quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

[Opinião] Dom Quixote de la Mancha Vol. 1 - Miguel de Cervantes #259

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog
Editora: Nova Fronteira

N° de Páginas: 591

Quote:
"Batizado o cavalo, com o nome tão a seu gosto, quis batizar-se a si próprio, no que pensou oito dias, ao cabo dos quais se passou a chamar Dom Quixote,  doando concluíram os autores desta tão verdadeira história que, sem dúvida, o seu nome devia ser Quixada,  e não Quesada, como outros quiseram dizer."

Sinopse:
  A história do engenhoso fidalgo Dom Quixote e de seu fiel escudeiro Sancho Pança conquista leitores geração após geração. O clássico de Miguel de Cervantes é considerado o expoente máximo da literatur espanhola e, em 2002, foi eleito por uma comissão de escritores de 54 países o melhor livro de ficção de todos os tempos. 
  Marco inicial do romance moderno, Dom Quixote de la Mancha influenciou grandes nomes da literatura, como Daniel Defoe, Charles Dickens,  Fiodor Dostoiévski e Machado de Assis, e já ganhou diversas adaptações nas mais variadas esferas da arte, como cinema, teatro e pintura.
  Em homenagem aos 400 anos de morte de Miguel de Cervantes,  a Nova Fronteira traz ao público está edição especial, com a obra integral em dois volumes. O texto de Cervantes é acompanhado de belíssimas ilustrações do francês Gustave Doré, um dos mais fantásticos artistas do século XIX.

Opinião:
  Eu tinha medo...
  Todo clássico carrega consigo uma aura de importância que inspira, ao mesmo tempo, fascínio e temor. Há quem diga que você só está habilitado para falar de livros na internet depois de ter lido Dom Quixote (quem acompanha o booktube há mais de 7 anos sabe do que estou falando), então, depois de seis anos eu estou meio habilitado para fazer o que já venho fazendo desde 2013, segundo o carinha que nem me lembro o nome.
A primeira coisa que acho importante que você saiba antes de encarrar esse livro é que ele pode ser tranquilamente tirado desse pedestal de clássico da literatura universal magistralmente escrito e que esbanja sabedoria. Até porque não foi com essa intenção que ele foi escrito. Lá, no longínquo ano de 1605 Cervantes publicou esse livro com a intenção de fazer chacota. A coisa mais popular na época eram os romances de cavalaria e o autor nunca os achou grande coisa, então resolveu fazer uma grande piada com o gênero.
Dom Quixote é um senhorzinho que depois de devorar inúmeros livros de cavalaria acaba ficando meio lelé, então veste uma armadura enferrujada que era meio que decoração, arruma um pangaré que na sua cabeça maluca ele acredita ser um belo alazão e começa a jurar amor eterno pela bela Dulcinéia del Toboso... que nem sequer existe. Depois disso ele sai em suas aventuras, até chegar a um lugar meio... duvidoso, socialmente falando. e ali, que ele acredita ser um grande castelo, ele implora para que o estalajadeiro, que ele acredita ser um grande cavaleiro, ou rei, agora não me lembro, que o nomeie cavaleiro, dentre muita confusão o estalajadeiro o nomeia cavaleiro e consegue convencê-lo a voltar para casa. Novamente em casa, depois de um período de cama onde destruíram toda a biblioteca responsável, juntamente com a senilidade, de deixá-lo meio avariado das ideias, depois de recuperado ele recruta seu vizinho, o famoso Sancho Pança, e ambos saem em suas aventuras.
Bem, uma coisa que não sei se deu pra perceber no que eu já falei, é que este é um livro com um grande foco no humor, então sim, você vai rir horrores durante a leitura, nessa edição que eu li tem as ilustrações originais do francês Gustave Dorè que também são um show, os desenhos também tem, em grande parte um teor cômico que combinam pra caramba com a história.
É basicamente um livro episódico, várias subtramas vão aparecendo conforme a história vai avançando, alguns personagens são tão divertidos quanto o protagonista mas admito que tem vários que são bem descartáveis e que não vão despertar grande empatia ou interesse no leitor.
Eu descobri também que essa alcunha de livro super importante foi dada a este livro por Dostoiévski, só a partir disso ele passou a ser considerado um livro com algum valor além do entretenimento e risadas que proporciona.
  Sei que você deve estar imaginando e se perguntando sobre a linguagem e sim, ele é um livro escrito no começo do século XVII e isso fica evidente pelo vocabulário utilizado, ele tem bastante rococós mas não tem grande descrições, tem alguns diálogos que parecem intermináveis mas em sua maioria os capítulos são bem curtinhos.
  É um livro divertidíssimo, que proporcionará ótimos momentos de descontração e os rococós na escrita não chegam a incomodar, pelo menos a mim. Por ser um livro longo e, como eu disse, episódico, terá alguns episódios que serão bem enfadonhos, não vou mentir, mas sem qualquer sombra de dúvida é um livro que vale a pena ser lido, vai demandar tempo mas você vai se divertir e terá uma ótima sensação de "venci um calhamaço clássico" depois de concluí-lo.
  E ele não é só piadas e chacotas, Dom Quixote, apesar de abilolado, é uma personagem bastante sábia, e vai dar várias lições de vida no decorrer da história, ele não se tornou um livro da minha vida, por assim dizer, mas com certeza entrou para o rol dos livros que recomendo a qualquer um.
  O segundo volume vou ler assim que concluir a leitura de Novelas Exemplares, próximo ao final do ano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...