terça-feira, 17 de março de 2015

[Opinião] Arkansas - John Brandon


Editora: Record

N° de Páginas: 332

Citação:
"'Quando as pessoas agem de forma exagerada a respeito da morte de alguém, significa que se sentem culpadas.' 'E do que eu sinto culpa?' 'Como é que eu vou saber?' 'Sempre fui bom com ela.' ' Não culpadas pela forma como trataram a pessoa, culpadas por terem uma vida e não saberem o que fazer com ela.'"

Sinopse:
  Swin passou a infância lendo os livros da vizinha, desejando ter um irmão e desprezando os adultos. Na faculdade, aprendeu a dar golpes para se virar, e resolveu sair de casa por não suportar o padrasto.
  Kyle nunca se entendeu bem com outros garotos. Quando tinha 17 anos, sua mãe morreu eletrocutada e ele passou a viver sozinho, sobrevivendo à custa de pequenos roubos.
  O caminho de Swin e Kyle se cruza quando são levados para trabalhar para Frog, um chefão do tráfico de identidade misteriosa. Quando um esquema dá errado, os dois se veem sozinhos novamente envolvidos em uma trama perigosa. Mas dessa vez talvez possam contar um com o outro. Em meio a viagens de carro pelo sudeste dos Estados Unidos, a esconderijos em velhos trailers e a chefes do tráfico excêntricos, os dois jovens iniciantes no crime viverão aventuras, romances e muitos perigos.


Opinião:
  Antes de mais nada gostaria de agradecer à editora pelo presente, nunca tinha ouvido falar do livro, e pelo que vi no Skoob, poucos ouviram, mas confesso que é um livro que eu compraria se visse dando sopa em uma livraria (e, provavelmente, me arrependeria depois), não só pela capa, que adorei, mas também pelo trecho presente na quarta capa, que é praticamente a primeira conversa entre Kyle e Swin.
  Já vou dizer de cara que a história do livro não é interessante, é exatamente o que a sinopse diz, dois caras que nunca se deram bem com ninguém, entraram para a vida de crimes e acabaram se conhecendo e se tornando amigos (comprovando o que Swin diz no trecho redigido na quarta capa), a narrativa é meio enfadonha, principalmente nos capítulos nos quais é contada a história de Frog, o misterioso grande marginal (que é um pereba), em que a narrativa se encontra em segunda pessoa, como se o leitor fosse o tal Frog, corajoso? Sim, inovador? Nem tanto, tiro no pé? Pode apostar!
  A narrativa em segunda pessoa em um livro é uma "ferramenta" que está sendo bem explorada de um tempinho pra cá, pelo que ando vendo, ela consegue introduzir o leitor na história e torná-la, de certa forma, mais dinâmica e interessante, mas isso só se for bem feita, como no caso de O Inocente, do Harlan Coben, quando o autor não consegue fazer isso direito torna a história cansativa e até um tanto repelente, como no caso desse livro, confesso que pulei alguns capítulos que eram narrados dessa forma.
  Não contente em contar a história de Kyle e Swin em terceira pessoa e o passado de Frog em segundo, quando a história de Frog alcança o mesmo período da de Kyle e Swin o autor começa a narrar em primeira pessoa, o que acabou sendo um tiro no outro pé.
  Mas apesar da narrativa deixar bastante a desejar o livro vale pelos diálogos, principalmente as falas do Swin, ele é um Porto-riquenho devorador de livros, irônico e com um humor negro de dar inveja, fiz várias marcações no livro, e todas são de diálogos, a muito, muito, MUITO tempo mesmo eu não lia um livro com diálogos tão bacanas, engraçados, divertidos e envolventes, alguém fala pra esse autor escrever roteiros pro cinema, porque mesmo a história não sendo lá essas coisas e a narrativa ser um porre os diálogos são os melhores do mundo, ou passam perto.
  O livro leva três estrelas, já que tirei 3 pela narrativa chata e uma pela história (o que faria só sobrar uma, eu sei, mas devolvi duas pelos diálogos), sim, a história tem momentos interessantes, mas não são muitos, vou deixar no Spoiler alguns momentos que achei interessantes, caso estejam curiosos e eu tenha deixado vocês com vontade de passar longe do livro.



