sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Melhores do Ano: Primeira eliminação



Hoje é dia de "eliminação" :p
Um dos nossos 5 amigos não poderá mais concorrer ao prêmio especial do fim do ano...
  Mas como aqui não há perdedores, quem for eliminado hoje poderá escolher um dos 10 livros da lista das melhores leituras do ano passado.
  Foram um total de 375 votos, obrigado a todos que votaram (embora eu acredite que quem mais votou foram os participantes mesmo).


   Desses 375 votos apenas 373 contaram, levando em conta que dois votos estavam em branco (e eu nem sabia que isso era possível, vou ter que dar um jeito na próxima).









  A pessoa menos votada, que continuará na briga pelo prêmio especial (só pra constar, eu ainda não sei exatamente qual será o prêmio especial, por isso eu continuo chamando apenas de "Prêmio especial) é...




  Nina... com apenas 2 votos.
Mas quem sai? Diga logo pra que o(a) eliminado(a) possa escolher o livro logo de uma vez!



Parece que vocês não sabem que o que faz um reality show é a enrolação na hora das eliminações, sendo assim vamos ao segundo participante menos votado...







  .... Que por enquanto também continuará concorrendo ao prêmio especial (aproposito, me deem sugestões para o prêmio especial, será um montão de livros, mas estou pensando sobre quais... talvez uma seleção dos melhores livros da vida, minha, no caso, ou então vou até a lista de desejados no skoob do cidadão e escolho alguns... o que mais imagino seria deixar que o vencedor escolhesse)
  Mas vamos logo ao quarto colocado...


   Gisleyne, com sete votos continua na brincadeira...






  O problema é que agora eu já não sei mais como enrolar
                :/












  Assim sendo vamos logo ao terceiro colocado que, adivinha! Continua no jogo...
  Com 10 votos, o carinha que não anda tendo tempo nem sequer de ler, Gabryel!!!



E agora... o momento que todos esperavam (pelo menos aqueles que não pularam de vez pro final da postagem)

  Tony

ou

Letícia?

Quem fica?

Quem vai?

descubra logo depois dos comerciais....














Brincadeira!


Letícia, infelizmente você não poderá mais concorrer ao prêmio especial, mas você pode escolher um para ganhar agora, espero seu contato ;)

E Tony, você continua na disputa (eu sei que você não queria, mas é assim que funciona u.u) até a próxima.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

[Opinião] O Planeta dos Macacos - Pierre Boulle


Editora: Pocket ouro (agir)

N° de Páginas: 205

Citação:

Esse desenvolvimento de lesma entre os macacos merece alguns comentários. Fiquei impressionado com isso ao estudar sua história, detectando nesse aspecto importantes diferenças com relação ao desabrochar do espírito humano. Tudo bem que tenhamos conhecido uma era muito parecida, de quase estagnação. Tivemos nossos orangotangos, nossos ensinamentos mistificados, nossos projetos ridículos, e esse período durou um bom tempo."

Sinopse:
  No ano de 2500, o professor Antelle, o físico Arthur Levain e o jornalista Ulysse Mérou deixam a Terra. Eles embarcam numa nave cósmica, em direção ao extraordinário sol vermelho Betelgeuse, na constelação de Órion. O destino encontra-se a 300 anos-luz da Terra e até atingí-lo passam-se, em nosso planeta, cerca de três séculos e meio, enquanto os viajantes, devido à dilatação do tempo, têm a sensação de passarem-se apenas dois anos. Finalmente, eles se surpreendem ao aterrissar em um planeta com cidades, casas, florestas... Um planeta igual a Terra? Quase. Existe uma diferença: aqui, os macacos reinam e os homens vivem em estado selvagem, quando não estão enjaulados e escravizados. O que terá acontecido com a espécie humana?

