sábado, 28 de março de 2015

[TAG]Meme Escrito

  Já faz tipo, uns cinco meses, que a Lery do No Matter What me indicou para a TAG Meme escrito, e eu esqueci totalmente de respondê-la, recentemente a Jô do Coisas que eu sei que eu sei respondeu a TAG (pra qual ela foi indicada no mesmo post que eu, o que me tranquiliza, não foi o único que esqueci, desculpa Lery, não foi por mal, juro)
  A TAG consiste em responder 8 perguntas por escrito, tirar foto da folha e colocar ela (a foto) aqui, as perguntas são:
1. Qual o seu nome completo;
2. URL do seu blog;
3. Escreva: "A raposa rápida marrom pula sobre o cão preguiçoso";
4. Citação favorita;
5. Música favorita no momento;
6. Cantor/banda favorita no momento;
7. Diga o que quiser;
8. Indique 3 ou 5 blogs.


  A 4 não é exatamente minha citação favorita mas foi a única que me veio a mente na hora :p
  Como podem ver meus indicados são a Tícia do Le Versos e Controvérsias, o Tony do The Tony Lucas Blog e o Daniel do Oficina do Leitor.
  Obrigado mais uma vez Lery por me indicar e desculpe pela demora em responder.

quarta-feira, 25 de março de 2015

[Opinião] The Walking Dead: A Queda do Governador - Parte Dois - Robert Kirkman e Jay Bonansinga


Editora: Galera Record

N° de Páginas: 306

Citação:

Se existe um retrato mais indelével do fim do mundo, pessoa alguma entre as que olham em volta para o território da prisão abandonada naquele dia consegue pensar em qual seria. O amplo complexo que se estende por centenas de acres de pasto quase se move com os cadáveres despertos. De um ponto de vantagem tão distante, parecem vários pontinhos pretos em uma pintura pontilhista infernal, a horda farfalhante preenchendo cada canto e reentrância, milhares deles, muitos inclinando os rostos mortos na direção do céu desinteressado e emitindo berros e resmungos, como se fossem consumidos por dentro pela fome avassaladora, cancerosa e inescapável."

Sinopse:
  A franquia de zumbis mais celebrada da década está de volta. O quarto e último livro promete contar em detalhes o destino deste que é o personagem mais controvertido em um mundo dominado por mortos-vivos. Com seu senso doentio e muito particular de justiça, ele convence a todos de Woodbury que a única forma de acabar com o mal é destruir todos os habitantes da prisão.

Opinião:
  Vou tentar ao máximo não dar spoilers dos livros anteriores, mas todo mundo sabe que o Governador perdeu um olho né, pois é, isso esclarecido vamos em frente...
  Agora finalmente entendemos a existência de Lily Caul nessa história e a finalidade do segundo livro, que foi apresentar alguns personagens que só agora tiveram alguma importância, como a própria Lily...
  O livro começa meio enfadonho, com os personagens se recuperando dos acontecimentos do final do volume anterior e até quase metade do livro a história se arrasta (parecendo estar ainda mais acabada do que o Governador), depois ele assume uma narrativa mais fluida, com acontecimentos mais interessantes e aí sim a coisa começa a andar.
  Como no volume anterior ele possui uma gama muito grande de cenas violentas sangrentas e cruéis, e sim, isso é legal... mas como história ele só não é mais fraco do que o segundo livro, os autores abusaram da existência dos zumbis, criando hordas do tamanho da população de um estado, ondas intermináveis e de perder de vista de cadáveres reanimados, e o pior, em momentos absurdamente oportunos, "Ah, não tá acontecendo nada? Vamos criar uma onda absurdamente gigantesca de mortos-vivos!".
  Mas as "falhas dos autores não param por aí, como todo mundo sabe (e eu já disse no começo) o Governador perde um olho, isso ainda no livro anterior, e nesse volume temos o seguinte trecho:
"O Governador fecha o olho direito e olha pelo cano da arma com o esquerdo, então atira." página 105
  E da forma que ele perdeu o olho seria totalmente impossível ele abrir ou fechar o mesmo, só pra constar.
  Mas nem tudo é ruim, é o livro que mais se encontra com os quadrinhos, mostrando o famoso ataque final do Governador à prisão por um ponto de vista diferente, só conhecia essa parte da história pelo seriado, que é bem diferente dos quadrinhos, quero ler os quadrinhos para comparar.
  Como já disse: Lily finalmente conquista o leitor, o Governador perde de vez a cabeça e está ciente disso, e cada personagem é muito bem encaminhado, tudo bem que grande parte deles, tudo bem que grande parte deles é simplesmente encaminhada para o estômago pútrido de um zumbi, mas enfim, o final não deixou a desejar, claro que gostaria de saber qual foi o fim dos poucos sobreviventes, mas de qualquer forma, não é muito difícil de imaginar...


segunda-feira, 23 de março de 2015

Olha o que vem por aí! Mais lançamentos da Darkside Books

  Fiquei uns dias sem postar né minha gente, é que houveram umas pequenas obras aqui em casa e meu pai acabou arrancando o fio da internet sem querer, e só arrumaram recentemente... mas vamos ao que interessa, lançamento da editora macabra que faz edições desumanamente lindas, a Darkside ♥


A Noiva Fantasma
Por Yangsze Choo



Até que a morte os aproxime “Certa noite, meu pai me perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma...”

