quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

[Opinião] Simples Assim - Martha Medeiros #227

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog
Editora: L e PM

N° de Páginas: 238

Quote:
Costumamos nos agarrar ao que é conhecido, a emoções reprisadas, à manutenção do já visto e já feito - raramente arriscamos perder o chão sob nossos pés. Até que alguém dá um salto mortal bem na nossa frente e não se estatela, ao contrário, se sobressai. É quando dá vontade de ter coragem também. Coragem de sentir medo. E então descobrir que o destino não nos abandonou como parecia. Só estava esperando que a gente se tornasse mais merecedor do seu sorriso."

Sinopse:
  Por que complicar ainda mais?
  Acordou mal-humorado? Respire fundo, abra a janela e pense que no final do dia você encontrará seus amigos para um happy e dará boas gargalhadas. O carro quebrou no meio da rua? Sinalize e espere o guincho em segurança. O namoro está mais para morno? Chegou a hora de pôr um fim a relacionamentos que não levam a nada. Está achando a vida um marasmo, sempre fazendo as mesmas coisas, vendo as mesmas pessoas e não aguentando mais ver a cara de cansaço no espelho? Dê uma guinada.
  Simples assim.
  Martha Medeiros, uma das maiores cronistas do país, não tem solução para seus problemas, mas, com seu olhar afiado, aponta essas pequenezas da vida que tanto trabalho nos dão e nos faz lembrar uma máxima que parece esquecida: a vida está aí para ser vivida. Simples assim.
  Convidada frequentemente para participar dos principais programas de TV do país, Martha é um dos poucos nomes da literatura brasileira em atividade a conjugar tão bem o macro e o micro: a vida contemporânea e suas impressões sobre um livro, Londres e uma lembrança da adolescência, um desastre aéreo do outro lado do mundo e o impacto de um filme, a saída dos filhos de casa e uma metáfora entre sutiãs e separações.
  Mas não é a vida justamente esse encontro, muitas vezes em rota de colisão, entre o macro e o micro? Nestas crônicas transbordam perspicácia, o olhar atento e a sensibilidade aguçada de uma das escritoras que melhor nos entende.

Opinião:
  Bem, por onde começar?
  Quem me acompanha a um tempinho sabe o quanto gosto dessa autora, o que me faz correr atrás de cada novo lançamento dela, mesmo não tendo lido, ainda, os mais antigos.
  A Martha é cronista de dois jornais, o Zero Hora e O Globo (se não me engano) e sua coluna é de crônicas, a cada dois anos é lançada uma coletânea dessas crônicas em formato de livro, já nem sei quantas são, é a minha terceira coletânea dessas bienais, e levei quase um ano lendo, beem na maciota, mas, dessa vez, não foi tanto para economizar o livro e fazê-lo durar mais... a verdade é que essas crônicas não me fisgaram como aconteceu nos outros livros.
  Não estou dizendo que é ruim, longe disso, talvez seja o fato de eu ter me acostumado com a voz da autora, mas aqui não houve nenhum texto arrebatador como os memoráveis "O Que Acontece no Meio" ou "Quando Deus Aparece", houve vários que falaram muito comigo, e na maioria eu concordo com a opinião da autora, mas não sei... ela não me despertou "paixão" como costumava fazer. Em março sai outra coletânea e pretendo comprar, torcendo para que a autora me fisgue novamente, e não tenha textos que eu não tenha ânimo para continuar até o final, como aconteceu em alguns nesse livro.
  Outra coisa que desgosto nos livros da Martha na verdade não é culpa dela. A L&PM faz um bom trabalho de diagramação e as capas são bonitas (nenhuma supera a de A Graça da Coisa, na minha opinião) mas o problema é a escolha do papel, será que existe algum leitor que acha confortável ler um livro impresso em papel branco?
  Enfim, é um livro muito bom, mas não está a altura do que eu esperava da autora.



2 comentários:

  1. (Olha o Rudi postou hahaha)

    Seu blog foi o primeiro lugar que eu li algo sobre a autora... Quem sabe um dia?!

    Abs.

    ResponderExcluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...