domingo, 10 de novembro de 2013

Semana Especial Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada



"É como quem tira um espinho de um lugar doloroso. Dói a valer, mas é bom ver o espinho sair."
  Meu Deus... que final incrível foi esse, óbvio que eu não vou contar, mas esse foi o melhor último capítulo de todos até agora, é claro que fiquei triste por uma coisinha que aconteceu (muito parecida com a "coisinha" que aconteceu no final de Príncipe Caspian) mas foi incrivelmente ótimo.
  Os pais dos 4 reis e rainhas filhos de Adão e Eva foram para os Estados Unidos e a única que os acompanhou foi Susana, Pedro foi ter aulas "especiais" com o professor Kirke (que, se é que alguém não sabe, é o nosso, literalmente, velho amigo, Digory... também conhecido com Sobrinho do Mago) e Edmundo e Lúcia foram para a casa de uns tios, não muito gente boa, que tem um filho, muito mais chato do que Edmundo foi um dia.
  Nessa casa eles passavam a maior parte do tempo um com o outro (porque, como já mensionei, o resto das pessoas da casa eram detestáveis) e falavam muito sobre Nárnia, numa dessas conversas, o insuportável primo deles, Eustáquio, os surpreende. E então começa a chateação (já disse que ele era insuportável?)... aí acontece uma série de pequenos evento (pequenos eventos?) Que acaba levando os três a Nárnia, onde eles encontram o rei Caspian em seu barco ( o Peregrino da Alvorada, daí o nome) e ficam sabendo que ele está em uma viagem até o fim do mundo (acredite ou não, literalmente) para encontrar os ... sete fidalgos? Já não lembro direito quantos são mas são os fidalgos enviados por Miraz (ou pelo irmão... já não me lembro dessa parte também) pouco antes de usurpar o trono e nunca mais foram vistos.
  Apesar de achar essas histórias que se passam em sua maior parte dentro de um barco meio enfadonhas, eu gostei muito dessa, eles passam por várias ilhas, muitas delas desconhecidas até então, e cada ilha é uma microhistória (deve haver um nome melhor para isso mas eu desconheço).
  A narrativa, em alguns momentos, volta a ser toda infantilzinha, e em todas as histórias havia uma pulguinha atrás da minha orelha que fez ninho nesse livro/parte... quem é o narrador? Em algum momento ele vai se revelar?
  Não acho que tenha sido melhor que Principe Caspian, afinal não tem a Susana, mas acho que foi tão bom quanto... com um final ainda melhor, pra quem ainda tinha dúvida de o que Aslam representa em Nárnia depois desse final... poxa... leiam e pasmem (não que eu não soubesse mas mesmo assim adorei o final).


Nenhum comentário:

Postar um comentário



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...