  1893. Li Lan é uma jovem que recebeu educação e cultura, mas que vive sem grandes perspectivas depois da falência de seus pais. Até surgir uma proposta capaz de mudar sua vida para sempre: casar-se com o herdeiro de uma família rica e poderosa. Há apenas um detalhe: seu noivo está morto. A Noiva Fantasma, que a DarkSide® Books publica no Brasil em 2015, é o surpreendente romance de estreia de Yangsze Choo, a escritora de ascendência oriental que está encantando fãs por todo o mundo. Por mais fantásticas que pareçam, as noivas fantasmas ainda resistem até hoje em parte da cultura asiática. A prática, que chegou a ser banida por Mao Tsé-Tung durante a Revolução Cultural, foi muito frequente na China e na Malaia (hoje Malásia) no final do século xix. O casamento era usado para tranquilizar um espírito inquieto, e garantir um lar e estabilidade para as mulheres que diziam sim a maridos já falecidos. É claro que elas tinham um preço alto a pagar, e com Li Lan não seria diferente. Evocando obras como Lugar Nenhum, de Neil Gaiman, A Noiva Fantasma é uma história impressionante sobre o amor sobrenatural e o amadurecimento, escrita por uma extraordinária nova voz da ficção contemporânea. Eleito o Livro da Semana pela Oprah. com, entrou em diversas listas de melhores livros do ano, como Indie Next List’s Pick, Glamour Magazine Beach Read, The Bookseller Editor’s Pick e Library Journal Barbara’s Pick.

  Só pra variar a capa é incrível, tem um monte de tsurus "voando" e uma moça oriental, sem mencionar os ramos de Sakura na parte de baixo contrastando com os galhos secos ao fundo da parte superior da capa, é a mais linda dentre as capas dos próximos lançamentos da editora.



YANGSZE CHOO é descendente de malaios. Formou-se na Universidade de Harvard e ocupou vários cargos corporativos antes de escrever seu primeiro romance, A Noiva Fantasma. Yangsze adora comer e ler, e faz as duas coisas ao mesmo tempo com frequência. Ela mora na Califórnia com seu marido e filhos, além de um coelho. Saiba mais em yschoo.com.


  Não é segredo pra ninguém que os orientais tem uma imaginação de dar inveja a muita gente, e as histórias de fantasmas deles são arrepiantes, fiquei bastante interessado no livro, não tanto quanto fiquei no Onde Cantam os Pássaros mas ainda assim bastante interessado...

“O estilo claro e encantador de Choo cria uma realidade alternativa onde as apostas são tão altas quanto no mundo real, combinando momentos de narrativa bem fundamenta com o sobrenatural.” 
Publishers Weekly 

“O que faz com que tudo funcione neste romance é o mundo suntuoso da cultura emigrante chinesa e a história de amor que se desenrola sob tudo isso – uma história repleta de saudade, que as páginas praticamente suspiram conforme você vira cada uma delas.”
 Oprah.com

 “A Noiva Fantasma, um impressionante romance de estreia, conduz os leitores através de um dos passeios mais selvagens desde que Alice caiu na toca do coelho”
 San Jose Mercury News 

“A odisseia de Li Lan a mantém à beira da morte terrena e prende o leitor às páginas.” 
New York Journal of Books


Ficha Técnica 
Título | A Noiva Fantasma 
Autora | Yangzse Choo 
Tradutor | Leandro Durazzo 
Editora | DarkSide® 
Edição | 1a 
Idioma | Português 
Especificações | 360 páginas, capa dura 
Dimensões | 16 x 23 cm 
Lançamento | Abril de 2015



 darksidebooks.com | facebook.com/darksidebooks | vc@darksidebooks.com

  E vocês? Ficaram interessados em A Noiva Fantasma?

terça-feira, 17 de março de 2015

[Opinião] Arkansas - John Brandon


Editora: Record

N° de Páginas: 332

Citação:
"'Quando as pessoas agem de forma exagerada a respeito da morte de alguém, significa que se sentem culpadas.' 'E do que eu sinto culpa?' 'Como é que eu vou saber?' 'Sempre fui bom com ela.' ' Não culpadas pela forma como trataram a pessoa, culpadas por terem uma vida e não saberem o que fazer com ela.'"

Sinopse:
  Swin passou a infância lendo os livros da vizinha, desejando ter um irmão e desprezando os adultos. Na faculdade, aprendeu a dar golpes para se virar, e resolveu sair de casa por não suportar o padrasto.
  Kyle nunca se entendeu bem com outros garotos. Quando tinha 17 anos, sua mãe morreu eletrocutada e ele passou a viver sozinho, sobrevivendo à custa de pequenos roubos.
  O caminho de Swin e Kyle se cruza quando são levados para trabalhar para Frog, um chefão do tráfico de identidade misteriosa. Quando um esquema dá errado, os dois se veem sozinhos novamente envolvidos em uma trama perigosa. Mas dessa vez talvez possam contar um com o outro. Em meio a viagens de carro pelo sudeste dos Estados Unidos, a esconderijos em velhos trailers e a chefes do tráfico excêntricos, os dois jovens iniciantes no crime viverão aventuras, romances e muitos perigos.


