domingo, 2 de novembro de 2014

[Opinião] Correr ou Morrer (Maze Runner #1) - James Dashner

Editora: V&R

N° de Páginas: 426

Citação:

Estão vendo? A reação de vocês só prova o que estou dizendo. A maioria das pessoas já teria desistido. Mas eu acho que somos diferentes. Não admitimos que um problema não possa ser resolvido... ainda mais quando é algo tão simples como um labirinto. E continuamos lutando não importa o quanto pareça inútil."

Sinopse:
Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.
Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.
Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.


Opinião:
  Se você me perguntasse, quando eu estava na metade do livro, o que eu estava achando eu diria na lata: "começou ficar um pouco interessante agora... mas está longe de ser bom..."
  Imagine o livro como uma pessoa, no começo desse, cortaram suas duas pernas e um braço e fincaram 14 facas nas costas, e ele se arrasta, rasteja, e você quase desiste de ler, eu adoro mistério... mas apenas quando o autor sabe criar mistério... o que não é o caso...
  Felizmente ele tem uma melhora gradativa, quando realmente começa a ação ele se torna um ótimo livro, ou quase isso.
  Começamos o livro com nosso protagonista, Thomas, no elevador chegando a Clareira, sem se lembrar de nada além do seu nome, e temos uma interminável sequencia de perguntas não respondidas, o que faz Thomas agir como uma criança birrenta "eu quero respostas, quero respostas, quero respostas!!!!" Quando resolvem dar as ditas respostas a ele, o livro melhora um pouco, mas muito pouco, assim como tem uma melhora mínima quando uma garota aparece na Clareira, a primeira em mais de dois anos, ele só vai se tornar um livro realmente bom por volta da página 300, ou seja... temos trezentas páginas de enrolação, enchimento de linguiça e uma fraca apresentação, que apesar de apresentar bem, faz isso de uma forma longe de ser cativante...
  Sobre a parte boa do livro (as últimas 126 páginas, aproximadamente) só posso dizer que é realmente muito bom, tanto que li em dois dias, considerando que levei cerca de dois meses para ler as primeiras trezentas, falar mais que isso seria dar spoilers e estragar a leitura de vocês.
  Por ser um livro infanto juvenil (pelo menos acredito que seja por isso) ele substitui os palavrões por palavras "limpas", mas usam mais elas do que uma pessoa usa palavrões normais... adianta amenizar se usa tanto que acaba deixando "sujo"???
  Se vale a pena se arrastar por trezentas páginas para ter 126 de divertimento e tensão? No caso valeu, por mais que o começo tenha sido incrivelmente chato, com uma narrativa maçante... o final é surpreendente (apesar de eu já ter formulado algumas teorias, e algumas delas estavam certas) e eu estou ansioso para ler a continuação... apesar do medo de 70% dele ser chato também...
  
Única e exclusivamente pelo final...

Aproposito... vocês já leram o livro? Já viram o filme? Confesso que estou ansioso para assisti-lo, vou deixar o trailer abaixo pra quem nem sabia que tinha filme...

6 comentários:

  1. Não quero ver o filme, pra não ter a mesma decepção que tive com Divergente!
    :'(
    Bjs da Le
    Le Versos & Controvérsias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu gostei do filme Divergente... preferi bastante o livro, mas enfim... eu quero ver o filme pra saber se é melhor que o livro, o que eu acredito que seja...

      Excluir
  2. caracas, rudy! que triste :(

    eu achei que o dashner escreve super bem, eu curti muitão o primeiro volume da série, mas não curti muito o segundo volume. um ponto negativo que achei foi só algumas descrições muito complexas, mas fora isso, curti demais todos os mistérios. Ah, e o autor não colocou palavras como "mértila" e outras pra excluir os palavrões, é que os clareano tiveram a mente limpa, e criaram palavras que expressassem melhor suas emoções, e criaram essas, como também criaram diversas regras e hábitos.

    eu ia te falar pra ir logo para prova de fogo, mas eu não curti muito o segundo volume, mas não deixou de ser bom.
    abçs

    gabryel fellipe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu sei que os Clareanos estão sem memória e criaram um palavreado próprio.. mas quem fez isso se não o autor???
      Não achei que os mistérios foram bem desenvolvidos, pelo menos não os primeiros...

      Excluir
  3. Oi, Rudi! Nossa, 300 páginas de enrolação? </3 Tenho muita vontade de ler o livro mas agora fiquei um pouco desanimado! Entretanto, vou ler e espero gostar e ficar empolgado com todas as páginas! Ótima resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Tony... eu achei as trezentas páginas pura encheção de linguiça mal temperada, mas o Gabryel gostou bastante do livro inteiro, o Diego (A Culpa é do Visconde) também, e já vi outras pessoas que também não gostaram.... acho que as opiniões são bem divergentes, te aconselho a ler, quero saber de que "lado" você vai ficar :p

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...