sábado, 17 de maio de 2014

[Opinião]Pegasus e o Fogo do Olimpo - Kate O'Hearn


Editora: Leya

N° de Páginas:290

Sinopse:
  Quando Pegasus, o majestoso e mitológico cavalo alado, é atingido por um raio e cai em seu terraço durante uma violenta tempestade que deixa Nova York no escuro, a vida da jovem Emily transforma-se em uma lenda. Buscando ajuda para tratar os graves ferimentos de Pegasus, Emily recorre ao garoto estranho da escola, Joel. Trabalhando juntos, eles rapidamente descobrem que o cavalo alado tem mais do que ferimentos da tempestade.






Opinião:
  

  Eu sempre tive uma enorme admiração por cavalos, provavelmente é por isso que o Pegasus é a minha criatura mitológica favorita.
  O livro começa com o que dá nome à série, uma guerra no Olimpo, mas esse Olimpo é o da mitologia romana, que é a mesma coisa da mitologia grega, só que os deuses têm nomes diferentes, grande parte têm nome de planetas, e também acompanhamos um dia tempestuoso em Nova Iorque, depois de muitos raios caírem sobre os prédios próximos Emily (que mora no último andar de um prédio) ouve algo batendo no terraço e obvio que vai verificar. Chegando lá ela encontra (tã tã tã tã) o Pegasus, enrolado nas roseiras de sua mãe (que morreu de câncer a três meses) ela o ajuda a se livrar das roseiras e descobre que ele está empalado por uma lança e com uma asa quebrada, e resolve ajudá-lo.
  Primeiramente eu gostaria de muito de saber se o Cassius Medauar que traduziu o livro é o gerente de conteúdo da JBC, não que isso vai influências alguma coisa, é só curiosidade mesmo (e sim, eu tenho mania de olhar quem é o tradutor antes de começar a leitura, isso por causa de uma birra que peguei de uma certa mulher aí. 
  Acho que o livro foi bem escrito e a história é interessante, motivos pelos quais quero continuar a série, mas ela é absurdamente previsível, a gente sabe das respostas antes de as perguntas serem feitas, e os personagens são meio tapados, porque assim que eles falam sobre um determinado "mistério" já sabemos sua solução mas eles ficam falando a mesma coisa umas trocentas vezes dá vontade de gritar: caramba! Não entendeu ainda? é isso, isso e isso! e a história têm muitas descontinuidades, primeiro: ela encontra o Pegasus no meio de uma noite, quando amanhece ela vai atrás do Joel para ajudá-la com a lança e a asa quebrada (e ele acredita fácil demais, não de primeira pelo menos, mas acredita fácil demais) e no dia seguinte já estão falando que o Pegasus foi encontrado a vários (?) dias outra hora que dá vontade de gritar: vários?? guria! Tu encontrou ele ontem!!! segundo: Steve, o pai de Emily é muito irresponsável, você está viúvo a três meses, sua filha de 13, repetindo 13 anos, está entrando em depressão por causa da morte da mãe, e você simplesmente deixa ela sozinha por três dias????? Não vou falar, de novo que dá vontade de gritar, mas dá vontade de dar uns tapas, e terceiro, a autora esquece muito rápido o que ela fez acontecer na história, exemplo: tem uma parte que a Emily está com a perna machucada (não vou falar como ela machucou porque estragaria a única parte não previsível da história) e Joel ajuda ela a subir no Pegasus, aí outras pessoas falam algumas coisa e Joel ajuda ela a subir no Pegasus (quantos andares esse cavalo tem?
  Como disse o livro é bem escrito e a história é até legal, apesar de tudo o que eu falei acima e dos clichês, que tem bastante, eu gostei porque estava justamente atrás de uma história não muito profunda, e porque meu potinho TBR me fez lê-lo esse mês, outro ponto positivo do livro é que mesmo sendo uma série ele não fica o primeiro livro inteiro explicando do que se trata a história, como disse até gostei do livro, o que não quer dizer que ele seja bom.


Um Comentário Com Spoiler
Se você já leu o livro, vê se concorda comigo! Você também acredita que o pai dela é um traidor???

2 comentários:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...