Opinião:
  Antes de mais nada gostaria de agradecer à editora pelo presente, nunca tinha ouvido falar do livro, e pelo que vi no Skoob, poucos ouviram, mas confesso que é um livro que eu compraria se visse dando sopa em uma livraria (e, provavelmente, me arrependeria depois), não só pela capa, que adorei, mas também pelo trecho presente na quarta capa, que é praticamente a primeira conversa entre Kyle e Swin.
  Já vou dizer de cara que a história do livro não é interessante, é exatamente o que a sinopse diz, dois caras que nunca se deram bem com ninguém, entraram para a vida de crimes e acabaram se conhecendo e se tornando amigos (comprovando o que Swin diz no trecho redigido na quarta capa), a narrativa é meio enfadonha, principalmente nos capítulos nos quais é contada a história de Frog, o misterioso grande marginal (que é um pereba), em que a narrativa se encontra em segunda pessoa, como se o leitor fosse o tal Frog, corajoso? Sim, inovador? Nem tanto, tiro no pé? Pode apostar!
  A narrativa em segunda pessoa em um livro é uma "ferramenta" que está sendo bem explorada de um tempinho pra cá, pelo que ando vendo, ela consegue introduzir o leitor na história e torná-la, de certa forma, mais dinâmica e interessante, mas isso só se for bem feita, como no caso de O Inocente, do Harlan Coben, quando o autor não consegue fazer isso direito torna a história cansativa e até um tanto repelente, como no caso desse livro, confesso que pulei alguns capítulos que eram narrados dessa forma.
  Não contente em contar a história de Kyle e Swin em terceira pessoa e o passado de Frog em segundo, quando a história de Frog alcança o mesmo período da de Kyle e Swin o autor começa a narrar em primeira pessoa, o que acabou sendo um tiro no outro pé.
  Mas apesar da narrativa deixar bastante a desejar o livro vale pelos diálogos, principalmente as falas do Swin, ele é um Porto-riquenho devorador de livros, irônico e com um humor negro de dar inveja, fiz várias marcações no livro, e todas são de diálogos, a muito, muito, MUITO tempo mesmo eu não lia um livro com diálogos tão bacanas, engraçados, divertidos e envolventes, alguém fala pra esse autor escrever roteiros pro cinema, porque mesmo a história não sendo lá essas coisas e a narrativa ser um porre os diálogos são os melhores do mundo, ou passam perto.
  O livro leva três estrelas, já que tirei 3 pela narrativa chata e uma pela história (o que faria só sobrar uma, eu sei, mas devolvi duas pelos diálogos), sim, a história tem momentos interessantes, mas não são muitos, vou deixar no Spoiler alguns momentos que achei interessantes, caso estejam curiosos e eu tenha deixado vocês com vontade de passar longe do livro.



Spoiler (selecione para ler):
Partes que realmente gostei da história:
A luta do sobrinho (que esqueci o nome) com Brigth
Os rapazes matando o tio do sobrinho supracitado, por causa da luta supracitada
Quando Jhonna revela que está grávida (embora já fosse previsível, devido ao subtítulo do livro)
As desculpas malucas que os rapazes inventavam para justificar o sumiço de Brigth, que já estava bem morto e enterrado a sete palmos (a conversa que eles tiveram enquanto enterravam o cara também é impagável)
E as "pesquisas" do Swin sobre a mania de magreza das mulheres, do tipo: "Você sabia que uma em cada quatro mulheres aceitaria... se em troca pudessem comer o que quisessem e continuar magras?" Os retruque que a Jhonna dá pra essas "perguntas" também são ótimos.

Tá que os últimos são diálogos, mas como disse o livro vale pelos diálogos.

segunda-feira, 16 de março de 2015

[Lista] Fanarts de A Torre Negra

  Deveria ter postado ontem, mas né...
  Uma história que estou louco para voltar, mas não posso fazê-lo no momento por motivos já explicados, é a história de Roland e seu Kah-tet, A Torre Negra... enquanto não volto ao caminho do Feixe de Luz proteger as rosas ando pela internet vendo os desenhos de gente talentosa e fã da série... Todas as fotos são retiradas do Google imagens e consequentemente de diversos sites...

Childre Roland à Torre Negra chegou, ou quase.

Shardik, um dos 12 guardiões
Acredito que seja uma das "lagostrosidades" do segundo livro, não é exatamente uma fanart mas enfim
Eddie Vs Shardik
Eddie e Suzannah
                   
Jake e a Rosa, tive que deixar pequena ou embaçava tudo

sexta-feira, 13 de março de 2015

Divagações sobre essa sexta-feira 13 (sim, de novo)


  Resolvi voltar a divagar sobre a sexta-feira 13 porque, entre a última e essa, muita coisa há de diferente...
  Já disse que não acredito que o dia traga azar, uma prova disso foi o último post desse jeito que fiz... mas que agora eu me sinto bem azarado, ah sim, isso eu sinto.









 1°- Tive uma senhora insolação ontem e ainda sinto os efeitos dela hoje... já tomei alguns remédios que me fizeram melhorar bastante, mas estou ali pelos 60%...









2°- Sabe Deus porquê, os meus livros da Novo Conceito ainda não chegaram, vi no instagram que um montão dos novos parceiros já receberam os lançamentos de março e eu tô só chupando o dedo aqui...







3°- Percebi que não coloquei data do fim do sorteio da HQ do Sandman... então vamos deixar isso claro... vai até dia 05/04...










4°- A Darkside mandou um material de divulgação para dois livros que serão lançados ainda nesse semestre, então vamos falar sobre eles um pouquinho pois parecem ser incríveis...







