domingo, 3 de abril de 2016

[Leituras do Ano] As 5 Melhores e as 3 Decepções (Carol version)

E aí?
Quanto tempo, não?
Estou aqui, feliz da vida porque fui convidada pelo Rudi (que resolveu esfregar na minha cara que é meu chefe por aqui, e que não me paga nada por isso rsrs) a escrever minha própria lista de leituras do ano de 2015 \o/. Não preciso nem dizer como fiquei empolgada com isso... se vocês pudessem ver meu rosto com certeza saberiam... e logo fui para a minha estante, separar “meus preciosos”.
Minha lista não é muito longa, houve muitos livros que eu gostei – mais ainda que não curti tanto assim – mas sempre escolho como preferidos aqueles que permanecem na minha cabeça mesmo depois de muito tempo... o que me levou a escolher cinco exemplares como melhores, e três como piores.
Então vamos lá...
Os melhores são:


Quinto lugar: A síndrome E – Franck Thilliez


  O que me levou a ler esse livro não foi a sinopse, nem a capa ou alguma recomendação. Eu simplesmente comprei porque tinha uma superpromoção em um site, e se eu levasse cinco livros pagaria 50 pilas neles! Como não sabia qual pegar para compor os cinco, acabei com esse... e por Deus, não me arrependo.
Talvez vocês me achem inexperiente no mundo do suspense – e com razão – mas nunca li um livro com tanta tensão entre as linhas quanto nesse. Embora preferisse outro desfecho, não consegui deixar de me impressionar com a precisão da escrita do autor, além da forma como a sua narração me prendeu. Eu roía as unhas enquanto lia! E só por ele me deixar acordada a noite, tentando descobrir o mistério do filme antigo e assustador... ele merece o quinto lugar.


Quarto lugar: Toda Luz Que Não Podemos Ver - Anthony Doerr


  Eu amo romances históricos e tenho certa obsessão pela Segunda Guerra Mundial. Misturando isso ao fato de que o autor conseguiu a proeza de escrever personagens peculiares, inteligentes e instigantes, Anthony Doerr conseguiu me conquistar com sua narrativa. E por falar em narrativa... Meu Deus, que narrativa! Ele me abocanhou com seu jeito de escrever, e conforme eu lia, sentia que era parte das paredes da casa alta e estreita da Rue Valborel nº4, acompanhando Marie-Laure com os olhos enquanto a menina cega vagueava com sua bengala por aí, explorando as ruas de Saint-Malo. Outrora me sentia como se fosse um radio velho sendo manuseado por Werner, observando seu porte pequeno e cabelos brancos, enquanto sua inteligência o levava para um caminho sem volta ao ganhar uma vaga em uma escola Hitlerista.

Durante a leitura eu quase conseguia sentir o gosto da comida, o cheiro da fumaça. Via os corpos se amontoando pelas ruas através dos olhos dos personagens. Eu vi a guerra pelos olhos de um garoto alemão nazista, vi a guerra através dos sentidos aguçados da adorável Marie... E até hoje, tento me recuperar da profusão de sentimentos que a leitura me causou.

A capa é linda, o titulo é perfeito e a história é magnifica. Sem mais!


Terceiro lugar: Caixa de Pássaros - Josh Malerman


  O único livro que havia me feito ter medo de algo na vida real era O Cemitério de Stephen King (sim... por culpa dele tenho medo de gatos), pelo menos até eu ler este precioso aqui. Porque a atmosfera de terror que o autor injeta nas palavras com relação ao desconhecido é tão real, que até hoje, meses depois de ler, eu ainda sinto um arrepio na coluna quando me vejo obrigada a caminhar pelo escuro, sem poder enxergar nada.
Paranoica? Talvez... mas tente ler esse livro de madrugada como eu fiz, tente!

Segundo lugar: O Segredo de Jasper Jones – Craig Silvey


  Em uma monótona noite quente do ano de 1965, em Corrigan, Charlie Bucktin é despertado por batidas em sua janela. Para a sua surpresa, o visitante é Jasper Jones, o garoto visto como má influencia pela cidade, e que pede sua ajuda. Sem pensar, Charlie segue Jasper até uma clareira, e lá se depara com um terrível segredo que se vê obrigado a guardar.

Apesar do titulo retratar Jasper Jones, o livro é narrado em primeira pessoa por Charlie. É a partir do ponto de vista dele que vemos o desenrolar da história, e como se resolve o terrível segredo de Jasper, que acaba por ser o pano de fundo para o verdadeiro tema da história. Aqui o autor disseca o racismo, a intolerância... entre outras formas de preconceito.
Esse foi mais um achado das minhas andanças pela internet, e foram os sete pilas mais bem investidos da minha vida. Confesso que comprei sem pretensão nenhuma, e que o preço foi o maior atrativo, mas foi uma agradável surpresa ter tropeçado nele sem querer.


