quinta-feira, 30 de junho de 2016

[TAG] 50%

  Oi povo,
  Hoje é o último dia do sexto mês, assim sendo estamos no meio do ano, o momento ideal para responder a TAG dos 50% (me recuso a falar o nome em inglês). Clique nas fotos dos livros para ser redirecionado a postagem específica sobre ele e no link com o nome do mesmo para adquiri-lo através da Amazon e ajudar o blog.
  A TAG foi criada por um canal gringo e traduzida para o português pelo Victor Almeida do canal Geek Freak no seguinte vídeo:

01. O Melhor livro que você leu, até agora, em 2016

  Comentário irrelevante: meio redundante a construção dessa pergunta.
  Esse ano li vários livros incríveis, mas acredito que o melhor tenha sido o incrível Onde Cantam Os Pássaros da autora australiana/inglesa Evie Wyld, nem tenho palavras para descrever, ele é um livro incrível que você precisa ler e reler diversas vezes na vida para absorver tudo que ele passa.

02. A Melhor Continuação Que Você Leu até Agora

Em Busca do Sentido da Vida
  Encontrei sérios problemas em todas as poucas continuações que li esse ano, mas o que foi mais aceitável e com certeza teve a leitura mais prazerosa foi o segundo volume da duologia O Colecionador de Lágrimas do brasileiro Augusto Cury. Doutor Sono poderia ter aparecido aqui, se não tivesse me decepcionado da metade para o final.

03. Um Lançamento do Primeiro Semestre que Você Ainda Não Leu, Mas Quer Muito

  Sem dúvida é a continuação de Jurassic Park, que a Aleph ouviu o apelo dos leitores e lançaram em uma edição lindíssima que combina com seu antecessor. Estou super ansioso para ler pois assim como o primeiro livro é totalmente diferente do filme e eu amei, nem sei direito o que esperar do segundo, já que prefiro o segundo filme ao primeiro.

04. O Livro Mais Aguardado do Segundo Semestre

Cujo
  Sei que ainda esse ano a Suma de Letras vai relançar Cujo, não sei se irão manter esse título ou ressuscitar o nome Cão Raivoso, como vocês sabem quero ler tudo que esse cara escreva, e esse livro me chama bastante atenção pois envolve uma família presa dentro de um carro sendo ameaçada por um São Bernardo (Bethoven) assassino. Mas mais do que isso, esse livro me desperta curiosidade porque o autor o escreveu sob influência do álcool e outras paradas sinistras... tanto que ele mesmo diz não ter lembrança alguma de escrever essa história, quero ver se ela é tão viajada quanto imagino que seja.

05. O Livro Que Mais Te Decepcionou Esse Ano

2001. Uma Odisseia no Espaço
  Talvez seja a maior decepção da vida, não apenas do ano.

06. O Livro Que Mais Te Surpreendeu Esse Ano

Eu Vejo Kate
  Vários livros me surpreenderam, mas um que eu não esperava tanto e se tornou um favorito da vida é, sem dúvida Eu Vejo Kate, é um livro forte, que incomoda e nos força a enxergar a realidade, difícil de engolir mas que deveria ser lido por todos, como um poderoso remédio que apesar do gosto desagradável pode curar sérios problemas de saúde.

07. Novo Autor Favorito (Que lançou seu primeiro livro nesse primeiro semestre ou que você tenha conhecido nesse período)

  Poderia citar Murakami, mas o conheci ano passado, poderia citar até mesmo a Evie Wyld ou a Claudia Lemes. Mas sem dúvida um cara que se tornou um autor favorito e que não vejo a hora que lance mais alguma coisa pois já li tudo que ele publicou até agora é o Leon Idris, terminei recentemente O Deserto Dos Meus Olhos e ainda estou tentando assimilar tudo que aquele livro me transmitiu para poder falar mais dele aqui para vocês.

08. A Sua Quedinha por personagem fictício mais recente

Minha Querida Sputnik
  Sumire.Mas a bem da verdade apenas para não deixar sem nenhuma resposta... não tenho quedinhas ou paixonites u.u

09. Seu Personagem Favorito Mais Recente

O deserto dos meus olhos
  Não consigo escolher entre Rupert e Benjamin, na verdade nem sei se posso separá-los... mas me atrevo a dizer que é o Rupert... e não vou escrever mais nada pra não ficar mudando de ideia.