Spoiler (selecione para ler):
Partes que realmente gostei da história:
A luta do sobrinho (que esqueci o nome) com Brigth
Os rapazes matando o tio do sobrinho supracitado, por causa da luta supracitada
Quando Jhonna revela que está grávida (embora já fosse previsível, devido ao subtítulo do livro)
As desculpas malucas que os rapazes inventavam para justificar o sumiço de Brigth, que já estava bem morto e enterrado a sete palmos (a conversa que eles tiveram enquanto enterravam o cara também é impagável)
E as "pesquisas" do Swin sobre a mania de magreza das mulheres, do tipo: "Você sabia que uma em cada quatro mulheres aceitaria... se em troca pudessem comer o que quisessem e continuar magras?" Os retruque que a Jhonna dá pra essas "perguntas" também são ótimos.

Tá que os últimos são diálogos, mas como disse o livro vale pelos diálogos.

13 comentários:

  1. Caracas, Rudi! Deu vontade de ler esse livro só pelos diálogos.
    Talvez não seja mesmo um livro tão bem bom, já que - CARA - três tipos de narrador em um livro só? Como consegue? Como ousa?
    enfim, ótima resenha!
    Fiquei interessado nos diálogos.

    gabryel fellipe - quimeras mirabolantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só pelos diálogos que vale a pena ler o livro mesmo, o fato de ter três tipos de narrativa diferente é uma aposta interessante e corajosa que poderia tornar o livro numa obra fantástica, infelizmente não funcionou bem, no caso....

      Excluir
  2. Oi, Rudi! Tudo bem? Eu achei a capa do livro bem bacana e o título também! Mas fiquei com um pouco de receio quando você disse que a narrativa é em segunda pessoa em alguns momentos. Certa vez eu li um conto narrado em segunda pessoa, mas foi bem legal! A autora soube conduzir a história... Parabéns pela resenha! :)

    PS: Postei a lista com os 5 autores mais lidos da minha estante!

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tony!
      Também adorei a capa, o título nem tanto, o autor não é um narrador muito interessante em nenhuma das formas que usou...

      Excluir
    2. Ah, sim, eu vi a lista, só não comentei porque vi quando tava no serviço.... fiquei sem internet desde o dia 16 (quando escrevi essa postagem e deixei programada), ela só voltou ontem (e eu só consegui entrar hoje) mas vou lá comentar nela

      Excluir
  3. Oi, Rudi, então acho que não seria o tipo de leitura que me prenderia, mas concordo que os diálogos são bem inteligentes!

    Abraços!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado, acho que ninguém foi preso pelo livro, como eu disse a história não é interessante e a narrativa não é boa, vale mesmo apenas, exclusivamente, pelos diálogos

      Excluir
  4. Oi Rudi!
    Eu devo estar entre as pessoas que nunca ouviu falar deste livro, só pela capa eu já passaria batido, muitos narradores me parece complexo, mas as vezes as aparências enganam.
    Talvez esteaja perdendo uma grande história, mas só leria se ganhasse de presente!
    Bjs da Le
    Le Versos & Controvérsias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, você não está perdendo uma grande história, isso eu garanto, quem dera o livro fosse mais complexo, complexidade é interessante, envolvente, instigante ele é só chato e confuso :p

      Excluir
  5. Olá, Rudi.
    Pelo que pude entender em sua resenha, o livro não é altamente incrível, mas também não é ruim.
    Me pareceu o tipo de livro que não nos traz nada de novo, mas nem por isso quer dizer que seja totalmente ruim.
    Um ótimo fim de semana, até mais.
    http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais ou menos isso mesmo Renato, mas ele só não é ruim por causa dos diálogos porque a história é bem zzZZzz
      Realmnte, ele não traz nenhuma ideia nova, tudo que vi nele já vi em outros livros e melhor desenvolvido, inclusive.

      Excluir
  6. Senti vontade de ler esse livro pelos diálogos, realmente, tem livros em que se observa um bom plot mas diálogos fracos, nesse livro é um pouco ao contrário mas acho que de toda forma pode valer a pena.
    Leitora nova aqui no blog, já estou seguindo!
    Abraços.
    Se puder, dá uma passadinha no meu cantinho: Blog Palavrear-se :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Willma,
      O livro é exatamente o que você disse, bons diálogos e um plot fraco..
      seja muitíssimo bem-vinda, vou lá dar uma olhada no seu cantinho ;)

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...