domingo, 22 de abril de 2018

[Opinião] Os Quatro Amores - C. S. Lewis #229

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog
Editora: Thomas Nelson Brasil

N° de Páginas: 187

Quote:
[...] nossos antepassados consideraram a Amizade algo que nos eleva quase acima da humanidade. Esse amor, que é livre do instinto e do dever, exceto daquele que o amor livremente assumiu, e quase livre por inteiro do ciúme, sem necessidade de ser necessário, é eminentemente espiritual. É o tipo de amor que alguém ´pode imaginar acontecendo entre anjos. Será que encontramos aqui um amor natural, que é o Amor em si?

Sinopse:
  Como expressar de maneira profunda um sentimento que comumente é tratado de forma tão rasa? Para o célebre escritor C. S. Lewis, o amor pode ser comunicado de quatro maneiras: Afeição, a forma mais básica de amar: Amizade, considerada a mais rara: Eros, o amor apaixonado: e Caridade, o maior e menos egoísta deles.
  Em Os Quatro Amores, um dos seus livros mais influentes, Lewis contempla a essência do amor e avalia como cada tipo se ajusta aos demais. Com a maestria que o tornou um dos autores mais importantes do século XX, ele desafia e incorpora definições clássicas do amor de uma forma que continua atual e relevante. Como lembra o autor, foi por amor que Deus fez existir criaturas inteiramente supérfluas, somente a fim de poder amá-las e aperfeiçoá-las.

Opinião:
  Um livro extremamente difícil de avaliar.
  Aqui o autor fala um pouquinho sobre os quatro tipos de amor que existem: Afeição, Amizade, Eros e Caridade e como eles se relacionam entre eles e com o Amor em si, a forma que o autor usa para se referir a Deus nesse livro.
  Me tocou muito a parte onde o autor fala sobre a Amizade, é uma coisa muito importante para mim e que rende histórias, se não interessantes, peculiares. Não diria tristes, mas sem qualquer festa. Para mim o livro valeria apenas por essa parte, não desconsiderando o restante, mas... sei lá, é algo que mexe bastante comigo, ainda mais nesse momento da minha vida.
  A parte da Afeição mostra como é a parte mais fácil, é o amor que sentimos pelos conhecidos, pelos nossos animais de estimação e pelas coisas em geral. É o afeto, puro e simples.
  A parte que me pegou foi a Eros, é algo desconhecido para mim e meu puritanismo me deixou meio corado ao ler certas passagens.
  A narrativa do autor é complexa, mas não ao ponto de ser incompreensível, enquanto lemos criamos uma admiração pelo autor, pela eloquência dele e pela forma com a qual ele mostra conhecimento. É um livro muito mais técnico do que "espiritual", na falta de palavra melhor, tem muito mais ciência do que fé, por assim dizer.
  Um livro que me emocionou e tocou, me constrangeu e me marcou, um livro que vou levar comigo para o resto da minha vida, que pretendo ler novamente, se não em breve, no próximo ano.
  Uma coisa que acho importante ressaltar é o extremo cuidado que a editora teve com o livro, a capa é bonita (a mais sem graça da coleção, mas bonita, ainda assim), com capa dura e auto relevo, o corte colorido (adoro isso) e ainda o cuidado na revisão do texto, não encontrei erros de português na minha leitura, ou não os percebi, pelo menos. Parabéns Thomas Nelson.


6 comentários:

  1. Essa coleção da editora TN está lindíssima mesmo!

    O meu exemplar é da Martins Fontes. Lembro que gostei de ler, mas não lembro os detalhes da leitura. Realmente é um livro para reler! Sua resenha despertou essa vontade.

    CS Lewis é um autor fantástico! Ao ler seus livros, sinto como se ele fosse um amigo que parou para conversar e nos contar coisas muito bacanas que ele aprendeu e quer dividir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho a mesma impressão Dafne, quase comprei a edição da Martins Fontes, li dois livros dele nessa edição e vi no blog da Kelly que a TN iria publicar essas edições "chiconas"
      Livro pra reler dele é o A Abolição do Homem, ele não tem nem 100 páginas, mas pensa num troço complexo

      Excluir
  2. Oi Rudi,

    Eu já li uns 20% desse livro e parei. Lendo o seu texto acho que entendo o porquê. Ele estava mexendo muito comigo e quis escolher outro momento para ler.

    Realmente gosto da maneira que você escreve sobre os livros, ou seja, gosto muito daqui^^. Mas vai uma crítica (porque sou dessas rss) O Hiattos merece outro layuot!!!

    Abs.
    CAFÉ E BONS LIVROS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li dois capítulos e demorei bastante para voltar a pegar o livro, coisa de uns dois meses.

      Obrigado Kelly ^^
      Sobre o layout, eu não tenho a mínima ideia de como mexer nele, pensa numa pessoa leiga, prazer, assa pessoa foi meu professor, quem fez tudo no blog (incluindo a assinatura das postagens) foi um antigo amigo, que conheci justamente por causa do blog

      Excluir
  3. Entendi Rudi. Quando comecei (em 2014) não conhecia nada também, mas acabei aprendendo. Criei um blog só para os testes de layout para depois aplicar de verdade e acho que tem dado certo rsrsrs.

    Abs.

    ResponderExcluir
  4. Oi Rudi!
    Foi a primeira resenha que li desse livro e já faz um tempo que quero ler. Acho as capas lindas!
    Pelo que vc falou ele vai além do que eu esperava, o que me deixou ainda mais empolgada. Essa divisão das formas de amor é interessante e parece que o autor foi bastante elucidativo. :)
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...