Primeiro lugar: Por lugares Incríveis – Jennifer Niven


  Eu não sei por que escolhi esse livro. Sério.
Ele me fez cair em depressão por umas duas semanas, terminei a leitura chorando horrores, mas ainda assim... ele acabou parando em primeiro lugar.
Mas por Deus, eu nunca me vi torcendo tanto por um personagem, e nunca me emocionei tanto lendo uma nota de algum autor. O tema é pesado, o livro em si é polemico, mas apesar de tudo, eu consegui encontrar beleza nele. Talvez o que me tenha levado a essa conclusão fora a verdade de que, por mais que se ame alguém, isso nunca vai ser o suficiente para esse alguém mudar. Você precisa fazer alguma coisa, agir de verdade, para salvar as pessoas.

Antes que eu (re) comece a chorar, vamos aos piores... Espero não ser apedrejada pelo que vou falar agora, mas vamos lá:

Terceiro lugar: A Namorada do Meu Amigo – Graciela Mayrink


  Sei o que você está pensando... são tantos os elogios para esse livro! E não é que ele tenha sido tão ruim assim – houve leituras nas quais me arrastei muito mais – mas como disse antes, sempre escolho, seja pro bem ou pro mal, aqueles livros que me fazem pensar neles por muito tempo. Talvez meu maior problema tenha sido a expectativa de que seria uma leitura ótima, animada por conhecer uma autora brasileira, mas o fato é que a decepção foi forte.
  Não consigo gostar da história. Minhas desculpas à autora, mas não consegui engolir o enredo.
 Em primeiro lugar, o personagem principal, Cadu, que é descrito pela autora como o nerd introvertido que não consegue chegar nas garotas, é na verdade o pior tipo de canalha e de nerd tímido não tem nada. Passa a história toda tentando justificar suas idiotices o que me levou a questionar se a autora estava subestimando a inteligência do seu leitor. Para piorar, o livro trás diversos trechos machistas, situações forçadas demais, e personagens rasos.
  Além do mais, qualquer livro que tente vender para mim um amor á primeira vista, vai ter que se esforçar muito para me fazer gostar dele. Na cena em que Cadu vê a namorada do amigo pela primeira vez, só faltou ser jogado purpurina nas páginas... Não. Desculpe, mas não deu para mim.
História fraca, previsível, e sinto dizer que, por mais de uma vez, beirando a infantilidade.
Por estes motivos, dou a ele a terceira colocação. 
  Comentário do carrasco explorador: Entendo a indignação da Carol, Cadu realmente ficou devendo bastante no quesito nerd tímido. Mas a história não foi feita, a meu ver, como uma figura do amor que permeia o coração humano. É uma história despretensiosa para distrair, e nesse quesito ela cumpre seu papel. O Cadu vai te incitar ira em alguns momentos, com certeza! Mas ainda curto o livro.

Segundo lugar: Todo Dia – David Levithan


  Juro que desisti desse autor. Sério.
  O primeiro livro seu que li foi Will E Will, escrito ao lado de John Green. Não vou mentir para vocês, eu realmente gostei da leitura, mas se o personagem escrito por ele já era extremamente chato lá... então imagine o “A” desse livro. Não entendeu? Vou explicar:
  Todo dia A acorda em um corpo diferente, em uma vida diferente. Não há qualquer aviso sobre quem será ou onde estará em seguida. De uma menina a um menino, rebelde a certinho, tímido a popular, saudável a doente. A precisa se adaptar.
  Pelo menos até conhecer uma garota que não consegue esquecer... então A começa, de todas as formas, correr contra o possível para ficar junto dela.
  O que me fez comprar foi a premissa, que eu achei interessante. O autor explora aquela duvida adolescente de “quem eu sou”, mas de um modo bem diferente e peculiar. Juro que o projeto em si tinha tudo pra me fazer gostar, mas foi colocar no papel...
  A história se arrasta. Não existe outro modo de explicar. Às vezes eu tinha vontade de colocar agulha nos olhos da agonia que me dava por não acontecer mais nada além de A acordar no corpo de alguém e correr achar a garota por quem havia se apaixonado. O livro todo é isso, repetição após repetição, para no fim, depois de tanto sofrer... ele simplesmente acabar. Agora eu pergunto: qual o seu problema com finais, Sr. Levithan?