Golem e o Gênio


Golem e o Gênio por Helene Wecker, Uma fábula eterna. Realidade e magia neste aclamado livro de fantasia histórica Os confrontos e as barreiras vividas por duas culturas tão próximas, ainda que aparentemente opostas. Em Golem e o Gênio, premiado romance fantástico que a DarkSide® Books traz ao Brasil em 2015, o leitor se transporta à Nova York da virada do século XX, em uma viagem fascinante através das culturas árabe e judaica. Seus guias serão poderosos seres mitológicos. Chava é uma golem, criatura feita de barro, trazida à vida por um estranho rabino envolvido com os estudos alquímicos da Cabala. Ahmad é um gênio, ser feito de fogo, nascido no deserto sírio, preso em uma antiga garrafa de cobre por um beduíno, séculos atrás. Atraídos pelo destino à parte mais pobre de uma Manhattan construída por imigrantes, Ahmad e Chava se tornam improváveis amigos e companheiros de alma, desafiando suas naturezas opostas. Até a noite em que um terrível incidente os separa. Mas uma poderosa ameaça vai reuni-los novamente, colocando em risco suas existências e obrigando-os a fazer uma escolha definitiva. O romance de estreia de Helene Wecker reúne mitologia popular, ficção histórica e fábula mágica, entrelaçando as culturas árabe e judaica com uma narrativa inventiva e inesquecível, escrita de maneira primorosa. Golem e o Gênio foi eleito uma das melhores fantasias históricas pelo Goodreads e ganhou o Prêmio da VCU Cabell de Melhor Romance de Estreia.

Helene Wecker cresceu em Libertyville, Illinois, uma pequena cidade ao norte de Chicago. Graduou-se em Inglês pela Carleton College, em Minnesota. Trabalhou com marketing e comunicação em Minneapolis e Seattle antes de se dedicar à ficção, sua primeira paixão. Em seguida, mudou-se para Nova York, onde cursou o mestrado em Ficção na Columbia University. Vive em São Francisco com o marido e a filha. Golem e o Gênio é o seu premiado romance de estreia. Saiba mais em helenewecker.com.

“Um passeio místico e profundamente original pelas calçadas de Nova York.” 
Booklist

“Wecker combina as mitologias judaica e árabe para criar um romance mágico ambientado na Nova York de 1899 [...] Conforme Chava e Ahmad se unem contra uma ameaça terrível, a vizinhança em seu bairro, em Lower Manhattan, começa a tratá-los de maneira intrigante.” 
Library Journal 

Ficha Técnica 
Título |              Golem e o Gênio 
Autor |              Helene Wecker 
Tradutor |         Cláudia Guimarães 
Editora |            DarkSide® 
Edição |              1a 
Idioma |             Português 
Especificações | 460 páginas, capa dura
Dimensões |       16 x 23 cm 
Lançamento |    Abril de 2015 
darksidebooks.com | facebook.com/darksidebooks | vc@darksidebooks.com

Só pra variar a capa é linda né?! Sempre ouço o pessoal falar que as edições da Darkside são maravilhosas e tal, até hoje não tive a oportunidade de conferir eu mesmo, mas pelas fotos que vejo internet afora realmente parecem, confesso que a história desse livro não me chamou tanto a atenção, talvez eu dê uma chance a ele, mas não está entre as minhas prioridades, mas que parece um prato cheio para os fãs de fantasia parece.


Onde Cantam os Pássaros


Onde Cantam os Pássaros
por Evie Wyld
A DarkSide® também é alta literatura. Uma verdadeira
amante das letras, livreira por opção e uma das
novas vozes da nova literatura por vocação.

Onde Cantam os Pássaros vem conquistando prêmios literários tradicionais como o
Barnes & Noble Discover Award, oferecido pela livraria aos novos autores de destaque,
o britânico Jerwood Fiction Uncovered Prize e o mais importante prêmio australiano,
Miles Franklin Award, resenhas encantadoras e inúmeros fãs por onde é lançado. Com
tramas paralelas, passadas em épocas e hemisférios diferentes, o leitor vai montando um
intrigante quebra-cabeça com o que lhe é fornecido por essa autora criativa e, ao mesmo
tempo, rigorosamente precisa.
No premiado romance de Evie Wyld, a fazendeira Jake White leva uma vida simples
numa ilha inglesa. Suas únicas companhias são rochedos, a chuva incessante, suas
ovelhas e um cachorro, que atende pelo nome de Cão. Tendo escolhido a solidão por
vontade própria, Jake precisa lidar com acontecimentos recentes que põem em dúvida
o quanto ela realmente está sozinha – e o quanto estará segura. De tempos em tempos,
uma de suas ovelhas aparece morta, o que pode ser muito bem obra das raposas que
habitam a floresta próxima à sua fazenda. Ou de algo pior. Um menino perdido, um
homem estranho, rumores sobre uma fera e fantasmas do seu próprio passado atormentam
a vida de uma mulher que sonha com a redenção.
Aos poucos, vamos descobrindo mais sobre as suas habilidades em tosquiar e cuidar
de ovelhas, aprendidas ainda quando jovem, em sua terra natal, na Austrália. E vamos
aprendendo também o que aconteceu lá, que acabou por conduzir White à uma vida de
reclusão e isolamento. E sobre as contradições e diferenças entre um passado (sempre
narrado no tempo verbal presente) cheio de vida e calor, e o presente (narrado por sua
vez no passado) repleto de lama, frio e um ritmo mais desacelerado, paira uma atmosfera
absolutamente brutal.
Com uma prosa verdadeiramente excepcional, o estilo da autora reúne tanto clareza
como substância e apresenta uma personagem inesquecível, enigmática, trágica, assombrada
por um passado inescapável. Uma mulher forte, ainda que tão passível de falhas,
erros e equívocos como todos nós. É uma história de solidão e sobrevivência, culpa,
perda e o poder do perdão. Uma escrita visceral onde sentimos a presença de tudo, os
odores, o vento, o tempo. Nada passa desapercebido.
Onde Cantam os Pássaros é o segundo romance de Evie Wyld – selecionada em 2013
pela revista Granta entre os melhores jovens escritores britânicos da década – e mantém
uma pequena e simpática livraria independente no bairro de Peckham, em Londres. A
Review Bookshop possui um pequeno jardim, é dog friendly, realiza o Peckham Literary
Festival e, claro, vende os melhores livros de grandes e pequenas editoras.
Sua prosa refinada com altas doses de terror psicológico está muito bem representada
na edição que a DarkSide® Books entrega a seus leitores em 2015. Ela queria se isolar de
tudo e todos, mas agora está cercada pela crueldade do silêncio e a mais pura manifestação
da natureza. O ciclo da vida é muito mais assustador quando o fim ecoa dentro de
nós. Prepare-se para descobrir uma grande autora, e um livro à sua altura.