Opinião:
  O livro tem mais de 50 anos, mas não vou aderir à velha moda de "lançado a mais de 40 anos = Spoiler liberado" até porque muita gente só conhece o filme, ou pior, só conhece os dois últimos filmes, que apenas pegaram a ideia apresentada no livro (e no filme do início do século), quando eu soube que ia sair um filme chamado Planeta dos Macacos: A Origem eu pensei, putz, eles vão estragar a maior surpresa do filme, mas enfim... o começo do livro me lembrou bastante o começo do filme de 2001, então eu supus que o final também seria igual, e apesar de ser parecido tem diferenças sutis, na verdade o livro e o filme têm bem poucas coisas em comum, se não me engano no filme o protagonista nem é jornalista.
  O livro começa com um casal alienígena viajando pelo espaço numa.. é... espaçonave à vela? Pode parecer ridículo mas o autor explica como ela funciona no livro e esses alienígenas encontram uma garrafa flutuando no vácuo com uma mensagem dentro (What?!) e essa mensagem é a história propriamente dita, até a página 60, mais ou menos, o livro se arrasta como cobra moribunda, mas depois que os primeiros macacos aparecem a história começa a ficar interessante...
  O filme de 2001, dirigido por Tim Burton (do qual eu insisto em falar, pois foi o único que assisti) é muito pouco fiel a história original, inclusive o diretor foi apedrejado pelos fãs do filme de 1968, enquanto o livro é mais sobre a cultura dos macacos e como Ulysse se adapta aos costumes deles o filme tem muito mais ação e revolta (mas mantém, desnecessariamente, o beijo zoofílico entre Ulysse e Zira).
  O autor usa da ficção científica para falar sobre as diferenças sociais e raciais, além de criticar diversas vezes a irresponsabilidade do ser humano em manter "o mundo girando" por assim dizer, me aprofundarei mais nisso na parte do spoiler, lá embaixo, e também podemos identificar um quê de proteção aos animais na obra, com toda aquela história de "e se nossos lugares estivessem trocados?"
  Algumas coisas me pareceram (preparem as pedras) mal preparadas no livro, os nomes de algumas coisas, por exemplo, nosso protagonista sai da Terra chamando o sol para o qual ele vai de Betelgeuse, e batisa o planeta em que pousou de Soror, mas mesmo depois de aprender a linguajem símia e ingressar no "círculo social dos macacos" ele continua chamando-os dessa forma, será que os macacos não tinham dado um nome ao planeta antes da chegada dele?
  A um tempo atrás li um livro chamado Oráculo (aquele da Superinteressante, com um monte de perguntas, da capa podre) onde era explicado que achamos os orientais todos iguais porque nosso cérebro está acondicionado a não diferenciar indivíduos de etnias diferentes da nossa, e no livro também nos é mostrado que um macaco não diferencia um humano do outro, achei essa parte bastante interessante.
  De forma geral, é um livro criativo inteligente e bastante interessante, não tem a linguagem mais simples do mundo, afinal trata-se de um clássico escrito a mais de meio século, mas que definitivamente enterte e desperta um vontade imensa de conhecer mais da ficção científica, além de ter um final agoniante que enche de desespero. Só perde meia estrela pelo começo...


Um comentário com spoiler:
  Durante a leitura vemos que Soror já foi "domínio humano" assim como a Terra, mas os humanos fizeram testes nos macacos para torná-los mais conscientes e, adivinha? conseguiram! Mas como os humanos os usavam como escravos eles acabaram se revoltando contra os mesmos e a preguiça, acima de tudo, dos humanos os levou a negligenciar a ameaça até que fosse tarde demais, assim a população símia sobrepujou a humana que passou a viver como animais.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

[Opinião] Se Houver Amanhã - Sidney Sheldon

Editora: Record

N° de Páginas: 508

Citação:

A liberdade para Tracy não era mais simplesmente uma palavra abstrata. Era uma coisa concreta, uma condição física a ser desfrutada e saboreada. Significava respirara ar fresco, ter privacidade, não entrar em fila para comer, não ouvir campainhas. Significava banhos quentes e sabonetes perfumados, lingerie macia, bonitos vestidos, sapatos de saltos altos. Significava ter um nome em vez de um número."

Sinopse:
  Crimes perfeitos, como o roubo de um quadro Goya do museu do Prado, são um desafio para Tracy Whitney.
  Mas ela não é uma ladra qualquer: para se vingar dos homens que a colocaram injustamente na prisão, ela se torna uma especialista em aplicar golpes em empresários inescrupulosos. De Nova Orleans a Londres, passando por Paris, Madri e Amsterdã, ela desafia a Interpol com uma série de ações ousadas... E apenas um homem é capaz de detê-la.

