quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

[Opinião] 'Salem - Stephen King

Editora: Ponto de Leitura (Suma de Letras)

N° de Páginas: 571

Quote:
Para as crianças, chegou a hora de dormir. Hora de serem colocadas nas camas e berços por pais que sorriem quando elas pedem para ficar acordadas só mais um pouquinho ou para deixarem a luz acesa. E os pais abrem armários pacientemente, mostrando que não há nada dentro deles. Mas, em torno dos moradores, a bestialidade da noite irrompe em asas tenebrosas. A hora do vampiro chegou."



Sinopse:
  Ninguém será capaz de esquecera maldição de 'Salem's Lot
  Ben Mears havia jurado nunca mais pôr os pés em Jerusalem's Lot. A cidadezinha da Nova Inglaterra onde ele passou quatro anos de sua infência foi palco de horrores que lhe tiram o sono.
  No verão em que Ben, finalmente preparado para exorcizar seus próprios, decide voltar a 'Salem's Lot - como a cidade é conhecida por seus habitantes -, descobre que o mal que ele pensava estar sepultado ainda vive, e precisa ser destruído.
  Junto com Ben, chega à cidade um enigmático forasteiro, trazendo consigo um segredo antigo e maligno que mudará para sempre a vida de todos em seu caminho. Segundo romance do mestre do horror Stephen King, é um livro cujo suspense quase hipnótico evolui para um clímax de terror clássico.

Opinião:
  Talvez esse seja o melhor livro, dentre os que são voltados para o terror, que eu já li do autor.
  Começamos a história acompanhando um homem e um menino, que só teremos certeza de quem são da metade pro final do livro. Esses dois viajam pelas redondezas da dita cidade de Jerusalem's Lot, sem nunca chegar muito perto, mas sempre buscando informações sobre aquele lugar. Lugar esse que agora é tido como uma cidade fantasma, afinal todos os moradores desapareceram misteriosamente e sem deixar rastros, claro que algumas dessas pessoas foram encontradas, espalhadas pelo país, mas nenhuma delas aceita falar sobre o que realmente aconteceu para a cidade ser abandonada, sequer querem lembrar de que já pisaram naquele solo.

  Depois voltamos um pouco no tempo e somos apresentados a dita cidade, uma cidade pequena, com todas as características de uma cidadezinha, todos se conhecem e todos fofocam sobre a vida uns dos outros. Conhecemos então Susan, que está sentada no banco de uma praça lendo um livro e ao levantar os olhos da de cara com, olha só, o autor do livro que está lendo. Mas o que um autor relativamente famoso estaria fazendo naquele fim de mundo esquecido por Deus?
  Ben Mears, o dito autor, passou um tempo de sua infância em 'Salem's Lot, vivendo com uma tia, e teve uma experiência traumatizante, que perturba seus sonhos até os dias atuais, em uma mansão que fica em uma colina próxima a cidade. Agora decidiu voltar ´para lá e se possível ficar hospedado na dita mansão. Masoquista? Não. Ele quer fazer isso para se livrar dos traumas e se surgir alguma inspiração para um novo livro melhor ainda. Mas ao chegar na cidade ele descobre que a casa foi comprada por dois estrangeiros que pretendem abrir uma loja de antiguidades na cidade. Ben acaba ficando em uma hospedaria e, com o restante dos habitantes da cidade acaba fazendo parte dos terríveis acontecimentos que se sucederão.
  O livro é incrível, já falei isso? Mas acho que foi um erro ele ter sido publicado anteriormente como A Hora do Vampiro (apesar de ter vários trechos usando essa frase, todos no estilo do que eu destaquei no início da postagem), digo um erro porque tira um pouco do suspense da história, por metade do livro coisas estranhas vão acontecendo mas não sabemos exatamente o que está acontecendo (na verdade sabemos, mas justamente por causa do antigo título).
   É um livro de suspense que cumpre muito bem o seu papel, o desespero dos personagens vai aumentando e o leitor vai ficando angustiado e curioso até chegar ao clímax.
  É também uma homenagem ao vampiro clássico, sem toda aquela besteira que nos é apresentada em Crepúsculo ou em A Caçada. Mas não é só entretenimento. O livro vai tratar sobre cuidados com crianças, a disposição do ser humano em ajudar seus semelhantes, o perigo da ignorância e sobre acreditar no que segue. Em um confronto entre o vampiro e o padre da cidade o vampiro fala que não se detém diante da autoridade do padre pois nem o padre acredita no que está dizendo, que para ter autoridade para usar o poder divino deve-se ter fé, e a fé do padre já não existe.
  Em suma, é um livro repleto de personagens, que nos envolve e nos hipnotiza para que continuemos a leitura. 






3 comentários:

  1. Ai Rudi, não vejo a hora de ler esse... Infelizmente só no e-book :( mas já tá valendo né.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale sim,
      Também estou lendo bastante e-books ultimamente, eles são bem práticos ^^

      Excluir
    2. São né, aqui se o Isaac ver um livro já quer pegar, daí o que me resta é ler no celular mesmo... agora to lendo A filha perdida, da Elena Ferrante ;)

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...