quarta-feira, 8 de junho de 2016

[Opinião] Sejamos Todos Feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

Editora: Companhia das Letras

N° de Páginas: 46

Quote:
Talvez não pensem mesmo. E isso é parte do problema: os homens não pensam na questão de gênero, nem notam que ela existe. Muitos homens, como meu amigo Louis, dizem que as coisas eram ruins no passado, mas que agora está tudo bem. Muitos não fazem nada para mudar a situação das coisas. Quando um sujeito entra num restaurante e o garçom o cumprimenta, será que não passa pela cabeça dele perguntar por que o garçom não cumprimentou a sua acompanhante? Os homens precisam se manifestar em todas essas pequenas situações."

Sinopse:
  O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos Todos Feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio Sol Amarelo. "A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar com um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente". Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que foi chamada de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. percebi pelo tom de voz dele, era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!" Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo em em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma e não para os homens. Nesse ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte da sua experiência pessoal como mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais a sua personalidade para ser como esperam que sejam. Sejamos Todos Feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de um milhão de visualizações e foi musicado pela Beyoncé.

Opinião:
  A pouco tempo vi um vídeo de uma grande amiga, a Nina, apresentando um projeto para ver mais filmes dirigidos por mulheres, pra quem ainda não viu o vídeo clica aqui e seja magicamente transportado para ele ;)
  Como a última coisa que vejo em um filme, na verdade nunca presto atenção a isso, é quem é o diretor ou a diretora, então comentei lá que não via muito sentido nisso afinal já não havia mais essa desvalorização do trabalho da mulher nos dias de hoje... Será que não? Até ler esse livro meu pensamento era como o do amigo da autora "As coisas realmente eram ruins, mas agora os tempos são outros, as pessoas mudaram" isso não seixa de ser verdade, mas o bolo não deve sair do forno antes de estar totalmente assado, não adianta ele começar a crescer e você retirar a forma... a transformação necessária para alcançarmos a verdadeira igualdade entre os gêneros não está completa, o bolo ainda não está assado... não é hora de parar a luta pela igualdade de direitos. Aproveito aqui para me desculpar com a Nina pela minha ignorância, tanto sobre a atual situação do sexo feminino quanto pela minha ignorância quanto ao real significado da palavra feminismo.
  Você pode pensar, assim como eu pensava, onde está a desigualdade e desvalorização? Existem vários detalhes, e como a autora diz: "Os detalhes são o que mais incomodam". Não frequento restaurantes finos, mas pelo que vejo em filmes acontece exatamente como a autora descreveu uma situação pela qual passou. O homem sempre recebe atenção enquanto a mulher é ignorada. Por que fazem isso? Provavelmente pela cultura de "quem paga a conta é o homem" outro detalhe... a mulher pode trabalhar e até sustentar a família sem a ajuda financeira do marido, mas se ela tem um marido ela deve se portar como dependente financeira dele, qualquer dinheiro que ela possa vir a ter deve, nem que seja apenas pelos olhos alheios, vir dele.
  Outro detalhe, serviço de casa é serviço de mulher... Quem disse? Nessa parte minha família, e por muito tempo me incluía nisso, era extremamente machista... já teve casos de em uma estadia na casa de um parente o HOMEM DA CASA me ver lavado minha roupa e dizer para deixar, pois depois a esposa dele lavava... admiro a consideração e "gentileza" de não querer que o hóspede lavasse as roupas (porque gosto de cozinhar mas odeio lavar roupa com todas as minhas forças) mas porque ele não se ofereceu para lavar a roupa ele mesmo, ela já estava cuidando da casa, fazendo comida e prestando assistência para a mãe DELE.
  O fato é que não são somente os homens que falham nessa parte, muitas mulheres também. Como a autora diz, não devemos mudar o pensamento apenas de um, mas de ambos os gêneros. É como o absurdo que venho lendo pela internet afora nesses últimos dias... sobre aquela moça do Rio de Janeiro que foi estuprada por uma porrada de dementes selvagens, Tem muita gente que ela não tinha nada que estar no meio de bandidos e sair de casa de madrugada e tals... Isso quer dizer que ela tem culpa? Nada, NA-DA, justifica uma agressão dessas, ou qualquer outra, contra uma pessoa. Sábia a pessoa que fez a foto que também circulou nas redes sociais →→
  A narrativa da autora é simples e objetiva... e não era bem isso que eu esperava... pelos comentários que li e ouvi por aí esperava que fosse algo mais, como dizer? Erudito, que exigisse um certo esforço para compreender, mas não: é uma linguagem extremamente simples e acessível. Se eu recomendo? Com toda certeza. Inclusive ele está bem baratinha na Amazon:



  Compre através do link acima e ajude seu amigo aqui ;)
  A partir de hoje todas as opiniões aqui do blog terão um link para compra do livro no site, conto com vocês ;)


2 comentários:

  1. Olá, Rudí.
    Eu li recentemente esse livro para a faculdade, mas antes de lê-lo eu já havia visto a palestra que ela deu para o TEDxEuston. Sou suspeita para falar qualquer coisa da Chimamanda porque eu já li todos os livros dela publicados aqui no Brasil.Ela tem uma linguagem super acessível mesmo, muitas vezes, no decorrer da leitura, me sentia como se estivesse em uma conversa com ela.
    Fico contente que a leitura tenha te feito ter uma outra visão do feminismo.
    Abraços.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Maria,
      Apesar de ser bem fininho o livro é bem profundo, fiquei com muita vontade de ler outras coisas dela, principalmente o Hibisco Roxo que ela cita nesse

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...