Opinião:
  Vai ser extremamente difícil escolher os melhores do ano no fim desse.
  Em Se Houver Amanhã conhecemos Tracy, Uma bem sucedida funcionária de banco, noiva de um homem rico, e formidável, mas então tudo começa a dar errado, a mãe comete suicídio e ela é enganada pelas mesmas pessoas que enganaram a sua mãe.
  Tracy tem os traços marcantes das protagonistas do Sidney Sheldon, mas consegue ser a mais inteligente e apaixonante de todas, além do fato de não ligar tanto para o dinheiro (ou coito) como Nolle Page, de O Outro Lado da Meia-Noite.
  O autor nos mostra a transformação da personagem de uma forma convincente ressaltando o poder da determinação e a paixão pelo "trabalho".
  No decorrer do livro vários outros personagens nos são apresentados como Jeff Stevens, um golpista de berço, o qual tem uma importância fundamental para a história e cuja genialidade rivaliza com a de Tracy, um dos pontos altos do livro é ver ambos disputando e também se juntando para fazer todos os outros de bobo.
  Outro personagem de grande destaque é Daniel Cooper, um ser abominável, que conquista a antipatia de todos que encontra, inclusive a do leitor, e conforme o livro passa acumulamos mais e mais asco pelo personagem.
  De forma geral todos os personagens são muito bem construídos, até mesmo os que aparecem por não mais que um capítulo, a trama é muito bem feita e o livro tem um final espetacular, daqueles que você termina e se sente satisfeito, pensando "Já que tem que acabar, que bom que foi assim!"
  Sidney Sheldon não me desapontou e foi até um pouco além das expectativas que eu tinha para esse livro.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

[Marca Texto] O Planeta dos Macacos - Pierre Boulle

  Pra começar, acho desnecessário escreverem na capa do livro "Grandes Filmes" sendo que as semelhanças entre ambos param no nome... mas isso é assunto pra outra postagem...

"O advogado de defesa era um dos bambas do tribunal. Por que ele me aparecia agora sob os traços de um altivo gorila, assim como, aliás, o promotor, outra celebridade? Por que eu assimilava o desencadear de seus gestos e de suas intervenções a reflexos condicionados resultantes de um bom adestramento? Por que o presidente do tribunal confundia-se com um orangotango solene recitando frases decoradas, cuja emissão era automática, calcada, por sua vez, na falta de uma testemunha qualquer ou em determinado murmúrio da multidão?"






  Nesse ponto o narrador está querendo dizer o quão acostumado a viver entre símios "espirituais", usando as palavras do próprio, ele ficou a ponto de quando se lembrava da Terra eram macacos que ele via no lugar dos humanos, mas podemos interpretar algo mais que isso...
  Uma coisa que é especulada diversas vezes no livro, é se os macacos se tornaram civilizados no planeta Soror devido à sua facilidade de imitação (mas quem eles teriam imitado naquele planeta?), então voltemos ao trecho destacado: Até que ponto estamos acomodados e estagnados, gozando das invenções e descobertas de nossos antepassados, criando sempre repetidores de informação ao invés de tentarmos aprender e criar algo realmente novo? Até que ponto a tradição é sadia? Será que não estamos usando discursos prontos no nosso dia-a-dia?
  Muitos (pra não dizer todos) de nós vem decorando as coisas ao invés de aprender, e praticamente ninguém inova, a tecnologia me parece ser a única coisa que vem ganhando espaço e se desenvolvendo, enquanto nós nos tornamos preguiçosos e acreditamos que não há mais nada a ser criado ou descoberto...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

[Opinião] Put Some Farofa - Gregorio Duvivier

Editora: Cia das Letras

N° de Páginas: 197

Citação:
O amor dos meus pais era poderoso - pra mim, pelo menos, que era uma criança medrosa. Tinha medo de médico, de palhaço, de qualquer pessoa com muita maquiagem - Bozo, Vovó Mafalda, Hebe. Quando meus pais se abraçavam, eu me aconchegava entre suas pernas e ia para longe de todos os perigos do mundo, de toda essa gente maquiada demais."

Sinopse:
 Put some farofa - Dont repair the mess. The house is yours. I make question. Pardon anything. Go with god. Come back always. Publicada em Julho de 2014, a crônica que dá título a este volume, que cria uma conversa imaginária de um brasileiro com um gringo visitando o Brasil durante a copa, rapidamente se tornou um viral de internet, até ser comentada em artigo do Washington Post. 
Trata-se de uma amostra da verve humorística embebida de zeitgeist, crítica ferina e muito afeto de Gregorio Duvivier, um dos autores mais promissores do Brasil na atualidade. Reunindo o melhor de sua produção ficcional, Put some farofa traz textos publicados na Folha de S.Paulo e esquetes escritos para o canal Porta dos Fundos, além de alguns inéditos. 
Se Gregorio traz o raro dom da multiplicidade, tendo se destacado no cenário cultural brasileiro ao mesmo tempo como ator, roteirista, comediante, cronista e poeta, também múltiplo é este volume, que transita entre ficções, memórias de infância, ensaios sobre artistas que o influenciaram, artigos panfletários, exercícios de linguagem e outras experimentações. Os textos vão da pauta que está sendo debatida naquele dia no jornal ao completo nonsense; do amor ao ódio, do íntimo ao universal.
No conjunto, o que espanta no autor é o frescor, a coragem, a visão transformadora e, sobretudo, a capacidade inesgotável de se renovar a cada semana, contando sempre com a inteligência e a sensibilidade do leitor.