Evie Wyld é inglesa e, como sua personagem em Onde Cantam os Pássaros, viveu parte de sua
vida na Austrália. É autora do premiado After the Fire, a Still Small Voice e integrou a edição da
revista Granta com os melhores jovens escritores britânicos da década. Onde Cantam os Pássaros
é o seu premiado segundo romance, o primeiro lançado no Brasil. Saiba mais em eviewyld.com.




“Uma de nossas romancistas mais talentosas da nova geração.”
The Observer

“Uma história repleta de beleza, sombria e poderosamente perturbadora
[...] Uma obra engenhosa, como o melhor de Nabokov.”
William Boyd, New Statesman Books of the Year

“Marcante [...] Tão bom quanto os primeiros romances de Ian McEwan.”
The Spectator

“Suspense e melancolia [...] – uma arquitetura narrativa que poderia parecer
artificial, não fosse a habilidade magistral de Wyld. Tomado de momentos
surpreendentes de leveza e alegria – o humor negro da protagonista, a reverência
nada sentimental da autora pelo mundo natural.”
The New Yorker

“Onde Cantam os Pássaros é um romance de beleza perturbadora.”
Boyd Tonkin, Independent Books of the Year

“A prosa mantém um clima sinistro afinado, mas o aspecto mais impressionante do
romance é sua estrutura. O passado de Jake é narrado em retrospecto, em episódios
perfeitamente divididos, e logo quando parece que alcançamos o trauma fundador,
somos empurrados ainda mais para dentro desta história perturbadora.”
New York Times

“O estilo de Wyld parece emergir de algum lugar profundo; algum lugar um pouco
angustiante e estranho. Pela primeira vez, o hype corresponde ao talento.”
Lucy Atkins, The Sunday Times


Ficha Técnica
Título |               Onde Cantam os Pássaros
Autor |                Evie Wild
Tradutor |          Leandro Durazzo
Editora |             DarkSide®
Edição |              1a
Idioma |              Português
Especificações | 240 páginas, capa dura
Dimensões |       14 x 21 cm
Lançamento |    Maio de 2015
darksidebooks.com | facebook.com/darksidebooks | vc@darksidebooks.com

    Agora esse com certeza vou ler, adorei o contraste da capa rosa com as bordas das folhas em preto, além do que ele tem as palavrinhas mágicas que sempre me fazem querer ler um livro: Terror Psicológico \o/

  E vocês meu povo? O que acharam dos "próximos" lançamentos da Darkside Books? Ficaram empolgados com algum deles? E como está sendo a sexta-feira 13 de vocês?

quarta-feira, 11 de março de 2015

Aquisições #8 [Crônicas e quadrinhos]

  Adoraria chegar aqui e dizer "olha como estou me controlando, comprei bem pouquinhas coisas" mas não é dessa vez que poderei fazer isso :x


  Começando pelas belezuras de livros de crônicas, peguei mais dois da Martha Medeiros, Felicidade Crônica e Liberdade Crônica que tem ainda mais nome de auto-ajuda do que o A Graça da Coisa, mas isso não faz deles auto-ajuda... e eu sei que são mais voltados para o público feminino mas adoro a escrita da Martha... E também tem Sete Anos, da Fernanda Torres, que comprei principalmente por causa da Nina, que falou maravilhas do livro Fim da autora.

  Logo depois vem o momento impulso... Lua Vermelha comprei principalmente porque estava barato para trocar no Skoob por um livro que realmente queira, Ache Momo (pressinto o Mateus ainda rindo por causa desse livro) comprei porque achei que as fotos seriam mais desafiadoras... mas não... e Cachorros Submarinos comprei porque achei a ideia divertida, e acabei gostando bastante do livro.

  Então, de um súbito, comprei um monte de livros da L&PM Pocket, entre eles A Arte da Guerra do Maquiavel, tudo o que sei sobre Maquiavel é o que li nos livros do Assassin's Creed, mas como lá é bem romanceado resolvi conhecer um pouco do verdadeiro príncipe florentino. e também comprei alguns da Agatha Christie pra dar mais uma (ou cinco) chances à autora.

  Numa troca no Skoob consegui o Feios do Scott Westerfeld, o livro está em perfeito estado, chego a duvidar que a antiga dona tivesse chagado a lê-lo.

  Quem viu o último vídeo viu que eu tinha comprado The Walking Dead: A Queda do Governador - Parte 2 e ele tinha vindo com um problema na capa, a editora foi super bacana e me mandou um exemplar novo e em perfeito estado, e não contente com isso eles ainda me mandaram Arkansas do John Brandon, que é minha leitura atual (uma delas, pelo menos) e logo venho falar dele aqui.