10. Um Livro Que Te Deixou Feliz Nesse Primeiro Semestre

O Sol É Para Todos
  Acredito que essa seja a questão mais difícil, fico feliz por cada leitura, por motivos diferentes, como 2001; Fiquei feliz por finalmente ter terminado... Acho que o fato de eu me apaixonar por um livro que é considerado um grande clássico foi a razão para eu escolher este.

11. Um livro que te fez chorar neste primeiro semestre

  Troquei a décima com a décima primeira, juro que foi sem querer.
  Para listar todos que me fizeram chorar esse ano foram esse, Flush. Memorias De Um Cao da Virginia Woolf e o conto A Rouxinol e a rosa do Oscar Wilde. Mas sem Dúvida Quem, Eu? foi o que mais me estimulou minhas glândulas lacrimais a trabalharem.

12. Melhor adaptação literária que você assistiu até agora

Nenhuma ¯\_(ツ)_/¯

13. Qual sua resenha favorita deste primeiro semestre, escrita ou em vídeo

  No caso também não sei se tenho que citar uma que eu fiz, mas em todo caso vai:
  Não me acho grande coisa como resenhista (na verdade não me acho um resenhista, mas enfim) mas dentre as que fiz esse ano gostei bastante dessa, inclusive tenho um carinho especial com esse livro e nem sei direito o porquê.

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou nesse ano

  Coleção 1Q84  (corre que tá bem mais barato na Amazon do que nas outras livrarias online)
  Antes de mais nada devo dizer que catei essa foto de um anúncio do Mercado Livre.
  Alguns podem discordar, mas acredito que o "livro" mais bonito que comprei esse ano (e acredito que comprei isso esse ano) foi o Box de 1Q84, se comprei ano passado fiquemos com Golem e o Gênio.

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano.

  Aqui não colocarei fotos mas tenho um esquema onde quero ler na seguinte ordem os seguintes livros:
1°- 1984
2°- 1Q84 Livro 1
3°- Admirável Mundo Novo
4°- 1Q84 Livro 2
5°- Farenheit 451
6°- 1Q84 Livro 3
  Se conseguir tudo isso em um único mês melhor ainda.

  Respondi sem ser indicado mas isso não me impede de ter curiosidade e querer ver as respostas do Tony (conheça o blog dele), da Gabrielle (conheça o blog dela), do Guilherme (Conheça o blog dele) e da Joi (Conheça o blog dela)
  E por hoje é isso meu povo, até domingo quando venho falar pra vocês o que eu li nesse mês de junho que nem vi passar.


quarta-feira, 29 de junho de 2016

Foi Difícil mas nos Entendemos [Minha história com E-Books]

  Oi minha gente,
  Hoje vim conversar com vocês sobre e-books. Eu era um daqueles que nunca tinha lido e tinha preconceito, dizia que jamais chegaria aos pés do livro físico, a sensação de segurar o objeto, virar suas páginas e sentir seu cheiro. Como diz Leon Idris em seu conto Alfred e a Estante, disponível apenas em e-book:
"Depois do café, abri o livro e, como de costume antes de toda nova leitura, cheirei as páginas - amantes dos livros digitais, julguem-me, mas saibam que é possível saber se um livro foi pouco ou muito manuseado pelo cheiro que o miolo retém;"
  E realmente, os e-books jamais chegarão aos pés dos livros digitais no sentido de prazer de leitura. Claro que ainda teremos acesso a seus segredos e conhecimento. Mas a sensação de segurar o livro e virar as páginas é incrível, principalmente quando o livro é mais gordinho. Não podemos negar, é claro, a praticidade dos e-books. Se assim como eu você tem pouco espaço na estante, pode escolher as edições que faz mais questão de ter físicas. Quando você compra um e-book, pode lê-lo imediatamente, o que não podemos fazer com uma versão física, a não ser, é claro, que compre em uma livraria física (e pague um preço absurdo, na maioria das vezes), e por falar em preços, os e-book são bem mais acessíveis nesse quesito também.



