terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

[Opinião] Misery - Stephen King


Editora: Suma de Letras

N° de Páginas: 326

Citação:

Ele morria pouco a pouco, mas morrer daquele jeito não era tão mau quanto ele temera. Mas ele também esvanecia, e aquilo era horrível porque era idiota."

Sinopse:
  Sua fã número um.
  Paul Sheldon é um famoso escritor que finalmente encontrou sua maior fã. Ela se chama Annie Wilkes, e é mais do que uma leitora voraz: é a enfermeira de Paul, mantendo-o prisioneiro em sua casa isolada.
  Agora Annie quer que Paul escreva sua obra-prima, mas só para ela. Annie tem vários métodos para incentivá-lo. Como uma agulha. Ou um machado. E, se nada funcionar, ela poderá ficar ainda mais perigosa.

Opinião:
  Annie Wilkes deveria ser trancada no Overlook com Margerete White.
  Acho que todo mundo conhece a história né?! O escritor famoso que é meio que sequestrado por sua fã número um, que é totalmente fora da casinha, obrigado a queimar o manuscrito do livro que ele tinha passado dois anos escrevendo... entre outras coisas que feriam muito mais que seu ego.
  Por falar em Overlook (o hotel assombrado/amaldiçoado/absurdamente capetoso do livro O Iluminado, pra quem não está se situando) achei incrível o fato de citarem que certo personagem foi até aqueles lados para escrever uma matéria sobre o Overlook [porque, pra piorar tudo, a casa/cativeiro onde Paul está trancado fica na mesma região montanhosa que o dito (ou seria maldito?) hotel].
  O livro me surpreendeu já na primeira folha, é fato conhecido que Stephen King adora, e demora para, criar o cenário da história, sendo assim eu esperava que ele nos mostrasse o cotidiano de Paul Sheldon, os lugares que frequentava e esse tipo de coisa para só depois levá-lo ao encontro de sua fã número um. ao perceber que o livro já começava com o escritor na casa dela eu me surpreendi, achei que sentiria falta do enchimento de linguiça de sabor único e incrivelmente bem temperado do mestre, mas ele conduziu a história de uma forma tão incrível que toda a apresentação dos personagens, e consequentemente do cenário, já vieram com um gosto de clímax.
  Uma boa parte do livro se passa com Paul Sheldon sozinho com seus pensamentos, pensando sobre sua antiga vida, sobre seu ofício de escritor, e, obviamente, sobre sua condição atual. nesses pensamentos ele se amaluca um pouco, vemos isso aumentar e se agravar no decorrer do livro, ele tem ataques histéricos de risada e até nós rimos com ele, com algumas observações malucas que ele faz, vemos várias e várias facetas de escritor, que é quase impossível não imaginar que são as mesmas usadas pelo King, na verdade, o livro todo parece um desabafo do autor, me pareceu que ele usou tudo como uma metáfora para os editores que cortam partes que considerava importante do livro (eu li que o manuscrito de Sob a Redoma tinha quase, ou mais, de 1500 páginas) a exigência dos leitores por novas obras, e isso ainda se reforçou pelo fato de eu ter lido o prefácio de À Espera de Um Milagre onde o autor diz que recebia várias cartas de leitores, que iam de ameaça a súplica, para que ele escrevesse o próximo livro da Torre Negra, me pergunto se em algum momento Roland Deschain foi a Misery Chastein do Stephen King.
  Em suma, é um livro envolvente do começo ao fim, que mostra vários artifícios usados por escritores e que dá uma vontade imensa de escrever, e um medo terrível de fazer sucesso, claro que ele tem as partes aterrorizantes características dos livros do mestre que tanto amamos. 


8 comentários:

  1. ele é demais!
    depois de uns meses que li o livro, eu fiquei pensando muito se não foi tudo um desabafo do autor! ah, e foi o primeiro livro do King que eu li! então não conhecia o "enchimento de linguiça", depois que fui conhecer, o que ocasionou que descobri que não curto muito eles. kkkkkk
    enfim, "Misery" foi a melhor leitura de 2013, e não acredito que outro livro venha a tomar o lugar do ótimo livro que li há dois anos!

    gabryel fellipe - quimeras mirabolantes

    ótima, bel resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei seriamente nisso também, mas li em algum lugar uma nota do autor falando que aquilo não era uma experiência de vida nem um desejo secreto (claro, porque todo mundo que leu o livro vai imaginar que o sonho do autor é passar pelo que o Paul passou) apesar de ter gostado pra caramba do livro ainda prefiro O Iluminado e À Espera de Um Milagre, em certos aspectos até A Zona Morta é mais legal...
      Eu adoro linguiça e se considerarmos que ela praticamente só tem "enchimento", pode ter uma noção do quanto eu gosto da construção de cenário do autor, mas entendo quem não tem tanta paciência ;)

      Excluir
  2. Oi, Rudi! Certa vez eu estava lendo uma matéria sobre os livros do Stephen King que foram adaptados para o cinema e eis que me deparo com Misery nessa lista! Assim que li a sinopse fiquei interessado no livro e há um mês atrás (se não me engano) uma amiga minha falou algumas coisas desse livro para mim, o que me fez decidi: Vou ler Misery - Louca Obsessão! Só não sei quando! rs Adorei a resenha! :)

    PS: Essa capa é muito bonita!

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem que você faz Tony ;)
      Depois me conta o que achou ^^

      Excluir
  3. Oi, Rudi,tudo bem?
    Nunca li nada de Stephen King, mas ler a sua resenha despertou em mim uma vontade alucinante, retirando o fato de o livro conter partes aterrorizantes. Porque o medinho aqui bate forte né...rs.

    Beijocas,
    Blog | Youtube | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia Nina, ele é incrível...
      se os aterrorizantes não te atraem tanto tem alguns que não são de terror, apenas um pouco misteriosos, tipo A Zona Morta e À Espera de Um Milagre

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...