quarta-feira, 6 de novembro de 2019

[Opinião] O Pródigo - Brennan Manning e Greg Garrett #254

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog
https://www.skoob.com.br/o-prodigo-549632ed559863.html
Editora: Vida

N° de Páginas: 250

Quote:

"Eu me importo, Jack Chisholm, porque estive onde você está. Porque acredito que o que está acontecendo em sua vida enquanto conversamos é aquele segundo chamado, o chamado que definirá quem você é de agora em diante."

Sinopse:
  Jack Chisholm é "pastor de pessoas" e lidera uma megaigreja. Tem diversos livros best-sellers e um slogan memorável: "Você pode fazer melhor". É pregador habilidoso, mas se tem algo de que ele não sabe nada é sobre a graça. Este ano, porém, próximo ao Natal, a congregação da Catedral da Graça olhará para o púlpito, e Jack não estará lá, mas já terá sido muito visto - nos noticiários.
  Depois de uma noite de devassidão que culmina em um romance com sua bela assistente, Jack Chisholm fica solitário numa velocidade deprimente. Os anciãos da igreja  o retiram do púlpito, os editores retêm seus direitos autorais. E, pior de tudo, sua esposa desaparece com sua filha. Mas, enquanto Jack está chegando ao fundo do poço, desesperançoso e paupérrimo, bebendo para se esquecer dos problemas, quem além de seu pai que tem os braços estendidos apareceria implorando ao filho pródigo: "Volte para casa"?
  O p´rodigo, livro que verdadeiramente acompanha O Evangelho Maltrapilho, ambém de Brennan Manning, ilustra o poder da graça por meio da história de um homem quebrantado que finalmente viu a Jesus, não porque pregava seu melhor sermão ou escrevia seu livro mais poderoso, mas porque miseravelmente falhou. Jack Chisholm perdeu tudo, mas encontrou a graça. A mesma graça que Brennan Manning devotou  toda a sua vida a compartilhar: profunda em natureza e vinda de um Deus que nos ama como somos, não como deveríamos ser.

Opinião:
    Vou começar com essa música, porque ela é o grito que todos nós deveríamos dar, e é também o grito do protagonista desse livro... depois de uma certa resistência.
  Essa é a minha segunda experiência com o autor escrevendo ficção, o outro livro ficcional dele que li foi Colcha de Retalhos: A história da minha história, para o qual não fiz postagem aqui (sorry).
  A própria sinopse, que coloquei acima, já é, por si, uma resenha do livro, então nem vou falar tanto. Aqui temos nosso protagonista, pastor fundador de uma igreja gigantesca que foi fundada em cima de uma teologia meritocrata, e sua eloquência o fez se tornar famoso... um belo dia ele vai para uma conferência no México e depois que o evento termina ele sai com a sua equipe e acabam bebendo além da conta e cai em adultério com a sua assistente, fato que se espalha como fogo em poça de gasolina, logo a credibilidade dele vai a zero e ele está apodrecendo em um quarto de hotel quando seu pai aparece para leva-lo para casa.
  Jack estava há anos sem falar com o pai devido a um desentendimento entre eles que ocorreu no velório de sua mãe, aqui já vemos que Jack não era o ser supremo livre de qualquer erro e totalmente puro que aparentava mesmo antes do adultério e de isso ter se tornado público.
  A partir daí o livro vai narrar o processo de cura de Jack, onde ele será perdoado e aprenderá a perdoar, onde o remorso e vergonha se tornarão arrependimento genuíno e onde Jack não irá se reerguer, mas será reerguido e passará a conhecer e pregar a graça que antes ele desconhecia, apesar de o nome da igreja que fundou ser, ironicamente, Catedral da Graça.
  É uma história interessante e envolvente, chega até a ser emocionante em alguns momentos, mesmo sendo bastante previsível, tem muita cara de filme e a escrita do autor é bem visual, assim como em Colcha de Retalhos, mesmo a história sendo tão diferente, já que esse outro é quase uma fábula.
  A edição, como falei na postagem sobre Atrevi-me a Chamar-lhe Pai, da mesma editora, padece de um acabamento melhor, mas o material da capa deste é mais resistente e de melhor qualidade.
  É um livro que parece ter sido feito para ilustrar o que o autor diz em O Evangelho Maltrapilho, que Deus não nos ama pelo que somos, mas pelo que Ele é.
https://www.skoob.com.br/autor/984-brennan-manning

2 comentários:

  1. Oi Rudi!
    No ano passado a minha irmã ganhou de um amigo "O Evangelho Maltrapilho" e o "Impostor que vive em Mim". Ela leu esse do impostor e falou muito na minha orelha rsrs do quanto esse livro é bom. Duas amigas minhas leram também Evangelho Maltrapilho e falaram bastante também.

    Enfim, esse é um autor que eu tinha (porque já passou) um ranço sem ler, como eu tenho também do Max Lucado sem nunca ter lido - tipo um comentário confessional kkk, não me julgue.

    Estou contando isso, para reforçar a importância das indicações, das conversas sobre livros seja na internet ou fora dela. Quando eu chegar ler Brennan Manning, gostando ou não, será por causa de resenhas como essa sua hoje.

    Outra coisa que queria registar aqui, é que lendo sua resenha lembrei muito de "O Resgatado, de John Bevere", a história tem essa questão de adultério de um pastor também, é muito interessante.

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, próximo passo: derrubar seu ranço de Max Lucado, haha
      O Evangelho Maltrapilho e O Impostor que Vive em Mim são os meus favoritos dele, O Impostor foi um dos livros divisores de águas na minha vida.

      Coloquei O Resgatado no kindle por sua causa, agora só falta ler hehe

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...