  Temos também o problema da agressão à visão. Tentei ler Quem é Você, Alasca? a muito tempo pelo celular e não consegui. Algum tempo depois  recebi do autor o livro Olhos de Fogo (→→), um livro curtinho que também li pelo celular. e confesso que foi uma experiência traumatizante. Minha visão sofreu com a luminosidade excessiva da tela e as letras que ou eram muito pequenas ou eu me obrigava a ficar arrastando a tela para ler cada linha, o que me dava tontura, além de uma terrível dor de cabeça.
  Com um tempo excessivamente grande terminei o livro, que é bem curtinho, diga-se de passagem. E decidi que não leria nenhum livro digital novamente.




  Esse ano consegui um tablet e com a função de diminuir a luminosidade da tela consegui ler sem problemas. Baixei o aplicativo Kindle, que tem recursos que auxiliam bastante na leitura,  e assinei o programa Kindle Unlimited. Onde consegui ler livros incríveis, e outros nem tanto, mas a vida é assim, né!
Conheça o Kindle Unlimited.

  O fato é que e-books valem sim a pena, e muito. Existem livros que é praticamente impossível encontrar em uma versão física que se preze. Além de ser bem útil na leitura de livros em outras línguas, devido a dicionário embutido (no caso do aplicativo Kindle). Até agora li 10 livros no tablet através do aplicativo. e estou lendo mais alguns.

  Uma coisa que pretendo adquirir logo é o aparelho Kindle, ele tem funções que tornam a leitura mais agradável ainda. No momento não é uma prioridade, mas a novidade na amazon é que o último modelo do aparelho agora existe em uma nova cor. Mas também há outros modelos.

              

  Admito que alguns tem um preço bem salgado, mas esse de 300 pila eu tenho coragem de comprar e acho que ainda esse ano faço isso.

  E vocês? Já entraram no, como diria Tati Feltrin, maravilhoso mundo dos e-books? Me digam aí nos comentários ;)


terça-feira, 28 de junho de 2016

[Opinião] 2001: Uma Odisseia no Espaço - Arthur C. Clarke

Editora: Aleph

N° de Páginas: 300

Quote: Me. Recuso u.u

Sinopse:
  No alvorecer da humanidade, a fome e os predadores já ameaçavam de extinção a incipiente espécie humana. Até a chegada de um objeto impossível, além da compreensão de mentes limitadas do homem pré-histórico, prenunciasse o caminho da evolução.
  Milhões de anos depois, a descoberta de um enigmático monolito soterrado na Lua deixa os cientistas perplexos. Para investigar esse mistério, a Terra envia para o espaço uma nave tripulada por um computador autoconsciente.
    Do passado distante ao ano de 2001, da África a Júpiter, dos homens-macaco à inteligência artificial HAL 9000, penetre a visão de um futuro que poderia ter sido, uma sofisticada alegoria sobre a história do mundo idealizada pelas mentes brilhantes de Arthur C. Clarke e Stanley Kubrick.

Compre pela Amazon e ajude o blog

Opinião:
  Pois é gente, esse vai ser um daqueles posts que vou aproveitar pra descarregar toda a minha revolta com o mundo para falar dessa linda edição que com certeza entrará na lista especial de fim de ano, mas como uma das MAIORES. DECEPÇÕES. DA. MINHA. VIDA ¬¬'
  A história começa estranha, na idade da pedra... mas aí ela começa a ficar interessante e é cortada para milhões de anos depois... uma cena relevante mas extremamente enfadonha se desenrola com o "grande mistério" (que já está revelado na sinopse) de o que está acontecendo na Lua. Depois disso mais um corte abrupto de tempo e já estamos a bordo de uma nave em sua viagem interminável rumo a Saturno onde nem os pilotos da nave sabem o que os espera e quais são os verdadeiros planos da "Torre de Comando" nem sequer o objetivo real da tal viagem.
  Depois de incontáveis páginas onde não acontece absolutamente NADA, que confesso, não são totalmente enfadonhas, tem bastante informação que até entrete... mas é cansativo, isso é inegável. Depois de muitas páginas lidas, quilômetros percorridos e meses passados a história chega no que julgo seu ápice, e foi esse pequeno trecho que garantiu uma estrela a mais na minha avaliação. Mas depois desse momentos a coisa só desanda.
  Antes de continuar quero pedir um favor: Não venham me xingar dizendo que não entendi o livro, que a história tem vários ensinamentos e é preciso inteligência para compreender a genialidade do autor. Me poupe.
  Costumo dizer que a história é o que menos importa, e não vou me contradizer aqui. Mas o fato é que o livro também não traz nenhum ensinamento muito profundo, pelo menos nenhum que a história maçante e a escrita cansativa tenha me permitido perceber.
  É uma história sobre curiosidade humana, sede de conhecimento e sobre o quão pouco sabemos sobre o universo. Mas tudo isso (que, convenhamos, não é muita coisa para considerar esse um grande livro) poderia ser "mascarado" por histórias um milhão de vezes mais interessantes e com um final (que tem um significado próprio, percebo isso, mas também não é lá grande coisa)bem menos ridículo, pois não há, no mundo, adjetivo melhor para descrever o desfecho, repetindo, ridículo, que o autor deu para sua história enfadonha, cansativa e que não merece o status de "Clássico absoluto da ficção científica" e nem uma edição tão caprichada, que apesar de genial e incrível não será suficiente para me fazer manter este livro.


