quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

[Opinião] O Nome do Vento - Patrick Rothfuss

Editora: >Arqueiro>

N° de Páginas: 648

Citação:
 Foi logo depois do almoço. Ou melhor, teria sido depois do almoço, se eu houvesse comido alguma coisa. Eu estava mendigando no Círculo dos Mercadores e, até aquele momento, o dia me rendera dois pontapés (de um guarda e um mercenário), três safanões (de dois carroceiros e um marinheiro), um novo xingamento concernente a uma improvável configuração anatômica (também do marinheiro), e uma cusparada de um senhor muito pouco carinhoso, de ocupação indefinida."

Sinopse:
  Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinate universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se encontram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso.
  Da infância numa trupe itinerante, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia. O Nome do Vento acompanha a tragetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender a arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano - o lendário e misterioso grupo que assassinou sua família.
  Quando esses seres do mal reaparecem na cidade, um cronista suspeita que o misterioso Kote seja o personagem principal de diversas histórias que rondam a região e decide aproximar-se dele para descobrir a verdade.
  Pouco a pouco, o passado de Kote vai sendo revelado, assim como sua multifacetada personalidade - notório mago, esmerado ladrão, amante viril [Interrompemos essa sinopse para um comentário deveras irrelevante: que mané amante viril o que? Sua destreza com as mulheres não é muito maior que a minha]herói salvador, músico magistral, assassino infame [Também não].

Opinião:
  Sabe toda a fama desse livro? Não chega aos pés da fama que ele merece.
   A história começa na Hospedaria Marco do Percurso, com seu pacato proprietário, mas algo indica que esse proprietário nem sempre foi tão pacato assim, e depois de descobrir que ele é o protagonista de muitas histórias famosas, um cronista insiste para que ele lhe conte sua história, o que ele concorda relutantemente a fazer, mas diz que precisará de pelo menos três dias para isso, e então somos introduzidos na história da vida de Kvothe.
  Não vou falar nada sobre a vida dele contada porque é muito legal você ir lendo e descobrindo as coisas, ver o amadurecimento do personagem como pessoa artista e simpatista. Uma coisa que você precisa saber sobre a vida de Kvothe, tudo que é possível dar errado, por mais improvável que seja, vai dar errado, me deu muita pena dele no começo do livro, aí ele foi me cativando e comecei a sofrer com ele e não ficar de longe olhando e pensando: "tadinho!"
  O livro traz incontáveis lições, desde a luta para conquistar os sonhos e a velha história de que Dias Melhores Virão.
  A narrativa é agradável e consideravelmente de fácil compreenção, pode ser difícil pegar o embalo no começo porque se trata de um outro mundo, e o autor fez questão de criar esse mundo nos seus mínimos detalhes, o que nos introduz de maneira incrível na história.
  Não é segredo pra ninguém que não simpatizo muito com histórias fantásticas, mas até encaro quando se trata de um outro mundo, onde a magia o coisa e tal acontece em um universo diferente do nosso, e é o que acontece aqui, além de a fantasia não ser exagerada, o que ajudou bastante a me envolver com o livro.
  Na verdade, nada aqui é exagerado (a não ser a letra, é exageradamente pequena) o livro tem de tudo, fantasia, drama, aventura, romance, suspense e mistério, em doses intercaladas e tão bem dosadas que são capazes de agradar quem gosta de determinado tipo de coisa sem aborrecer os que não gostam.
  Demorei cerca de 5 meses para ler o livro, mas as últimas 400 páginas li em cerca de uma semana. Esse, com certeza, é um livro que agradará a praticamente todos, daqueles que você termina e chora por não ter a continuação, mesmo sabendo que ela tem quase mil páginas com uma letra minúscula e que o terceiro livro ainda não foi lançado, o final reserva uma grande surpresa, te deixando curioso sobre persoagens que ao início da leitura pareciam apenas um peso morto.
  Pra terminar que dizer apenas mais uma coisa:

Alguém, pelo amor de Deus me dá a continuação!!!!!!!!!!!!!!

 
  PS: Confesso que negligenciei o livro e larguei ele por um bom tempo quando vi que estava chegando no final, não queria que terminasse.

4 comentários:

  1. Eu já te falei que amo esse livro? kkkkkkkk...Fico feliz que vc tenha gostado, Rudi! Mal posso esperar pra ler o terceiro, mas Rothfuss tá igual o Martin. Demora 20 ano pra terminar um livro!

    PS: tá rolando um sorteio do livro A Garota que Eu Quero, lá no blog! Pra participar é bem simples: basta ser seguidor! Corre lá!

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/2014/11/promocao-ano-novo-livro-novo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Praticamente sempre :p
      Você já leu o A Canção do Silêncio (ou algo assim) pelo que sei é um conto (não chega a 150 páginas) que acontece entre o segundo e o terceiro livros? Estou aceitando o segundo volume de presente tá, você podia aproveitar que é natal né =D

      PS: Já estou participando ;) mesmo já tendo o livro :p

      Excluir
    2. O livro chama A Música do Silêncio, e como vc viu lá no blog, ainda não li. Ainda. É só questão de tempo... hehe

      PS: eu sei que vc já tá participando, mas deixa eu fazer minha propaganda, Rudi! kkkkkkkkkk

      Excluir
  2. Hahaha Adorei sua resenha!! xD
    Já me aconteceu muitas vezes também da leitura começar sem chamar a atenção e depois a gente não conseguir mais largar o livro!! Já vim ler a resenha porque fiquei interessada em ler o livro e agora, depois de lê-la, o interesse só aumentou!! Com certeza vou ler!! :D
    Beijos, Lerissa K. xD
    lerissakunzler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...