Opinião:
  A não muito tempo, descobri as crônicas, e foi amor a primeira vista, principalmente por uma certa Martha Medeiros aí... desde então ando procurando mais e mais crônicas para ler, e foi principalmente por isso que comprei esse livro, claro que o fato do Gregorio me fazer rir horrores também teve certa influência.
  O livro tem muito mais do que crônicas, tem também alguns roteiros dos vídeos do Porta dos Fundos, de alguns do vídeos que mais gosto inclusive, mas teve vários deles que ficaram mais interessantes em vídeo mesmo, mas temos também várias lembranças da infância e também uma justificativa (que eu achei meio maluca e absurdamente radical) para o ateísmo do ator/comediante/poeta/roteirista...
  Vários textos são sobre a infância dele, e podemos ver que ela não foi das mais felizes, e mesmo tratando de assuntos pesados e dificuldades na família ele não deixa o bom humor de lado.
  De forma geral, é um livro bacana, onde ele critica com veemencia a política e a religião, expõe sua opinião sem medo de represálias, e em algumas vezes com certo desrespeito.
  Em geral é um bom livro, tira algumas gargalhadas e expõe sua opinião sobre assuntos polêmicos, mas senti falta de algo mais inédito, procurava mais informação útil.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

[Opinião] Ache Momo - Andrew Knapp

Editora: Intrínseca

N° de Páginas: 140

Citação:

Momo era apenas um filhotinho quando o levei para nadar pela primeira vez em um lago. Ele começou a bater as patinhas antes mesmo de chegar à água! Assim que entrou no lago começou a nadar, como se tivesse aprendido aquilo ainda no útero."

Sinopse:
  Momo é um border collie que  adora se esconder.
  Ele está esperando pacientemente que você o encontre nestas mais de cem fotografias incríveis de paisagens rurais e urbanas, lugares comuns e inusitados, tiradas por seu melhor amigo, Andrew Knapp. Dê uma olhada. Será que você consegue achar Momo?

Opinião:
  Não acho certo dizer que "li" esse livro, se juntar tudo o que está escrito, incluindo agradecimentos e afins, não chega a dez páginas escritas (ou talvez nem cinco), o resto são apenas belas fotografias onde, entre outras coisas, aparece Momo, e aparentemente, a graça do livro consiste em você vasculhar as fotos tentando encontrar o cão.
  As fotos são bonitas, mas o cachorro não representa desafio algum, se você pensa em comprar o livro para passar o tempo tentando desvendar todos os "esconderijos" do cachorro esqueça, eu demorei cerca de 10 minutos pra completar o livro.
  Além das fotos o autor escreveu breves trechos (como o que deixei por citação ali em cima) sobre as fotos ou sobre o cachorro, nada muito sensacional.
  O que salva o livro é que as fotos são boas, mas ele não é sequer divertido, ainda bem que foi baratinho :p


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Divagações sobre essa sexta-feira 13

  Já é passado de 12:30 e só agora eu me toquei que hoje é sexta-feira 13, e só percebi porque li a postagem no blog do Mateus sobre o assunto (bem bacana, inclusive, dá um pulinho lá e dá uma olhada) então comecei pensar no que me aconteceu hoje:

 1° Quem me segue no Instagram (tem uma paciência incrível, considerando que não encontrei uma utilidade praquilo ainda) viu que chegou o livro da minha última troca, e fiquei surpreso com o fato de o livro estar em perfeito estado, parece novo... (acabei de ver que minha internet maravilhosa não me permitiu colocar a foto, mas tentei de novo e agora foi)

2° O Grupo Editorial Record respondeu meu e-mail de forma super atenciosa e concordou em trocar um livro que comprei e veio com defeito...

3° Minha cadela de estimação entrou no cio, um cachorro quase do meu tamanho pulou o muro e... bem... deixa pra lá...

4° recebi um e-mail do Grupo Editorial Novo Conceito intitulado "Exclusivo para parceiros" fiquei tão abismado que fui procurar a lista dos selecionados (essa aqui) e não é que eu tô lá mesmo ^^ ou seja, agora o blog é parceiro de uma das editoras mais amadas <3 comment-3--="" nbsp="">

5° Praticamente chamaram meu emprego de fundo do poço ¬¬'

6° Consegui um livro autografado pra sortear pra vocês!!! \o/
Acho que essa precisa ser mais especificada....
  Mês passado eu li um livro que renovou minha esperança nos romances e principalmente na literatura nacional, esse livro foi A Namorada do Meu Amigo, da Graciela Mayrink, que é um amor de pessoa, e concordou, não só em autografar o meu livro como também autografar um outro exemplar pra que eu fizesse o sorteio do livro autografado...