segunda-feira, 27 de junho de 2016

[PLMC] A Incursão - Liev Tolstói


  PLMC é a sigla (não sei se oficial, mas enfim) para Projeto Leia Mais Contos, idealizado pela Mell Ferraz (neste vídeo) que consiste, como o próprio nome diz, em ler mais contos.
  Vou criar uma guia para esse tipo de postagem onde vou deixar linkadas todas elas em ordem cronológica. A foto acime é apenas uma das muitas que existem no livro (na verdade do segundo volume, mas como eles funcionam todos como um só whatever) onde li o conto sobre o qual que vou falar hoje. Dadas as necessárias (ou nem tanto) explicações, vamos ao que interessa:

  Em A Incursão tive meu primeiro contato com a escrita do Tolstói, e com algum escrito russo, no geral. Acho que é meio cedo para dizer qualquer coisa com propriedade sobre o autor ou a literatura de seu país, mas sobre esse conto, que é exatamente o primeiro escrito - ou, ao menos, publicado - por ele posso dizer que me surpreendeu.
  Na história acompanhamos um cara (que como tem nome russo eu já esqueci) que está partindo para a guerra, mas ele não é exatamente um soldado, não sei explicar direito, mas ele só observa.
"O espetáculo era de fato grandioso. Para mim, como alguém que não tomava parte na batalha e não estava habituado àquilo, só uma coisa estragava a impressão geral: pareciam-me supérfluos aqueles movimentos, os entusiasmos e gritos. Sem querer, comparava aquilo a um homem que, brandindo um machado, cortasse pedaços de ar."
  A partir dessas observações ele vai compartilhando com o leitor sua opinião sobre a falta de sentido que ele vê na guerra, ele pergunta a outros personagens qual seria o verdadeiro significado dessa ânsia por lutar, tirar vidas e o verdadeiro significado de honra, coragem e dever.
"A natureza respirava beleza conciliadora e força. Como podem as pessoas viver como se não tivessem espaço neste mundo bonito, sob este céu estrelado e imensurável? Como é possível, em meio a essa natureza fascinante, persistir na alma do homem o sentimento de rancor, de vingança ou a paixão de aniquilar seus semelhantes? Parece que tudo de ruim no coração do homem deveria desaparecer em contato com a natureza - essa expressão imediata da beleza e do bem."
   Esse conto foi escrito quando Tolstói ainda era jovem e ele mesmo estava na guerra descrita (já não me lembro que guerra é, foi mal) O que mostra que mesmo estando batalhando contra os franceses para defender um pedaço de terra que não tinha porque os do perfume quererem tomar, ele via a inutilidade de tudo aquilo, a selvageria e a falta de humanidade, mais do que qualquer outra coisa, que motivava os soldados a batalharem.

  Esse é, como disse, o primeiro conto do autor, e também o primeiro da coletânea de contos completos dele lançado pela finada Cosac Naify. Esse box ainda pode ser encontrado, mas apenas na AmazonBR, e ele está com um belo desconto, considerando que o preço normal dele beira os 150 conto. Além do que logo, logo isso será raridade, então aproveita e compra ele enquanto o desconto está valendo e ainda ajuda o blog comprando através deste link.


domingo, 26 de junho de 2016

[Opinião] AS Esganadas - Jô Soares

Editora: Companhia das Letras

N° de Páginas: 259

Quote:
Senhora dona Yolanda, se me permite, sua declaração tem uma característica universal. Toda mulher do mundo acha que precisa perder dois quilos. O que disse já foi repetido em todas as demais línguas faladas no dito mundo civilizado. Sabe como a mulher chega a esta conclusão? Observando-se nas fotos. No espelho, acontece uma correção inconsciente do corpo, e ela apresenta o melhor ângulo de si mesma. Numa fotografia, as pessoas aparecem chapadas no papel. Ninguém faz de si uma imagem real. Nos achamos um pouco melhores do que somos. Por isso é tão comum ouvir-se a frase: 'Estou horrorosa nesta foto!'. Geralmente, não é verdade. De modo que posso garantir à senhora, dona Yolanda, que a sua beleza é irreprochável."

