sexta-feira, 15 de maio de 2015

[Opinião] Tormento - John Boyne

Editora: Cia das Letras (Seguinte)

N° de Páginas: 81

Citação:
ERRO:
Nenhuma passagem do livro foi considerada relevante/interessante o suficiente, por esse blogueiro, para ser destacada nessa postagem.

Sinopse:
  Danny Delaney estava de férias  e só queria um verão tranquilo. Mas um dia, quando sua mãe volta para casa escoltada por policiais, ele se dá conta de que alguma coisa horrível aconteceu: uma casualidade que vai mudar a vida de toda a sua família.
  Narrado pela perspectiva de um garoto de doze anos, Tormento acompanha o drama de Danny e de seus pais, e nos mostra como as coisas sempre podem mudar, mesmo quando a gente menos espera.

Opinião:
  Ao contrário do que vocês devem estar imaginando depois de ver o que escrevi onde deveria estar um quote do livro, eu não detestei a leitura, também não morri de amores, mas enfim...
  O livro, narrado pelo Danny, um garoto extremamente mimado e chato de 12/13 anos conta a história de como, em um belo dia a mãe se atrasa na volta pra casa e quando finalmente chega ela está escoltada por policiais, aí já sabemos que alguma coisa aconteceu, e ficamos imaginando o que (que se prestarmos atenção a capa, não será surpresa nenhuma quando o "acontecimento" for revelado), felizmente o livro não é sobre esse guri levemente retardado tentando descobrir o que aconteceu naquela noite, isso é logo revelado.
  A história é sobre o que a casualidade (pra usar a palavra da sinopse) afeta todos os personagens da história, e seria ótimo de acompanhar, se não estivéssemos presos na cabeça do protagonista.
  O livro é super curto, eu li ele em cerca de duas horas, contando o intervalo feito na leitura para realizar algumas atividades que a casa (e meu pai) exigiam, no final da leitura você não acha que foi uma perda de tempo, mas também percebe que teria sido um tempo melhor aproveitado se você estivesse, sei lá... dormindo.
  Infelizmente, o único personagem que é realmente aprofundado e desenvolvido é a criança de 12 anos, que assim como Bruno, de O Menino do Pijama Listrado, do mesmo autor, parece ter muito menos idade que isso, são crianças ingênuas, mas não do tipo "ah! Que gracinha, tão inocente, tomara que o mundo não o perverta!" mas sim do tipo: "Criatura tapada, se toca!!!"
  Vemos tudo através do olhar de um personagem egocêntrico, que se preocupa mais com o seu bem-estar do que com o fato de o mundo estar desmoronando para a sua família, uma criança a quem faltou muita surra pra aprender a respeitar os outros e se ater ao seu devido lugar. Sim, admito que em determinados momentos, uns dois, no livro todo, Danny fala a favor de sua mãe, mas em quase todo o decorrer da história ele está pouco se lixando no impacto que os acontecimentos tiveram sobre sua família e se ressente pelo fato dos pais estarem mais preocupados com todos os problemas que o acidente causou do que com ter uma conversa sem sentido com ele ou não ter a atenção que julga merecer.
  Em suma, é a história de uma família que passa por um momento terrível e o filho mimado (que ainda por cima tem ciúmes do irmão e se refere a ele como "o queridinho da mamãe"), egocêntrico e insensível que resolve mandar tudo às favas porque levou um tapa tardio.
  Não, eu não sou a favor do espancamento, nem de crianças nem de adultos, mas um tapa na mão ou na boca, umas chineladas e varadas ajudam a formar um caráter mais decente nas crianças.
  A narrativa do autor já me é conhecida e gosto dela, apesar de não gostar muito de suas histórias, e o que frequentemente me incomoda nelas é exatamente o que me incomodou nessa, personagens que não tem maturidade para a idade (ah, mas uma criança de 12 anos não tem maturidade! Realmente, mas já tem mais noção do mundo ao redor e não é mais tão dependente quanto uma de 5), egocêntricas e mesquinhas.
  A leitura flui rápido e a história seria ótima, se não fosse narrada por esse ser detestável, até agora é o livro que mais gostei do autor, afinal ele transmitiu sentimentos e em certo momento nos mostra o real estado de espírito de cada personagem.
  Como já disse, eu odiei o protagonista mas gostei do livro, e foi o melhor que já li do autor, ainda assim não consegui entender o porquê do autor ser tão amado pelos leitores.


4 comentários:

  1. Oi Rudi!
    Nossa, esse menino deve ser realmente um pé no saco pra tu não ter gostado assim dele. Ainda não li nada do John Boyne mas tenho vontade de ler alguns, também quero descobrir porque ele é tão amado pelos leitores.
    Abraço!
    Leitura Fora De Série

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse guri abusou da minha paciência...
      Se você conseguir descobrir porque tanta gente ama esse cara me avise, já é o terceiro livro que leio dele e até agora não vi nada fenomenal

      Excluir
  2. Oi, Rudi! Tudo bem? Cara eu vi esse livro lá no catálogo da Avon e ia comprá-lo, mas de última resolvi comprar só o "Fique onde está e então corra". Acho que fiz uma boa escolha, pois pelo que vi em sua resenha ia odiar esse garoto! Gente, que menino mas sem noção! Fiquei com vontade de dá uns tapas nele só de ler sua resenha! rsrsrs Adorei a resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também comprei na Avon, e também peguei Fique Onde Está e Então Corra, mas apesar do guri absurdamente insuportável esse foi o livro que mais gostei do autor, dentre os que já li, claro...

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...