 



 Temos algumas regras óbvias né:
  Você tem que ser seguidor público do blog.
  Você pode participar até dia 28/02   
  Você deve ter um endereço de entrega no Brasil, 
  E você deve preencher atenciosamente o formulário abaixo apenas UMA vez:
  O livro será enviado pela própria autora até 60 dias após a divulgação do resultado (que será 1 de Março)
  Tá esperando o que? Corre preencher o formulário aí^^




  E não deixem de votar no Melhor do Ano ( é aqui ó)

  Ótimo resto de sexta-fera 13 pra você que não é supersticioso vê que é apenas um dia normal

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Melhores do Ano: Segunda Temporada


  Quem acompanha o blog desde o ano passado já sabe do meu costume de sortear os melhores livros do ano anterior né... Mas esse ano vou fazer algo um pouco diferente... primeiro, teremos formulários para quem quiser concorrer ao livro preencher, não vai ser simplesmente seguir o blog, motivo? Muita gente que segue o blog não visita o blog, e muitas vezes eu não conseguia entrar em contato com o vencedor e tinha que fazer um segundo sorteio, e também o fato de que, se eu fizer uma lista com um número para cada seguidor do blog, eu vou ficar o dia todo e seria uma lista enorme, então vamos fazer assim (com formulário) pra facilitar a minha vida.
  E outra coisa que será diferente, no último Melhores do ano do ano passado eu sorteei apenas para as 10 pessoas que mais participaram do blog durante aquele ano, e esse ano, 5 livros serão sorteados da forma especificada acima e cinco serão, de certa forma, presenteados, às 5 pessoas que mais comentaram e interagiram comigo/com o blog no último ano. Mas como decidir quem ganha qual livro? Alguns de vocês já sabem que eu adoro reality shows né... apesar de achar a existência de alguns extremamente desnecessária... eu gosto da mecânica do "Resta um" e é exatamente isso que vou fazer intercalar um sorteio aberto com um presente, e como todo reality show que se preze, quem vai decidir quem ganha qual presente vão ser os leitores, que vão entender melhor daqui a pouco.
  E não para por aí... o primeiro dos Melhores do Ano poderá escolher qualquer um dos 10 livros, enquanto o que não for votado até o final (continuará sendo um sorteio por mês #economia #DinheiroNãoDáEmÁrvore) ganhará um presente especial, que pode ser ainda mais especial dependendo da minha situação financeira no fim do ano (mais especificamente, em novembro) :p




   Votem quantas vezes quiserem, e lembrando a quem for o ganhador, assim que eu divulgar preciso que me informe qual livro escolheu e tenha em mente que vai demorar um tantinho... afinal de contas eu tenho que encontrar o dito livro por um preço acessível, encomendar e aqueles paranauês todos...

[Opinião] Segundo Eu Me Chamo Antônio - Pedro Gabriel


Editora: Intrínseca

N° de Páginas: 180

Citação:
Um dia você deixou escapar que sentia vergonha por nunca ter lido um clássico. 
Eu fiquei vermelho, mas admiti que não dava importância aos livros importantes. Aliás, não me lembro de ter lido nada de muito grandioso nos clássicos."

Sinopse:
Antonio é o personagem de um romance que ainda vai ser escrito, o que não o impede de chegar às livrarias e se tornar um best-seller com mais de 150 mil exemplares vendidos, graças à poesia e à irreverência das frases e desenhos que rabisca em guardanapos, entre um chope e outro. Em Segundo - Eu Me Chamo Antônio, ele revela em pequenos textos suas paixões, suas inspirações e seu rico mundo interior, onde girafas falam de amor, bailarinas beijam palhaços e poetas escrevem rimas bonitas em pequenos pedaços de papel descartável.

Opinião:
  Confesso que esperava apenas mais do mesmo, a exatamente um ano atrás, eu li o primeiro livro do Pedro Gabriel, e achei divertido, até bonitinho, tanto que acabei lendo mais uma vez no decorrer do ano, porque ele é como uma brincadeira, que te envolve e você vai tentando desvendar o que está escrito em cada página.
  Mas encontrei muito mais nesse livro, mesmo tendo ainda as escritas mirabolantes e semi-incompreensíveis que já conhecemos, temos também alguns poemas maiores, inclusive alguns digitados, que nos faz ter uma ideia da vida do personagem Antônio, além de ter uma continuidade, ele é bem mais linear do que o primeiro, que você podia abrir em qualquer página e entender, esse você tem que seguir, o que nos leva a crer que logo esse "Romance que ainda não foi escrito" que tanto gostam de falar quando citam Antônio, está caminhando... espero que o próximo livro do Pedro seja um romance mesmo, nos contando a história completa desse personagem levemente pinguço, que se apaixona com facilidade, incrivelmente depressivo, mas acima de tudo, altamente carismático.