Sinopse:
  Como ator e comediante, o Jô é um grande fazedor de tipos. Sabe como poucos construir um personagem, defini-lo com um detalhe e dar-lhe vida com graça e inteligência. Como autor, essa sua maestria se expande: os tipos são postos no mundo e, mais que no mundo, numa trama - e o seu criador (eu quase escrevi Criador, pois não deixa de ser um trabalho de Deus) se solta. Toda a ficção do Jô é feita de grandes personagens envolvidos em grandes tramas.
  Os tipos e a trama deste livro são especialmente engenhosos, e através deles o autor nos dá um retrato saboroso do Rio de Janeiro no fim dos anos 30 e começo do Estado Novo - o Rio das vedetes que davam e dos políticos que tomavam, das estrelas do rádio e das corridas de "baratinhas". E nesse mundo em ebulição chega uma figura portuguesa, saída de um poema do Fernando Pessoa, para elucidar o estranho e terrível caso das gordas desaparecidas que... Mas leia e fique sabendo. Só posso dizer que a trama deixará você, ao mesmo tempo, horrorizado e com fome. e que depois da leitura os pastéis de Santa Clara jamais significarão o mesmo. 

Opinião:
  Então... por onde começo?
  Procrastinei por mais de um ano e meio para, finalmente, ler esse livro... talvez não tenha sido a época ideal, o livro acabou me cansando em certos momentos, e só por isso eu tirei uma estrela de sua classificação, mas acho que isso teve mais a ver comigo do que com o livro mesmo, afinal, ele é divertidíssimo.
  Nunca acompanhei nada do Jô Soares, nunca me interessei muito pelo trabalho dele ou por ele como pessoa, não sei dizer exatamente o porquê disso, ele só não despertava o meu interesse.
  No meu aniversário de 22 anos ganhei esse livro do pessoal que trabalha comigo, e como nunca havia me interessado pelo autor, ele ficou lá na estante, esses quase dois anos, lacradinho, esquecido e abandonado... até que vi um vídeo da Nina (esse aqui) que, finalmente, despertou meu interesse...
  O fato é que o livro não foi tão fantástico quanto eu esperava que fosse. Ele é sim, interessante e por vezes engraçado e divertido (não tenho certeza se essa era a proposta, mas morri de rir em vários momentos), os personagens, em especial o português, Esteves, são incrivelmente carismáticos, me lembraram os personagens de Arkansas, um livro que só vale pelos personagens.
  Vendo o título eu imaginei que as mulheres morressem esganadas, não que elas fossem esganadas no sentido de gula, morrer de tanto comer e coisa e tal.
  A escrita do autor é simples, direta e agradável, mas um pouco para frente da metade o livro começou a me cansar, não sei se pelo fato de conhecermos desde sempre os dois lados da história tenha tirado um pouco do encanto, no caso não acho que o problema seja exatamente esse, mas acredito que é preciso muito talento para manter a história com ritmo e o leitor interessado mostrando os dois lados, não estou falando que o Jô não possua talento, mas a meu ver ele foi meio infeliz nessa parte, ele não conseguiu me segurar empolgado e interessado até o final do livro.
  Um exemplo de quem consegue mostrar ambos os lados da história simultaneamente e ainda fazer o leitor ficar cada vez mais interessado no livro é Traição em Família, do David Baldacci, livro que vocês já devem estar enjoados de me ouvir falar dele, mas enfim...
  Em suma é um livro bom, muito bom inclusive... mas ele vai perdendo ritmo enquanto o autor vai perdendo o interesse, tudo isso na mesma velocidade onde as personagens obesas vão perdendo a vida. Alguns assassinatos são meio convenientes demais, sabe? Quando as coisas estavam muito maçantes, nada estava acontecendo: Opa! uma morte a mais, ou em uma situação que apesar de desesperada fez sentido: Opa! Uma morte que não se encaixa no Modus Operandi do cara. Os personagens são sim bem construídos, mesmo aqueles que aparecem e morrem no mesmo capítulo... mas, cansativo.