  E por último, comprei mais três volumes da Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel, talvez eu fale deles, talvez não, mas com certeza vou lê-los.

e é isso meu povo... até a próxima.

segunda-feira, 9 de março de 2015

[Opinião] O Apanhador de Sonhos - Stephen King


Editora: Suma de Letras (Ponto de leitura)

N° de Páginas: 812

Citação:

Ela se sentou ao lado dele, segurou a cabeça agitada e a levou contra seu seio. Mesmo agora, na inquietação, a pele dele era fria; seu sangue exaurido e agonizante era incapaz de lhe aquecer o rosto. Ela se lembrou de ter lido Drácula havia muito tempo, no tempo do colegial, o terror prazeroso que se tornava um tanto menos prazeroso quando se deitava para dormir, a luz apagada, o quarto repleto de sombras. Lembrava-se de ter ficado muito contente por não haver vampiros de verdade, mas naquele momento tinha outra concepção. Havia pelo menos um e era bem mais aterrorizante que qualquer conde da Transilvânia; chamava-se não Drácula, mas leucemia, e não havia estaca que se lhe pudesse enterrar no coração."

Sinopse:
  Eles ainda eram meninos quando viveram uma experiência que os marcaria para sempre. O tempo passou. Outros caminhos, outras histórias, mas continuaram amigos. Cúmplices. Todos os anos, onde quer que estejam, interrompem suas vidas para uma temporada de caça nos bosques do Maine. Um momento para recordarem o passado e fortalecerem o sentimento que os une.
  Nesse ano, algo diferente acontece: um forasteiro surge repentinamente no acampamento. Confuso, ele murmura frases desconexas. Assustado, fala de luzes no céu. Sua voz soa em meio ao grupo como uma estranha e aterradora profecia.
  Não levará muito tempo para que descubram o que aterrorizou tanto aquele homem. De repente, se verão diante de uma cruel e implacável criatura de outro mundo. Para sobreviver, terão mais uma vez de unir suas forças e contar com algo que ficou no passado. Mais que tudo, terão de contar com o apanhador de sonhos. 

Opinião:
  Esse livro me introduziu a uma nova "fase" do Stephen King, por assim dizer, foi o 11° livro do autor que li, o primeiro dos que leio que ele escreveu no presente século, e também o primeiro de ficção científica...
  Quando eu vi o tamanho do livro eu tinha certeza que a parte do terror, e mesmo a ação do livro demoraria pra chegar, eu estava enganado, no começo do livro já somos apresentado aos nosso quatro protagonistas, os amigo Beaver (o tipo de cara do qual todos adoram), Henry (um psiquiatra depressivo com intenções suicidas), Pete (Um vendedor de carros, meio chato e com problemas com álcool) e Jonesy um professor... e vemos que todos eles têm algo especial, algo que foi dado por um antigo amigo.
  Meu primeiro contato com essa história foi por volta de 2003, se não me engano, quando levantei a noite e meu pai estava assistindo ao filme... ele me mandou dormir e a cena do olho amarelo vendo através do olho-mágico de uma porta me acompanhou desde então, quando comecei a ler e descobri que a história era baseada em um livro resolvi que só veria o filme depois de ler o dito livro... e só consegui fazer isso agora.
  No começo, acreditei que o livro se alçaria ao topo da minha lista de favoritos, mas não foi o que aconteceu, quando vi que ele tinha mais de 800 páginas imaginei que teria um começo muito lento e monótono, mas não, o começo do livro é acelerado e muito envolvente, nos apresenta a situação de forma rápida e passamos boa parte do livro tentando descobrir de onde surgiram as habilidades dos quatro amigos e também quem é Duddits, além do fato de saber o que exatamente está acontecendo naquela pequena parte do Maine, onde, aparentemente ocorreu um náufrago intergalático.
  Infelizmente o livro não mantém o mesmo ritmo até o final, existem três capítulos que, para mim, foram um tanto cansativos, considerando que nenhum capítulo tem menos de 30 páginas...
  Apesar dessa parte cansativa eu gostei bastante do livro, ele apenas começou ótimo e terminou muito bom, a narrativa não é linear mas isso não é um defeito, muito pelo contrário, temos o momento atual intercalado com a infância dos quatro amigos mostrando como conseguiram seus poderes e algumas coisas que realizaram com eles.
  O filme começa muito fiel ao livro, possuindo poucas diferenças, e a parte cansativa do livro foi mais acelerada, tornando-a mais dinâmica e acelerada, a única coisa que estraga é o final (do filme) onde eles transformaram um dos amigos em... assista o filme para descobrir...


sábado, 7 de março de 2015

[Opinião] Sandman: Noites Sem Fim - Neil Gaiman


Editora: Vertigo (Panini)

N° de Páginas: 154

Citação:
Eu estive viva, aquela noite, mantendo aqueles homens em minhas mãos. Se nada mais lhe resta que queira, então simplesmente espere até que nada mais reste a esperar."

Sinopse:
  Antes de se tornar um autor best-seller do New York Times, Neil Gaiman revolucionou a indústria dos quadrinhos com SANDMAN. A mais aclamada e premiada obra em quadrinhos da última década é uma mescla rica de mitologia moderna e fantasia sombria, à qual ficção contemporânea, drama histórico e lendas são perfeitamente intrincados. A série criou novos padrões para os quadrinhos e seus dez volumes são vistos como um dos marcos do meio.
  SANDMAN: NOITES SEM FIM é um deleite tanto para os fãs de Neil Gaiman quanto para novos leitores. Seja assombrado, agridoce, erótico ou digno de pesadelos, os sete contos desta edição - um para cada um dos Perpétuos - revelam estranhos segredos e surpreendentes verdades. Cada história é ilustrada por um grande quadrinista.
  Neil Gaiman sempre prometeu que voltaria ao mundo de SANDMAN, e, agora, ao lado de grandes artistas internacionais, ele finalmente retorna aos personagens que fizeram sua fama para nos brindar com novos sonhos ou pesadelos.

