domingo, 9 de agosto de 2015

[Opinião] Sono - Haruki Murakami

Editora: Alfaguara

N° de Páginas: 110

Citação:

Estou com trinta anos. Aos trinta descobre-se que isso não é o fim do mundo. Não digo que é agradável envelhecer, mas há de se convir que certas coisas tornam-se mais fáceis com a idade. Tudo é uma questão de ponto de vista."

Sinopse:
  "É o décimo sétimo dia que não consigo dormir."
  Ela era uma mulher com uma vida normal. Tinha um marido normal. Um filho normal. Ela até podia detectar algumas fissuras nessa vida aparentemente perfeita, mas nunca chegou a pensar seriamente nelas. Até o dia em que deixou de dormir. Então o mundo se revelou. Um mundo duplo de sombras e silêncio; um mundo onde nada é o que parece. E onde ela não pode mais fechar os olhos.
  Sono é um conto inédito de Murakami no Brasil.

Opinião:
  Primeiro: sinto muitíssimo por vocês não conseguirem ter a mínima noção do quanto esse livro é lindo pela foto da capa, pessoalmente é muito mais chamativo.
  Segundo: Sei que hoje eu deveria estar trazendo para vocês a "resenha" de Liberdade Crônica, da Martha Medeiros, mas peguei esse livro pra ler, e em menos de uma hora e meia, contando o intervalo para jantar, eu li inteiro (sim: ele ser curto, com letras enormes e cheio de ilustrações ajudou). e simplesmente decidi que tenho que falar sobre ele para o mundo (até reativei minha conta no Habbo para perguntar se alguém já tinha lido e comentar minhas teorias)
  
  Passadas as duas breves explicações, vamos falar do livro em si.
  Como já disse o livro está lindo, com essa capa azul, branca e prata, as mesmas cores usadas nas ilustrações.
  O livro é narrado por uma mulher sem nome, mas que representa uma enorme parcela da sociedade, tanto homens quanto mulheres: uma pessoa aprisionada a sua rotina, vivendo a vida sonolentamente. a vida de praticamente todos é assim, levantar cedo e ir trabalhar/estudar/cuidar da casa de forma mecânica com cada dia sendo uma cópia do anterior e um vislumbre do seguinte.
  A vida dessa mulher também segue dessa forma, até que um belo dia ela simplesmente deixa de dormir. O que no começo parece ser algo útil - muito tempo para inovar e escapar da rotina, ver o mundo enquanto ele dorme, ler Anna Karenina três vezes durante uma semana (a propósito, ela revela coisa demais desse livro pro meu gosto) - acaba se revelando um pesadelo atormentador.
  
  Sem sombra de dúvida, é uma história escrita para nos obrigar a pensar, o que é ótimo, ele levanta várias questões sobre a rotina, o quanto estamos mecanizados, sobre a morte e o que espera por nós do outro lado, sua inevitabilidade e porque a tememos tanto, mexe com a mente mostrando que é algo que se desgasta e uma hora vai nos deixar na mão, que acumulamos muita informação desnecessária e chegará o dia que não conseguiremos mais guardar nada.
  Em determinado momento o autor praticamente implora para que leiamos nas entrelinhas, o que realmente é de imensa importância no caso desse livro, de todos na verdade, mas pela forma como esse é concluído, se você não ler ele nas entrelinhas vai achar a pior coisa já escrita.
  Eu estava curtindo a leitura cada vez mais e quando virei uma página... tinha acabado, eu estranhei, voltei,li de novo, tive um impulso de reler o livro todo, só reli algumas partes e o final continuava sem fazer sentido, continuava não sendo um final. Pensei na leitura e comecei a juntar algumas coisas, até que uma luz se acendeu e eu finalmente entendi e... caramba, que livro. Ele é simplesmente assombroso, perturbador... e genial, pura e simplesmente genial.

  Se vocês forem acatar a apenas um conselho meu que seja esse: leiam esse livro, mas leiam com atenção, preparados... nas entrelinhas.


STATUS: Apaixonado por literatura japonesa (sim, só com um livro, sou facilmente conquistável... nesses casos)


4 comentários:

  1. Quanto tempo não leio uma bela resenha de Rudimar!
    Fiquei com uma sede estranha de correr atras desse livro e ler ele como você leu, sabendo que as letras grandes, as poucas páginas e as ilustrações vão me ajudar a lê-lo num tempo parecido com o sei, mas ciente que a intensidade só será encontrada nas entrelinhas - ah, eu fiquei assombrado com a capa, gosto de capas assim,que me dão medo, mas um medo curioso.

    gabryel fellipe - colecionador de histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa não me deu medo, achei ela linda. Mas a história não é linda, é incrível, mas quando entendemos tudo... ela é terrível

      Excluir
  2. Oi, Rudi! Tudo bem? Eu não gostei muito da capa desse livro... Achei ela meio feia! rs Mas menino, eu fiquei muito curioso para ler "Sono"! Gosto bastante dessas obras que incitam o leitor a meio que deduzir o que aconteceu, justamente por ficar com essa sensação que você relatou (de que o livro é genial e tal...) ! Espero ler a obra em breve, pois ela me chamou a atenção e sua resenha despertou o meu interesse! :)

    PS: Esse é um livro com ilustrações ou uma graphic novel?

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Tony, eu comprei pela capa e pelo autor, porque sempre tive curiosidade de ler algo dele, e não me arrependi... emprestei o livro pra Carol e ela achou a mesma coisa que eu... que ele é incrível... provavelmente ele será "sorteado" (entre aspas porque tenho planos de fazer algo diferente mês que vem) ano que vem... vai que você ganha (sem risos gente... sempre tem uma primeira vez)

      PS: É um livro com ilustrações mesmo

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...