querendo esticar os momentos de felicidade e encolher os instantes de sofrimento.
  Depois de compreender o mal que havia criado ao fazer a vida girar em torno de um relógio, Dhor é mandado de volta à Terra com uma missão: ensinar duas pessoas o verdadeiro sentido do tempo.
  Ele escolhe uma adolescente desiludida, prestes a por fim à própria vida, e um homem de negócios rico e poderoso que pretende desafiar a morte e viver para sempre.
  Cada um à sua maneira, eles precisam entender que o tempo é um dom precioso, que não pode ser desperdiçado nem manipulado. Para salvar a própria alma e concluir sua jornada, Dhor precisará salvá-los. Antes que o tempo se esgote - para todos.

Opinião:
  Eu já me imaginava, no vídeo de leituras do mês, falando que, até o momento, o melhor livro do ano era o Eu Sou Malala, mas aí chega Mitch Albom e praticamente fala: Então você gostou mais do livro dela do que do meu? Leia esse outro e vamos ver se sua opinião prevalece! Pois é, não prevaleceu...
  Como a própria sinopse já fala, nesse livro acompanhamos Dhor, vemos uma pequena parte de sua infância, mas principalmente vemos sua vida adulta que dura mais de seis mil anos. Dhor foi a primeira pessoa do mundo a contar o tempo, enquanto o resto da humanidade acreditava que o deus sol e a deusa lua estavam em constante guerra, e quando anoitecia era porque a lua estava ganhando a guerra e quando amanhecia o contrário, Dhor calculou a duração do dia e da noite e percebeu que era um padrão, percebeu que não havia guerra nenhuma, que era pra ser realmente assim, devido a um desentendimento com um amigo de infância, que agora é um poderoso rei e pretendo construir uma torre que alcance os céus (isso te lembra algo?), Dhor é expulso da cidade com sua esposa e passa a viver no deserto, depois de uma certa desventura ele resolve voltar a cidade e escalar a torre, uma coisa fantástica acontece nesse momento e ele é levado a uma caverna, lá ele encontra um ancião e lhe pergunta: Isto é a morte? Foste poupado da morte. Para morrer aqui? Não. Nessa caverna não envelhecerá um só instante. Não mereço essa dádiva. Não é uma dádiva. Depois de mais um pouco de conversa Dhor pergunta para o ancião quando poderá sair de lá, quando o ancião voltará, e o ancião responde: Quando o céu se encontrar com a Terra.
  A escrita do Mitch, que já tinha me conquistado em As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu, me deixou completamente apaixonado nesse, a história está impecavelmente bem construída, os personagens são bem desenvolvidos, tanto que nos fazem ter raiva deles em alguns momentos.
  A parte Erro na Sinopse desse livro é: "Ele escolhe uma adolescente desiludida, prestes a por fim à própria vida, e um homem de negócios rico e poderoso que pretende desafiar a morte e viver para sempre." Na verdade ele não escolhe as pessoas que ele precisa salvar, do "Poço das Lamentações do Tempo Perdido" ele ouve duas frases, ditas por pessoas diferentes, e o ancião fala que são essas pessoas que ele precisa "salvar".
  É um livro lindo, que nos mostra que por mais que a gente queira o tempo não para pra ninguém, que cada momento é precioso e que ao invés de perdermos tempo tentando arranjar mais tempo, que provavelmente jogaríamos fora tentando conseguir ainda mais, devemos aproveitar cada segundo que temos. Como diz o livro: "Quem passa a vida contando o tempo, não está vivendo."


4 comentários:

  1. Vendo tua opinião sobre o livro, me deu vontade de ler esse. As cinco pessoas que você encontra no céu, também.

    ResponderExcluir
  2. Olá, adorei sua resenha e realmente, fiquei bem interessada no livro! Parece ser muito interessante e traz uma mensagem muito boa sobre o tempo. É uma grande verdade, nunca iremos saber quanto tempo temos, portanto, temos sempre que aproveitá-lo ao máximo!
    Parabéns pela resenha.
    Beijos, Lery. :D
    lerissakunzler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lery, realmente é um ótima história que nos faz pensar bastante.
      bjo!

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...