Primeiro lugar: Cinquenta Tons Mais Escuros – E. L. James

  Eu li o primeiro... com muito esforço... em Dezembro de 2014, e adoraria falar o quanto odiei esse, mas ele não se enquadra na lista, então vamos falar sobre a continuação mesmo, que até hoje tento entender o porquê de ter me dado ao trabalho de ler.
  Eu não fazia ideia do que esperar quando peguei o primeiro da trilogia, a internet se dividia entre um amor e ódio infinito, e cheguei à conclusão de que precisaria ler para tirar minhas próprias conclusões. O ponta pé inicial foi a indicação de uma amiga de uma amiga minha, que dizia ser incrível, que o personagem principal era “lindo”, que o amor todo era maravilhoso e toda essa baboseira.
  Nunca mais sigo uma indicação daquela garota, porque para achar o famoso Sr. Grey lindo e romântico, precisa ter algum nível de desequilíbrio... sem ofensas aos fãs.
  A história é mais do mesmo, a autora pinta uma mocinha que não vê beleza nenhuma em si mesma, mas que não pode ser vista por homem nenhum. Nos trás um homem rico, poderoso e doente, que fica completamente obcecado por essa mocinha sem graça e sem personalidade, e que beira a insanidade enquanto corre atrás dela.
  A história é bem machista, os parágrafos são muito infantis, os diálogos beiram o patético, e a narração fraca torna tudo ainda mais insuportável. Eu até tentei começar o terceiro, mas achei que podia tentar pagar meus pecados de alguma outra forma, então abandonei.
  Agora... O que mais me assustou durante a leitura foi que, no lado das criticas positivas, vi pessoas que desejavam um relacionamento assim. E a única coisa que eu consegui perceber naquele relacionamento, era que se tratava de um relacionamento abusivo. “ah Carol, mas a Anastasia aceita o Cristian do modo que ele é!” Isso só prova que ela é tão doente quanto ele.
  Meu consolo é que não paguei nenhum centavo por esse livro.

Bem... Então é isso. Desculpe a sinceridade e a franqueza, lembrando que se trata da minha opinião sobre as obras, e não uma verdade absoluta, afinal, gosto é que nem braço, cada um tem o seu... Certo?
Um beijo grande pra vocês, e a gente se vê!


8 comentários:

  1. Olá, ótima dicas de leitura,como você não gostei nada dos livros de cinquenta tons de cinza,uma baboseira sem tamanho de um homem patético que foi usado por uma mulher mais velha que ele. Depois quis abusar, (a mim um abuso consentido), por que houve outras vezes, sexo com o consentimento dela), uma garota não tão indefesa assim. Mulheres que falam que gostariam de ter um amor ou homem assim....
    deixa pra lá, nem é bom nem falar.
    Beijos a vc e ao Rudi. No000ssa.... faz tempo que não passo aqui, como sempre um espaço maravilhoso, parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rute!
      Que bom que você voltou então! kk
      Beijo pra você também, e volte novamente...
      *__*

      Excluir
  2. Maravilhosas dicas, eu quero muito ler Caixa de Pássaros, ouvir muitos elogios a respeito desse livro.
    Não sou fã da série cinquenta tons de cinza, então essa não é um leitura que gostaria de reler.
    Quanto aos demais, vou com certeza dar uma chance.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caixa de Pássaros é fantástico! kk
      Mas o livro que mais me surpreendeu dessa lista foi O Segredo de Jasper Jones, já que nunca havia ouvido falar... super recomendo.
      Beijos ^^

      Excluir
  3. Oi, Carol! Tudo bem? Hahahaha ri horrores com vocês dois! rsrs Mas enfim, dos livros citados, o que mais quero ler é "Por Lugares Incríveis". Adorei o post! <3

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Tony!
    Você não viu nada... costumamos ser pior pessoalmente.
    Sobre "Por Lugares Incríveis"... não tenho muito o que dizer, além de uma recomendação: leia! kkk
    Obrigada por aparecer ^^
    beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi ")
    Gostei das dicas de leitura e realmente concordo com você no Cinquenta tons de cinza!!
    Estou querendo muito ler Caixa de pássaros e Por lugares incríveis já faz tempo!!
    E com a sua opinião irei ler também O Segredo de Jasper Jones xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna!
      Se tem uma coisa que eu posso afirmar, é que você não irá se arrepender. Apesar do segundo lugar, O Segredo de Jasper Jones foi uma das melhores surpresas literárias que tive o prazer de encontrar. E o melhor: ele é baratinho! rsrs

      Beijos

      Excluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...