Opinião:
  Eu nem precisaria falar nada depois dessa sinopse né? Isso que eu nem coloquei o comentário que o mestre (sim, estou falando do SK) fez e está impresso na quarta capa.
  Se você viveu em uma caverna nos últimos 27 anos e não sabe o que é Sandman, ou acha que estou falando do João Pestana dos folclore americano, vamos a uma brevíssima explicação:  Sandman é uma série em quadrinhos criada por Neil Gaiman em 1988 que conta a história de Sonho (Morpheus, Sandman, Oneiros Lorde Moldador...) que é o senhor do Sonhar, e é um dos 7 Perpétuos, que são representações de alguns aspectos dos seres vivos, os sete perpétuos são (por ordem de idade, se não me engano): Destino, Morte, Sonho, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio.
  Essa edição traz sete pequenas histórias, cada uma protagonizada por um dos Perpétuos, não é o meu primeiro contato com o autor nos quadrinhos, já havia lido Os Livros da Magia e não gostei, achei uma imensa perda de tempo e dinheiro, e comecei a achar que a série Sandman não era tudo isso que o povo falava... mas resolvi dar uma chance a esse "especial".
  As histórias são simplesmente incríveis, especialmente as três primeiras, que são respectivamente sobre a Morte o/a Desejo e o Sonho, a do/da Desejo principalmente pela forma como é contada, a do Destino é simples, até demais, a da Desespero é intitulada 15 retratos do desespero, e nos apresenta 15 situações desesperadoras, enquanto a do Destruição não mostra muito da essência do personagem, mas continua sendo uma história bacana, apenas a da Delírio não fez sentido pra mim, Delírio é uma menina louca e a história dela reflete isso, totalmente confusa colorida e... delirante?!
  Os ilustradores deram um show a parte, transparecendo na arte a personalidade de cada perpétuo, especialmente a da Desespero e da Delírio (como já disse), vou deixar abaixo uma foto de cada história, só pra dar um gostinho pra vocês..

Morte, impossível não se encantar com ela
Desejo, história e desenho incríveis
Sonho (e mais uma palinha da Morte) acho que a história mais divertida
Desespero, não tinha nenhum desenho que mostrasse ela muito bem, pelo menos não na história dela
Delírio, loucura total
Destruição, bem diferente do que eu esperava
Destino, bem diferente do mostrado no desenho da Liga
   Sério meu povo, vocês precisam ler essa HQ, e como não posso proporcionar isso a todos, vou proporcionar ao menos a um de vocês, sim, teremos sorteio dessa coisa linda :3

  Pra participar é super fácil:
  Você precisa ser seguidor público do blog
Você precisa ter endereço de entrega no Brasil
Você deve preencher atentamente o formulário abaixo apenas uma vez

Endereços errados, extravio por parte dos correios, demora na entrega do prêmio por culpa da Dilma: Não tenho nada a ver com isso...


quinta-feira, 5 de março de 2015

Melhores do Ano: S02E02



  Acho que tá bem claro, pela imagem, qual será o prêmio em questão né?


  Enfim... Esse ano quero testar coisas novas, pelo menos no que diz respeito aos sorteios aqui do blog, assim sendo teremos o nosso "reality show" Melhores do Ano, onde as 5 pessoas que mais comentaram/participaram do blog no ano passado serão, de certa forma, presenteadas (enquanto eu tenho o sádico prazer de vê-los sendo eliminados por outros leitores do blog) e quero ver se faço os outros 5 sorteios de forma diferente, inclusive um do outro, teremos aqueles pra todos os seguidores, e ainda pensarei nas outras formas... 
  No caso desse teremos um velho conhecido de muitos blogs literários por essa internet afora, um TOP COMENTARISTA \o/ (Sim, estou me sentindo solitário e quero mais gente comentando u.u, posso não gostar de interação física mas gosto de conversar

  As regras são simples, você precisa ser seguidor público do blog (pra não perder o costume) e preencher o formulário abaixo (google forms salvando minha vida a quase um ano) e comentar quantas vezes quiser... quem mais comentar, comentários válidos, pelamor né, de hoje até 05/04 será o ganhador, não precisa ser só nas postagens do mês, fiquem a vontade para comentar até nas primeiras (e vergonhosas) primeiras postagens do blog, mas será aceito apenas um comentário por postagem (a não ser que a nossa conversa engrene, aí é outra história).
  A largada está dada e... comentem :p
Relevem a quantidade absurda de parenteses riscados (tô meio aloprado hoje)




terça-feira, 3 de março de 2015

[Opinião]All You Need Is Kill - Hiroshi Sakurazaka


Editora
JBC

Citação
"E se uma alguém com o dom de explicar o universo através de equações escolhesse ser professor de literatura? E se alguém com o dom de assar pães extraordinários escolhesse ser engenheiro? Quando o dom divino de uma pessoa diverge do que ela quer fazer, qual será o caminho que trará a verdadeira felicidade à ela?"