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

[Opinião] Misery - Stephen King


Editora: Suma de Letras

N° de Páginas: 326

Citação:

Ele morria pouco a pouco, mas morrer daquele jeito não era tão mau quanto ele temera. Mas ele também esvanecia, e aquilo era horrível porque era idiota."

Sinopse:
  Sua fã número um.
  Paul Sheldon é um famoso escritor que finalmente encontrou sua maior fã. Ela se chama Annie Wilkes, e é mais do que uma leitora voraz: é a enfermeira de Paul, mantendo-o prisioneiro em sua casa isolada.
  Agora Annie quer que Paul escreva sua obra-prima, mas só para ela. Annie tem vários métodos para incentivá-lo. Como uma agulha. Ou um machado. E, se nada funcionar, ela poderá ficar ainda mais perigosa.

Opinião:
  Annie Wilkes deveria ser trancada no Overlook com Margerete White.
  Acho que todo mundo conhece a história né?! O escritor famoso que é meio que sequestrado por sua fã número um, que é totalmente fora da casinha, obrigado a queimar o manuscrito do livro que ele tinha passado dois anos escrevendo... entre outras coisas que feriam muito mais que seu ego.
  Por falar em Overlook (o hotel assombrado/amaldiçoado/absurdamente capetoso do livro O Iluminado, pra quem não está se situando) achei incrível o fato de citarem que certo personagem foi até aqueles lados para escrever uma matéria sobre o Overlook [porque, pra piorar tudo, a casa/cativeiro onde Paul está trancado fica na mesma região montanhosa que o dito (ou seria maldito?) hotel].
  O livro me surpreendeu já na primeira folha, é fato conhecido que Stephen King adora, e demora para, criar o cenário da história, sendo assim eu esperava que ele nos mostrasse o cotidiano de Paul Sheldon, os lugares que frequentava e esse tipo de coisa para só depois levá-lo ao encontro de sua fã número um. ao perceber que o livro já começava com o escritor na casa dela eu me surpreendi, achei que sentiria falta do enchimento de linguiça de sabor único e incrivelmente bem temperado do mestre, mas ele conduziu a história de uma forma tão incrível que toda a apresentação dos personagens, e consequentemente do cenário, já vieram com um gosto de clímax.
  Uma boa parte do livro se passa com Paul Sheldon sozinho com seus pensamentos, pensando sobre sua antiga vida, sobre seu ofício de escritor, e, obviamente, sobre sua condição atual. nesses pensamentos ele se amaluca um pouco, vemos isso aumentar e se agravar no decorrer do livro, ele tem ataques histéricos de risada e até nós rimos com ele, com algumas observações malucas que ele faz, vemos várias e várias facetas de escritor, que é quase impossível não imaginar que são as mesmas usadas pelo King, na verdade, o livro todo parece um desabafo do autor, me pareceu que ele usou tudo como uma metáfora para os editores que cortam partes que considerava importante do livro (eu li que o manuscrito de Sob a Redoma tinha quase, ou mais, de 1500 páginas) a exigência dos leitores por novas obras, e isso ainda se reforçou pelo fato de eu ter lido o prefácio de À Espera de Um Milagre onde o autor diz que recebia várias cartas de leitores, que iam de ameaça a súplica, para que ele escrevesse o próximo livro da Torre Negra, me pergunto se em algum momento Roland Deschain foi a Misery Chastein do Stephen King.
  Em suma, é um livro envolvente do começo ao fim, que mostra vários artifícios usados por escritores e que dá uma vontade imensa de escrever, e um medo terrível de fazer sucesso, claro que ele tem as partes aterrorizantes características dos livros do mestre que tanto amamos. 


domingo, 8 de fevereiro de 2015

[Lista] Os 5 autores mais lidos da minha "estante"

  Vamos começar explicando algumas coisas... peguei a ideia pra essa lista do vídeo homônimo da Nine, se você não viu o dito vídeo vou deixar ele aí em baixo. e o "Estante" do título está entre aspas pelo simples motivo de... eu não tenho uma estante :B

  O vídeo da Nine:



  E agora vamos à minha lista, vou contar apenas livros, caso contrário Robert Kirkman ganharia disparado:


5° Lugar: Sidney Sheldon



  Sidney Sheldon é um dos meus autores favoritos, já li 5 livros dele e tenho outros 4 aqui só esperando uma chance, os livros que li dele foram:
A Herdeira (meu favorito)
O Plano Perfeito (o mais fraquinho)
Conte-me Seus Sonhos (surpreendente)
O Outro Lado da Meia-Noite (tenebroso, em alguns momentos)
Um Capricho dos Deuses (informativo, eletrizante mas um tiquinho previsível)

4° Lugar: Augusto Cury


  O engraçado é que nunca considerei Augusto Cury como um autor tão querido, obviamente eu gosto dos livros dele, inclusive li duas vezes um desses aí e o considerei um dos melhores do ano... Ele tem uma forma peculiar de contar suas histórias, e eu gosto do jeito dele, ele nos faz pensar... mas ele tem apenas mais 3 livros lançados que eu realmente quero ler, 1 deles eu já tenho aqui, e até hoje li o total de 6:
  O Vendedor de Sonhos ♦ O Chamado (me surpreendi positivamente)
  O Vendedor de Sonhos e a Revolução dos Anônimos (me deixou sem ar)
  O Semeador de Ideias (foi o primeiro livro que me fez chorar)
  Manual dos Jovens Estressados (divertido, mesmo sendo auto ajuda)
  O Futuro da Humanidade (zerou meus post-its, mas foi o que menos gostei)
  O Colecionador de Lágrimas (muuuito bom, apesar de eu ter encontrado várias "falhinhas" durante a minha segunda leitura.

3° Lugar: Oliver Bowden


  Claro que ele só está aqui por causa da série Assassin's Creed, por mais que seja uma série cheia de altos e baixos e bastante contraditória as vezes, é uma série que eu gosto e já li os 6 primeiros (Ah, do Augusto Cury você também leu 6, porque ele está em quarto e esse cara em terceiro? Porque gosto mais dos livros dele do que os do Gugu Cury!! u.u) e tenho o sétimo aqui, na fila...
  Assassin's Creed: Renascença (envolvente e apaixonante)
  Assassin's Creed: Irmandade (incrível sequencia)
  Assassin's Creed: A Cruzada Secreta (lembro vagamente)
  Assassin's Creed: Revelações (zilhões de vezes melhor do que os outros)
  Assassin's Creed: Renegado (decepcionante e desnecessário)
  Assassin's Creed: Bandeira Negra (nega a raça, mas é uma boa distração)

2° Lugar: Harlan Coben


  Historias policiais já são incríveis por si só, nas mãos desse cara então... os livros são escritos de forma envolvente, engraçada e intrigante, em determinados momentos até angustiante... já li 7 livros dele, e tem mais dois aqui pedindo para serem lidos.
  O Preço da Vitória (Deixou uma ótima primeira impressão)
  O Inocente (amor eterno por esse livro, risadas eternas com o Matt)
  Desaparecido Para Sempre (bem mais sério e profundo, angustiante)
  Sem Deixar Rastros (quase morri de dó do Myron)
  Não Conte a Ninguém (UoooooU, UooooooooU)
  Cilada (Cara, isso foi incrível)
  Seis Anos Depois (Mexe com a mente, e muito)

1° Lugar: Stephen King


  Claro que o primeiro lugar tinha que ser dele, o mestre do terror, o rei do suspense, a genialidade encarnada, a definição de mente perturbada, o cara que escreve mais do que come (sério, vocês já viram como ele anda magriiinho?) a razão para jamais querermos ir ao Maine: Stephen King (porque quem nasceu para a realeza já nasce com "rei" no nome) ele é meu escritor favorito, me deixará incrivelmente pobre com esses livros extremamente caros dele mas eu o amo mesmo assim... Estou terminando meu décimo livro dele e tenho mais 8 aqui esperando para serem lidos.
  O Iluminado (aquele filme é uma afronta u.u  em breve teremos um "revivendo"desse livro)
  A Zona Morta (foi um pouco cansativo no começo mas depois foi incrível)
  O Pistoleiro (TDT #1) (Um começo misterioso que promete muita coisa)
  A Escolha dos Três (TDT #2) (As coisas começam a ficar mais interessantes)
  As Terras Devastadas (TDT #3) (Momentos assustadores intercalados com momentos aconchegantes)
  Mago e Vidro (TDT #4) (Gigaaaaante, assustador em diversos momentos mas meio melozinho lá pela metade)
  Insônia (interessantíssimo, mas o mais fraco que li do autor)
  Carrie, A Estranha (Ah, se o filme fosse tão bom quanto o livro...)
  À Espera de Um Milagre  (Comovente, diferente de tudo que já vi)
  Misery (estou quase terminando, provavelmente a próxima postagem será sobre ele)

