quarta-feira, 9 de outubro de 2019

[Opinião] O Caso da Ilha - Odette de Barros Mott #249

https://www.skoob.com.br/o-caso-da-ilha-51451ed56507.html
Editora: Brasiliense

N° de Páginas: 66

Quote:

"Sim, voltei para ensinar, fazia falta uma professora e ninguém da cidade quer vir para estes lados, é muito solitário, sem divertimento. Quero ajudar a criançada ir para a frente, aprender a ler, a escrever, enfim, contribuir para que a ilha se desenvolva, mas, sem deixar de ser ela... a minha ilha."
Sinopse:
  Você conhece uma ilha?
  Uma ilha por si só já é interessante. imagine uma ilha onde há um casarão cheio de mistérios.
  E tem mais: assaltos, sequestros, a linda professorinha e o luar!
  Você quer conhecer essa ilha? Vamos nós dois juntos: tomamos um barco, atravessamos o mar que nos separa dela e depois desembarcamos na areia branca.
  Então o resto fica por sua conta, talvez você ajude a resolver "O Caso da Ilha." 

Opinião:
  Meu maior medo na hora que decidi fazer esse mês de leituras temáticas para o dia das crianças era de achar os livros enfadonhos, mas não esperava que minha disposição fosse minada logo no primeiro livro infanto-juvenil que lesse.
  Esse não é meu primeiro contato com a autora, há uns cinco anos eu li um outro chamado Vinda Com a Neve (opinião aqui) e devo dizer que gostei daquele livro, foi uma historinha agradável onde pude tirar várias coisas, mas aqui, infelizmente, não foi assim.
  A autora foi uma das precursoras da literatura infanto-juvenil no Brasil e vendeu mais de um milhão de exemplares entre todos os seus sessenta livros, tudo isso entre as décadas de 1940 e 1990, uma época que deve ter sido bem mais difícil de fazer isso, ainda mais se tratando de uma mulher.
  Mas do que fala essa história? Bem, temos uma ilha de considerável tamanho com uma pequena comunidade, nessa ilha há também um grande casarão onde são realizados certos... crimes. Mas isso é apenas uma especulação de alguns moradores, e um deles vai até o litoral e conta sobre acontecimentos estranhos que rondam o dito casarão, nisso o delegado resolve ir investigar.
  A história até parece interessante, mas desanimei por achar tudo muito superficial, a autora até faz uma boa construção dos personagens (pelo menos, de alguns deles), mas pelo livro ter praticamente o tamanho de um conto (até menor, se levarmos em conta alguns contos, tipo O Nevoeiro, do King) e eu não consegui lê-lo como um conto, tudo se atrapalha e se atropela, a autora dá a solução no meio do livro (acho que até antes) e aí ficamos o resto do livro esperando que os mocinhos descubram o que já sabemos, e como já disse, quando isso é bem desenvolvido, é bacana de acompanhar, mas não é o caso, talvez eu esteja sendo muito exigente com um livro infanto-juvenil, mas enfim... é isso. Alguns arcos são simplesmente esquecidos, inclusive a autora termina o livro da seguinte forma:
"Aqui acaba o caso da ilha. O resto ficou por conta da Polícia Federal. Se vocês quiserem saber a respeito do luar da ilha, [...] isto é outra estória que fica para outra vez, tá?"
  Ou seja, ela simplesmente não quis dar um desfecho à história, o que é uma pena, porque o plot da história é até interessante, mas eu tenho plena consciência de que se eu tivesse lido esse livro quando ele chegou às minhas mãos, em 2014, eu teria gostado muito dele, não acho que seja um livro ruim, mas para mim não rolou.
https://www.skoob.com.br/autor/338-odette-de-barros-mott

2 comentários:

  1. O interessante é que essa sua resenha me deixou interessada em ler.

    Ler infanto-juvenil sendo adulto é um desafio. Estou gostando, e principalmente de fazer o exercício de tentar lembrar de como era a Kelly criança e adolescente, se ela iria gostar de tal livro... Dá uma bugada (não sei se conhece essa expressão) kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, acho que o principal problema foi que não consegui colocar minha capinha de criança

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...