Opinião:
  Quem aí já assistiu ao filme No Limite do Amanhã (ou, como diz uma amiga minha "aquele do Viva, morra, repita")? Pois então, adivinha no que ela foi baseada?
  Claro que entre o mangá e o filme há inúmera diferenças, a primeira, que salta aos olhos, são os mimetizadores, que são diferentes não só na aparência, no filme eles são apresentados como alienígenas, enquanto no mangá apenas se supõe que o sejam, mas não há nenhuma garantia de que sejam e várias especulações sobre de onde vieram.
  A história trata sobre determinação e o duro trabalho de melhorar a cada dia (mesmo que o dia seja sempre o mesmo dia), além do enfado de se viver em uma rotina.
  Teve uma coisa no filme, que obviamente não posso falar, porque é lá do final quase, que me incomodou muito, a Rita fala algo que não teria como ela saber, não teria como ninguém saber, na verdade, e esse foi um dos principais motivos pelos quais eu quis ler o mangá, e como muita coisa, aquilo também é diferente, muito melhor explicado e desenvolvido no mangá.
  Os personagens nos conquistam no decorrer da história, que é muito bem amarrada e desenvolvida, e é desenhada pelo Takeshi Obata (Bakuman e Death Note) o que a torna ainda mais especial :3

Um comentário com spoiler:
  A parte que me irritou no filme foi aquela onde a Rita diz para o Keiji que perdeu o poder de reiniciar o dia a cada morte quando fez uma transfusão de sangue, como ela poderia saber que perdeu o poder de reiniciar o dia se ela não morreu de novo pra ter certeza?
  No mangá ela reiniciava o dia ao matar o Mimetizador-servidor, o que faz muito mais sentido e não deixa as pontas soltas que o filme deixa.

domingo, 1 de março de 2015

Lidos em Fevereiro de 2015 (Livros, HQs, Mangás, Folhetos, Placas Whatever)

 Oi, oi, oi meu povo, estou tão feliz que minha internet está pegando e vou poder deixar umas 5 ou 6 postagens programadas porque que né... isso tá sendo raro ultimamente, por isso que ando sumido dos blogs que costumo acompanhar, na verdade até vejo eles e leio as postagens, mas normalmente é quando estou no serviço e aí eu não entro no perfil do Google pra comentar nem nada, mas eu continuo lendo. (quando meu patrão não está por perto).
  Enfim... Esse mês eu "li" 6 livros (você já vai entender o motivo das aspas)
Só lembrando, caso queira ver minha opinião sobre determinado livro é só clicar na foto do mesmo.

  Comecei Janeiro lendo Stephen King, e comecei Fevereiro lendo Misery, também do Stephen King, e só pra continuar com a tradição, começamos Março e adivinha o que estou lendo? (ou olha na janelinha do Skoob aí do lado que nem precisa adivinhar), Misery foi uma agradável surpresa pra mim, mesmo me considerando um "leitor veterano" do autor ele continua me surpreendendo a cada livro e mostrando porque ele é chamado de mestre.

  O segundo livro do mês foi o Segundo Eu Me Chamo Antônio, do Pedro Gabriel (sim, o primeiro "segundo" foi posto intencionalmente para se relacionar com o segundo) Gostei bem mais do que do primeiro e acho que ele vai conquistar muita gente que não curtiu seu antecessor.

  Em seguida veio o motivo das aspas lá de cima, Ache Momo, do Andrew Knapp, é até bonitinho, tem fotos bonitas, mas não é lá muito interessante e muito menos desafiador, sinceramente acho que foi um desperdício de papel e tinta (e dinheiro, óbvio).

  O quarto livro do mês foi Put Some Farofa do Gregorio Duvivier, e apesar de ele ter me arrancado boas risadas ele não acrescentou praticamente nada à minha vida, até gostei do livro, mas não teria me feito falta se eu não o tivesse lido.

  Então resolvi partir para um livro mais gordinho, e como li vergonhosamente poucos do Sidney Sheldon resolvi pegar Se Houver Amanhã, os livros do Sidney tem nomes que os fazem parecer romances de banca, e alguns até uns atracamentos acontecimentos que lembram esse tipo de livro, mas apesar disso eles são muito bons, densos e envolventes, e esse não foi diferente, foi até melhor que alguns outros dele que já li.

  Então li O Planeta dos Macacos, do Pierre Boulle, clássico da ficção científica e blableblu e... não é que eu gostei desse negócio!? Tá que eu penei pra chegar na páginas 60 e pensava em abandonar o livro a cada 5 páginas, mais ou menos, depois que aparecem os primeiros macacos a história flui que é uma beleza, curti demais e agora quero ler mais e mais ficção científica.

◘◘◘◘◘◘◘◘◘◘◘◘◘◘◘◘ ← Se você não entendeu eu quis dizer que agora vou falar dos quadrinhos ;p

  Virei o mês terminando o volume 15 dos X-men, e apesar de ter ficado meio revoltado por ter sido enganado pela capa foi um dos melhores desde O Cisma.

  Depois li o incrível Os Fabulosos X-men: A Saga Da Fênix Negra e conhecendo a história assim até que não parece tão absurdo a fênix que criaram no terceiro filme dos mutantes, não tem muito a ver mas enfim... na história a Jean também tem uma parte dos poderes bloqueados telepaticamente e no começo eles realmente acham que é uma personalidade maluca da Jean que está fazendo tudo aquilo.

  Li também o trigésimo volume da revista do Lanterna Verde, e embora não se compare à época que tínhamos Geoff Jhons como roteirista, é legal... e tá melhorando de umas edições pra cá.

    E, por fim, li Astronauta: Singularidade, continuação de Magnetar, do Danilo Beyruth, é melhor do que o primeiro e simplesmente incrível, está loge de estar entre os meus favoritos da Graphic MSP mas é muito bom.


  Li o nono volume de Btooom! e tá incrível minha gente, não vejo a hora de ler o próximo.


  Depois li os dois volumes de All You Need Is Kill, não vou comentar sobre eles porque vou fazer um post específico.

  E terminei o mês lendo B.B. Project, o qual também não vou comentar porque vou fazer um post só pra ele quando eu terminar a série.

E vocês? o que leram em Fevereiro? me conta aí nos comentários...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...