Compre pela Amazon e ajude o blog:
As Esganadas


sexta-feira, 10 de junho de 2016

[Divulgação] O Menino Que Desenhava Monstros - Keith Donohue


  Oi povo, hoje vim compartilhar com vocês mais um livro que será lançado ainda esse ano. de cara eu já fiquei interessado pois por mais tempo que o normal também fui (e vira e mexe ainda sou) um menino que desenha monstros... Sem mais delongas, vamos conhecer um pouco mais sobre o livro.

O Menino que Desenhava Monstros

por Keith Donohue

Todos já desenharam monstros na infância,
mas poucos conseguiram dar vida a eles.


Keith Donohue escreve histórias realmente assustadoras. Não aquelas com sangue por
todos os lados ou sustos premeditados para fazer o leitor pular da cama. O horror está
nas sutilezas que são capazes de fazer a pele formigar e nos dar a certeza de que estamos
diariamente interagindo com o sobrenatural.

Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar
três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido
de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba
agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus
sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o
marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar.

Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma
aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do
oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack
são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu
caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que
ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os
monstros parecem se aproximar cada vez mais.

Na superfície, O Menino que Desenhava Monstros é uma história sobre pais fazendo o
melhor para criar um filho com certo grau de autismo, mas é também uma história
sobre fantasmas, monstros, mistérios e um passado ainda mais assustador. O romance
de Keith Donohue é um thriller psicológico que mistura fantasia e realidade para
surpreender o leitor do início ao fim ao evocar o clima das histórias de terror japonesas.

Um livro para fazer você fechar as cortinas e conferir se não há nada embaixo da cama
antes de dormir. O Menino que Desenhava Monstros receberá o tratamento monstruoso
já conhecido pelos leitores da DarkSide® em 2016. A história também ganhará uma
adaptação para os cinemas, dirigida por ninguém menos que James Wan, o diretor de
Jogos Mortais e Invocação do Mal.

Keith Donohue é o autor do best-seller The Stolen Child, além de The Angels of Destruction e
Centuries of June. Seus livros já foram traduzidos para mais de doze idiomas. O Menino que Dese-
nhava Monstros chamou tanto a atenção do público que rapidamente teve seus direitos vendidos
para o cinema. O autor, que tem Ph.D. em Inglês pela Catholic University of America, vive em
Maryland. Saiba mais em keithdonohue.com (em inglês).






“A prosa de Keith é vibrante, pungente, delicada e até melódica.”

— PETER STRAUB —

“Uma história de horror clássica e hipnótica... O Menino que Desenhava Monstros,
vai muito além, mistura realidade e ficção com uma narrativa própria que nos
ajuda a enxergar o que está fora do nosso campo de visão.”

— TIME OUT (NEW YORK) —

“Prepare-se para dormir de olhos bem abertos.”

— WASHINGTON INDEPENDENT REVIEW OF BOOKS —

“Uma narrativa rápida e assustadora.”

— PUBLISHERS WEEKLY —


Ficha Técnica

Título      | O Menino que Desenhava Monstros
Autor      | Keith Donohue
Tradutor | Cláudia Guimarães
Editora   | DarkSide®
Edição    | 1a
Idioma    | Português
Especificações | 260 páginas (estimadas), Limited Edition (capa dura)
Dimensões | 16 x 23 cm



darksidebooks.com | facebook.com/darksidebooks | vc@darksidebooks.com

  O livro já está em pré-venda na Amazon, você já pode garantir o seu e de quebra ajudar o blog, ganho uma pequena comissão sempre que vocês compram algo através dos links aqui do blog





quarta-feira, 8 de junho de 2016

[Opinião] Sejamos Todos Feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

Editora: Companhia das Letras

N° de Páginas: 46

Quote:
Talvez não pensem mesmo. E isso é parte do problema: os homens não pensam na questão de gênero, nem notam que ela existe. Muitos homens, como meu amigo Louis, dizem que as coisas eram ruins no passado, mas que agora está tudo bem. Muitos não fazem nada para mudar a situação das coisas. Quando um sujeito entra num restaurante e o garçom o cumprimenta, será que não passa pela cabeça dele perguntar por que o garçom não cumprimentou a sua acompanhante? Os homens precisam se manifestar em todas essas pequenas situações."

