domingo, 25 de agosto de 2019

[Opinião] Inteligência Humilhada - Jonas Madureira #237

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog
Editora: Vida Nova

N° de Páginas: 336

Quote:
"Na contramão do disfarce platônico está a inteligência humilhada do cristão. E não confunda ''inteligência humilhada'' com sacrificium intellectus [sacrifício do intelecto]. O cristão não pressupõe a morte da razão. O que ele pressupõe é a consciência de que a razão é insuficiente. Nesse sentido, podemos dizer que o cristão exige bem menos do que a autonomia da razão, porém bem mais do que o sacrifício do intelecto. Para o cristão, o que de fato está em jogo é a constatação de que a inteligência humana é insuficiente para conhecer, por si só, a verdade total. Ou seja, para chegar ao conhecimento verdadeiro, a razão depende de um poder que a transcende, que ultrapassa seus limites.''
 
Sinopse:
  Inteligência Humilhada é fruto de uma cuidadosa reflexão sobre como se relacionam o conhecimento de Deus e os limites da razão humana. Além disso, é o resgate de uma tradição do pensamento cristão que sempre se recusou a reduzir o debate entre fé e razão nos tempos do racionalismo ou do fideísmo. A finalidade do conceito de "Inteligência Humilhada" é despertar o interesse por uma razão que ora e uma fé que pensa.
  Seguindo o conselho de João de Salisbúria, Jonas Madureira subiu nos ombros de cinco gigantes da tradição cristã: Agostinho de Hipona, Anselmo de Cantuária, João Calvino, Blaise Pascal e Herman Dooyeweerd. Todos eles serviram de ponto de partida e fundamentação do conceito. Ao longo deste livro, essas cinco vozes, sobretudo a de Agostinho, são ouvidas nos mais diversos assuntos: teologia propriamente dita, revelação natural, problema do mal, gramática da antropologia bíblica, formação de um teólogo entre outros.

Opinião:
  Vamos começar com a única reclamação: não gostei da capa :p
   Enfim, esse livro chegou até mim através da Box95, um serviço de assinatura que manda uma caixinha cheia de coisas, entre elas um livro, é um clube de literatura cristã reformado então os livros seguem nesse segmento da teologia, mas como eu já disse em algum lugar, meu conhecimento teórico sobre teologia é bem parco, nem sei muito bem a diferença entre calvinismo e arminianismo, o pouco que sei faz com que eu fique entre os dois.
  Enfim (eu tenho um sério vício com essa palavra), aqui o autor - que entre outras coisas é pastor da Igreja Batista da Palavra em São Paulo, bacharel em teologia, bacharel, mestre e doutorado em filosofia e professor titular de Teologia Sistemática, entre outras - vai discorrer sobre a velha briga Fé versus Razão, e mostrar que as coisas não são auto excludentes, muito pelo contrário, a razão e a fé são como duas pernas, ambas são necessárias para uma caminhada equilibrada.
  Como diz na sinopse, o autor vai defender uma fé que pensa e uma razão que crê e mostrar que a Bíblia em momento algum fala de cometer suicídio intelectual para ingressar em um relacionamento com Deus. Deus quis se manter no campo da fé para que fôssemos livres para escolher ou não acreditar. Podemos, inclusive, pegar dois versículos para corroborar este parágrafo:
"Meu povo foi destruído porque lhes faltou conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim[...]"Os 4:6
"Os céus declaram a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra de Suas mão"Sl 19:1 
  Então o autor vai mostrar, usando a Bíblia e também grandes nomes da cultura cristã, que Deus sempre incentivou o conhecimento, a busca pelo conhecimento e que desprezava quem desprezava o conhecimento. Claro que em um mundo de humanos falhos muitos ainda fazem isso e incentivam que outros o façam dizendo visar uma vida mais "santa", o que é uma mentira, biblicamente falando. Não entraremos no mérito de existirem aproveitadores no meio cristão, existe charlatão em tudo que é canto desse mundo, inclusive, muito provavelmente, até nas estações espaciais que orbitam ele.
  O autor vai tratar também a respeito a arrogância de quem diz conhecer a Deus totalmente, algo que não é humanamente possível, conhecemos o que Ele decide nos revelar e é muita presunção acreditar que isso é o todo, se Deus coubesse no entendimento humano ele não seria Deus.
  É um livro que, mesmo bastante calcado na filosofia e teologia e deveras erudito não é difícil de ler, ele é sim um livro lento e denso, mas não tem nenhuma página desperdiçada.
  Finalizando, e reconhecendo que não passei nem dois por cento do que é explanado nesse livro, o autor nos mostra que não precisamos humilhar a nossa inteligência e conhecimento diante de Deus, só precisamos ter consciência de que eles já estão completamente humilhados frente a grandiosidade do conhecimento e glória de Deus.
  O livro pode dar um certo medo, a princípio, mas é de leitura extremamente agradável, embora lenta e bastante elucidativo, talvez um pouco cansativo, sim, sejamos sinceros, mas que vale cada página.





  O autor tem várias pregações no YouTube, vou deixar um vídeo de uma das minhas favoritas aqui, para quem tiver interesse.



4 comentários:

  1. Oi Rudi, deu para ter noção do livro. Quero muito ler. Se você morasse perto ia pegar emprestado, esse e mais uns 10 hahaha

    "inclusive, muito provavelmente, até nas estações espaciais que orbitam ele." kkkkk

    Te encorajo fortemente, busque conhecer mais de teologia. Uma dica: leia Confissões de Agostinho, pode ser um bom começo intencional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele fala muito do Confissões de Agostinho nesse livro, vou colocar na minha lista

      Excluir
  2. Olá, pelo o que entendi o autor discorre no livro temas caros à Apologética. Caso goste do assunto e queira se aprofundar um pouco mais nesses tópicos recomendo as obras: Apologética para a glória de Deus, de Jonh Frame; Apologética cristã no século XXI, de Alister McGrath;e Apologética Cristã, de Cornelius Van Til. A meu ver também concordo com a opinião dos teóricos que razão e revelação divina caminham juntas. Elemento comum dos apologetas é em suas palestras ou mesmo introduções as suas obras citar 1 Pedro 3:15 - "antes, santificai a Cristo, como Senhor,em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em voz." Obrigado por nos dar essa indicação de leitura, título anotado na lista de futuras aquisições. Boas leituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas indicações, vou acrescentar na lista infinita hehe.
      Já li um livro do McGrath, a biografia de ele escreveu do Lewis

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...