sábado, 7 de junho de 2014

[Opinião] Eu Sou O Mensageiro - Markus Zusak


Editora: Intrínseca

N° de Páginas:318

Citação:

O que você faria no meu lugar? Me diga. Por favor, me diga!
Mas você está longe disso. Seus dedos estão virando a esquisitice destas páginas que de certa forma ligam minha vida com a sua. Seus olhos estão seguros. A história pra você não passa de mais umas 100 páginas na sua mente. Pra mim, está aqui. É agora. Tenho que ir até o fim, considerando o custo a todo momento."

Sinopse:
  Conheça Ed Kennedy: taxista, patético jogador de cartas, um desastre no amor. Mora numa casinha alugada com seu cachorro viciado em café e está apaixonado pela melhor amiga. Seu dia-a-dia é uma rotina de incompetência, até que, impede o assalto a um banco. Então recebe a primeira carta: um Ás. é quando Ed se torna o mensageiro...
  Escolhido para socorrer, ele segue seu caminho na cidade ajudando - e machucando (quando necessário) - até que resta apenas uma questão: Quem está por trás de sua missão?
  Eu sou o mensageiro é uma jornada enigmática repleta de humor, socos e amor.

Opinião:
  Markus Zusak é o mensageiro, e sua mensagem está nesse livro.
  Logo no começo da história somos apresentados a Ed (um exemplo de perdedor, manezão e e inacreditavelmente chato) e seus quatro melhores (lê-se únicos) amigos: Ritchie, um exemplo de preguiça com uma tatuagem ridícula no braço. Marv, a personificação da sovinice com o carro mais ferrado do mundo que ele defende como se fosse a própria mãe. Audrey, uma garota bacana, que não ama ninguém e não quer ser amada, ah sim, é meio ninfomaníaca. e Porteiro o cachorro de 17 anos (caramba) que recebeu esse nome por adorar ficar de frente a porta e que possui o cheiro horrível que banho nenhum dá jeito.
  O livro foi escrito em 2002, antes de A Menina Que Roubava Livros (que é de 2006) e nem parecem ter sido escritos pela mesma pessoa. Os personagens de Eu Sou o Mensageiro me incomodaram muito no começo, mas dá pra ver que essa era exatamente a intenção do autor, ele criou, segundo as próprias palavras, exemplos de mediocridade e grandes perdedores.
  O principal ponto de reflexão do livro nos é dado no final, claro, é perfeitamente possível identificá-lo antes disso mas pra quem não quer ficar pensando no que está nas entrelinhas tá lendo um livro pra que? ele nos fala com todas as letras perto do final. a narrativa é fácil, o meu exemplar é de primeira edição e eles acabaram deixando muitos erros passarem, falta uns artigos em algumas frases mas nada que derrube a incrível experiência que é ler essa história incrível.
  Em vários momentos o narrador (Ed) nos fala que mesmo que pra gente seja apenas um livro aquilo é a vida dele e realmente está acontecendo com ele. Ele se questiona o tempo todo sobre por que e por quem ele foi escolhido para levar essas mensagens, e no final percebemos a genialidade do autor quando Ed pergunta a pessoa por que ele foi escolhido a pessoa responde: "Eu fiz isso porque você é o verdadeiro símbolo e modelo de banalidade, Ed [...] E se um cara como você consegue fazer o que você fez por toda essa gente, talvez todo mundo consiga. Talvez todos possam superar seus próprios limites de capacidade [...] Talvez até eu consiga..."
  Como nem tudo são flores, o livro também tem alguns aspectos negativos, que são massacrados, na minha opinião, pelos pontos positivos, mas talvez nem todos pensem assim, então vou ressaltá-los aqui, o primeiro é que quando Ed recebe a primeira carta ele age como se ela fosse algo "mágico", por falta de palavra melhor, e mesmo agindo como se fosse algo sobrenatural e mesmo tudo parecendo algo mais elevado do que imagina nossa vã filosofia ele continua procurando a pessoa, isso, pessoa, ser humano normal, que está mandando essas cartas pra ele, alguém que o conhece tão bem quanto ele mesmo. Outra coisa a reclamar é que o final é meio corrido... o livro é dividido em 5 partes, uma pra cada carta/missão que Ed recebe e a última parte me pareceu um tantinho atropelada...
  Mas como eu disse, pra mim, os pontos positivos sobrepujam com louvor os negativos, o livro me emocionou bastante, e qualquer livro que consiga me emocionar sem meter câncer no meio tem que ser considerado profundo, no mínimo, não sei se já disse mas o começo dele é meio chato, se você começou a ler e não gostou, insista, ele vale super a pena.

Um Comentário com Spoiler

Já vou avisando que será um tremendo Spoiler, leia por sua conta e risco...
Eu preciso falar isso mesmo que ninguém leia, foi uma surpresa incrível quando descobri quem tinha feito o Ed, passar por tudo isso, mas depois pareceu tão óbvio, mas eu não esperava mesmo, que pode conhecer tão bem os personagens de um livro quanto o próprio autor? Isso mesmo, quem fez o Ed passar por tudo isso foi o próprio Markus Zusak, apesar de não falar isso com todas as letras fica bem claro no final, e é ótima última frase do livro, e totalmente verdadeira: "Eu não sou o mensageiro. Eu sou a mensagem.

10 comentários:

  1. O narrador Ed parece ter uma construção interessante, visto os questionamentos levantados e o diálogo que é proposto. Gosto de narradores que dialogam com o leitor.

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super interessante, no começo eu não simpatizei nem um pouco com ele, mas conforme a história vai se desenvolvendo ele se torna um personagem muito cativante

      Excluir
  2. Esse livro é FANTÁSTICO. Um dos meus favoritos também.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super concordo, não consigo me perdoar por não tê-lo lido antes

      Excluir
  3. Caramba! Escreve uma bela resenha e no final avisa que tem um spoiler e que nós decidimos se vamos o ler ou não! Eu não tive coragem de lê-lo porque sua resenha me fez ter vontade de ler o livro, mas fiquei me coçando! RsRS
    Parabéns, Rudi!

    Gabryelfellipeealgoblogspot.com
    El Costa - Confins Literários

    PS: E me deu uma vontade de reler A menina que roubava livros :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk eu tinha que desabafar esse spoiler, porque foi a maior surpresa do livro mas quis deixar bem claro que isso talvez acabasse com boa parte da graça da história, então pude cuspir o spoiler sem estragar a leitura de ninguém.

      Eu reli A Menina Que Roubava Livros esse ano e não foi tão "mágico" como da primeira vez, ele continua sendo um dos meus favoritos mas... não sei se lê-lo muitas vezes vai acabar secando meu amor pela história

      Excluir
  4. Oi Rudi! Ainda não li nada do Zusak, nem A Menina que Roubava Livros! Mas esse já decidi que só vou assistir ao filme mesmo... De qq forma, tenho vontade d ler algo do autor, e depois da sua resenha, quem sabe esse não será o eleito?! hehe

    PS: tá rolando um sorteio do livro A Última Nota, lá no blog! Pra participar é bem simples: basta ser seguidora! Corre lá!

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/2014/06/promocao-dia-dos-namorados.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então já estou participando ^^

      Vejo muita gente que não conseguiu levar a leitura de A Menina Que Roubava Livros adiante, mas nunca vi ninguém que terminou e não gostou, devia dar mais uma chance, e esse também é ótimo, super recomendo

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...