Sinopse:
  O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos Todos Feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio Sol Amarelo. "A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar com um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente". Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que foi chamada de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. percebi pelo tom de voz dele, era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!" Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo em em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma e não para os homens. Nesse ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte da sua experiência pessoal como mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais a sua personalidade para ser como esperam que sejam. Sejamos Todos Feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de um milhão de visualizações e foi musicado pela Beyoncé.

Opinião:
  A pouco tempo vi um vídeo de uma grande amiga, a Nina, apresentando um projeto para ver mais filmes dirigidos por mulheres, pra quem ainda não viu o vídeo clica aqui e seja magicamente transportado para ele ;)
  Como a última coisa que vejo em um filme, na verdade nunca presto atenção a isso, é quem é o diretor ou a diretora, então comentei lá que não via muito sentido nisso afinal já não havia mais essa desvalorização do trabalho da mulher nos dias de hoje... Será que não? Até ler esse livro meu pensamento era como o do amigo da autora "As coisas realmente eram ruins, mas agora os tempos são outros, as pessoas mudaram" isso não seixa de ser verdade, mas o bolo não deve sair do forno antes de estar totalmente assado, não adianta ele começar a crescer e você retirar a forma... a transformação necessária para alcançarmos a verdadeira igualdade entre os gêneros não está completa, o bolo ainda não está assado... não é hora de parar a luta pela igualdade de direitos. Aproveito aqui para me desculpar com a Nina pela minha ignorância, tanto sobre a atual situação do sexo feminino quanto pela minha ignorância quanto ao real significado da palavra feminismo.
  Você pode pensar, assim como eu pensava, onde está a desigualdade e desvalorização? Existem vários detalhes, e como a autora diz: "Os detalhes são o que mais incomodam". Não frequento restaurantes finos, mas pelo que vejo em filmes acontece exatamente como a autora descreveu uma situação pela qual passou. O homem sempre recebe atenção enquanto a mulher é ignorada. Por que fazem isso? Provavelmente pela cultura de "quem paga a conta é o homem" outro detalhe... a mulher pode trabalhar e até sustentar a família sem a ajuda financeira do marido, mas se ela tem um marido ela deve se portar como dependente financeira dele, qualquer dinheiro que ela possa vir a ter deve, nem que seja apenas pelos olhos alheios, vir dele.
  Outro detalhe, serviço de casa é serviço de mulher... Quem disse? Nessa parte minha família, e por muito tempo me incluía nisso, era extremamente machista... já teve casos de em uma estadia na casa de um parente o HOMEM DA CASA me ver lavado minha roupa e dizer para deixar, pois depois a esposa dele lavava... admiro a consideração e "gentileza" de não querer que o hóspede lavasse as roupas (porque gosto de cozinhar mas odeio lavar roupa com todas as minhas forças) mas porque ele não se ofereceu para lavar a roupa ele mesmo, ela já estava cuidando da casa, fazendo comida e prestando assistência para a mãe DELE.
  O fato é que não são somente os homens que falham nessa parte, muitas mulheres também. Como a autora diz, não devemos mudar o pensamento apenas de um, mas de ambos os gêneros. É como o absurdo que venho lendo pela internet afora nesses últimos dias... sobre aquela moça do Rio de Janeiro que foi estuprada por uma porrada de dementes selvagens, Tem muita gente que ela não tinha nada que estar no meio de bandidos e sair de casa de madrugada e tals... Isso quer dizer que ela tem culpa? Nada, NA-DA, justifica uma agressão dessas, ou qualquer outra, contra uma pessoa. Sábia a pessoa que fez a foto que também circulou nas redes sociais →→
  A narrativa da autora é simples e objetiva... e não era bem isso que eu esperava... pelos comentários que li e ouvi por aí esperava que fosse algo mais, como dizer? Erudito, que exigisse um certo esforço para compreender, mas não: é uma linguagem extremamente simples e acessível. Se eu recomendo? Com toda certeza. Inclusive ele está bem baratinha na Amazon:



  Compre através do link acima e ajude seu amigo aqui ;)
  A partir de hoje todas as opiniões aqui do blog terão um link para compra do livro no site, conto com vocês ;)




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...