domingo, 1 de setembro de 2019

[Opinião] O Alforje - Bahiyyih Nakhjavani #239

https://www.skoob.com.br/o-alforje-754403ed757763.html
Editora: Dublinense (Edição exclusiva da TAG: Experiências Literárias)

Nº de Páginas: 328

Quote:

"No breve momento que antecede morte, ele entendeu que, se conseguisse pelo menos apreender o sentido daquelas palavras que o chamavam, seria sempre livre. Com uma doçura cortante, que interrompeu seu último alento, a voz do mercador chegou até ele, cantando. A voz do mercador invocava a misericórdia de Deus. Ele estava rezando em nome do Ordenador que perdoa os pecados. Rezando por ele."

Sinopse:
  Ao contrário do que se diz, o deserto é um território fértil. Ao menos para Bahiyyih Nakhjavani, que, a partir de uma trama complexa, faz convergir nas areias árabes um grupo de personagens que têm suas trajetórias costuradas por um misterioso alforje. Uma noiva que viaja para encontrar o futuro marido, um padre em peregrinação, um beduíno de alma livre e uma escrava falacha são alguns dos retratos que a autora pinta com maestria e profundidade. Ainda que tenham origens, crenças e desejos muito diferentes, todos os viajantes terão a vida transformada pelas escritoras sagradas.

Opinião:
  Esse livro foi uma das experiências marcantes dentre as que me foram proporcionadas pelo clube. Pra quem sabe da existência do canal no youtube viu que postei um vídeo fazendo meu TOP10 dos livros da TAG, e resolvi falar sobre esses livros, e como a Kelly disse que preferia por escrito (obrigado, opiniões em vídeo são complicadas) as próximas postagens serão sobre esses livros na ordem que eu os li (exceto O Xará e O Sonho dos Heróis, que já tem postagem sobre eles).
  Enfim, voltando ao porquê desse livro ter me marcado tanto, um pouco por tudo que aconteceu na minha vida enquanto eu lia, o cheiro do brinde ficou gravado nas minhas narinas até hoje e sempre que eu penso em perfume eu lembro desse livro. além disso ele foi o único livro de autor iraniano que li até hoje.
  Como se não bastasse tudo isso, o livro tem uma forma de narrativa que nunca vi igual. A história é basicamente uma caravana atravessando o deserto, uma tempestade e um bando de ladrões, essa é a história, que será contada por nove pontos de vista diferentes, vou começar falando que a minha favorita foi a escrava.
  Ao contrário do que você pode imaginar, o livro não se torna repetitivo a ponto de ser enfadonho, cada personagem age de forma diferente, as histórias se cruzam, até porque todos estão em algum lugar dessa tempestade, a autora faz questão de nos apresentar cada personagem, esmiuçando seu caráter e nos deixando a par de suas histórias, fazendo com que desenvolvamos sentimentos pelo personagem antes de ele ser colocado em contato com o dito alforje, todos os nossos nove protagonistas terão o alforje em suas mãos em algum momento, cada um terá uma percepção diferente de seu conteúdo.
  A forma que a autora desenvolve e dá uma voz diferente e tão particular para cada um dos personagens faz com que nos envolvamos na história, sofrendo com alguns e desejando uma morte lenta e dolorosa para outros.
  É um livro que trata de crenças, lealdade e de como cada pessoa interpreta um mesmo evento de formas diferentes. Consegue fazer uma história relativamente longa, que se passa quase que exclusivamente no meio do deserto, ser incrivelmente envolvente e cativante.
  Um livro que sai do comum, apresenta uma cultura diferente e encantadora além de entreter quem gosta de aventura, de mistério e também aqueles que adoram uma história cheia de mortes. Só tirei uma estrela pois é um livro incômodo em alguns momentos.

https://www.skoob.com.br/autor/23043-bahiyyih-nakhjavani

2 comentários:

  1. Oi Rudi. Vi muitas pessoas comentando sobre esse livro na época, e todas elas pareceram gostar muito. Ler essa resenha me deixou ainda mais curiosa. É uma pena que essas edições são difíceis de conseguir. Mas se tiver oportunidade, vou ler com certeza.

    Acho muito legal você colocar a foto do autor nas postagens. Ver a autora sei lá, me deixou mais curiosa - e também porque lendo o nome não dava para saber se era homem ou mulher.
    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro realmente muito interessante, acho que você iria gostar, mas duvido que morra de amores, hehe
      Quando vi o nome da autora eu imaginei que era mulher (na verdade eu já sabia hehe)minha dúvida era como pronunciava

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...