  
  E vocês meu povo? Qual ou quais são os autores mais lidos da sua estante...
  Milly, sei que você sempre faz listas, que tal a sua versão dessa?
  Gabrito, Byel, El Costa (ou como queira ser chamado :p) quero ver a sua também...
  Se mais alguém resolver fazer no blog deixa o link aqui pra mim ir lá ver ok ;) se não quiserem fazer no blog (ou não tiverem um) me contem aí nos comentários mesmo ;)

  Grande abraço pro6!!!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

[Breve Comentário] Série Total Drama

  Olha só, nem lembrava mais que fazia esses breves comentários...
  Enfim... minha internet continua uma beleza, tanto que nem sei se vou conseguir postar isso, enfim... tinha muita coisa pra fazer aqui no blog, mas como quase todas necessitam de algumas fotos que precisam ser meio que montadas (Sim, estou falando dos Melhores do Ano) e minha internet não me permite baixar um editor decente (e simples, porque vocês sabem que meus conhecimentos nesse negócio são praticamente nulos) hoje vou falar de desenho animado \o/
  Podem achar infantil da minha parte mas eu simplesmente adoro alguns desenhos, até que são poucos, mas os amo de todo o coração :3
  Hoje vou falar da série Drama Total (ou Total Drama), uma série animada produzida pela Cartoon Network que mostra como os reality shows deveriam ser (muhawaha).
  A série possui 7 temporadas (e da terceira pra frente vieram com a promessa que seria a última mas como eles estão motivado$ continuam fazendo mais) que são respectivamente Ilha Dos Desafios (Total Drama Island); Luzes, Drama, Ação (Total Drama Action); Drama Total Turnê Mundial (Total Drama The Musical); Drama Total, A Vingança da Ilha (Total Drama: Revenge of the Island), Drama Total A Nova Ilha (Total Drama Pakithew Island) e Drama Total Só Estrelas (Total Drama All Stars)

  Todas as temporadas são apresentadas por Chris McLean, um narcisista que faz o possível para dificultar a vida dos participantes, com um humor ácido e mente maligna ele cria os desafios mais absurdos, e várias vezes mortais, para os participantes.
  Todas as temporadas possuem a mesma música tema e a abertura mostra todos os participantes e o local onde acontece o programa/concurso/tortura :p











Ilha dos Desafios (Total Drama Island)

  22 adolescentes se inscrevem para passar as férias em um acampamento de verão, mas ao chegar lá eles percebem que o acampamento não é a maravilha que havia sido prometida, com personagens marcantes e situações bizarras a primeira temporada é a mais longa, mais engraçada e de longe a melhor de todas.

Luzes, Drama, Ação! (Total Drama Action)

  14 dos participantes da primeira temporada ganham uma segunda chance para conquistar o prêmio de 1 milhão de dólares, dessa vez em um estúdio de cinema abandonado, os desafios são inspirados em filmes e alguns episódios mostram um programa derivado do jogo, onde os eliminados são entrevistados e aquela coisa que existe na vida real, mas com muito mais zoação.

Drama Total Turnê Mundial (Total Drama The Musical)
  14 participantes antigos voltam com dois novos para outra temporada, dessa vez com dois novos personagens, cumprindo desafios ao redor do mundo e ainda tendo que cantar, é mais divertida que a temporada anterior e bizarríssima.

Drama Total: A Vingança da Ilha (Total Drama Revenge of the Island)

  Um turma totalmente nova, um cenário já conhecido, mas incrivelmente mudado... a quarta temporada acontece na mesma ilha que a primeira, mas nesses dois anos Chris McLean a vendeu para uma empresa que a usou como depósito de lixo radioativo, então agora temos criaturas mutantes e poços de ácido corrosivo, a maioria dos personagens são extremamente chatos mas ainda assim a temporada consegue ser divertida. Alguns dos antigos participantes aparecem vez ou outra, mas dessa vez como funcionários do programa, e não como competidores.

Drama Total: A Nova Ilha (Total Drama Pahkitew Island)
  A temporada onde a falsidade reina entre os participantes, raramente falam o que querem falar ou gostam de quem dizem gostar, estão lá pra jogar o ponto final, não assisti a temporada inteira mas até onde assisti me irritei muito com alguns personagens e não achei tão divertida quanto as anteriores, os personagens estão absurdamente estereotipados (em todas as temporadas eles são estereotipados, mas nessa é um exagero e em diversos momentos é forçado), a temporada também é conhecida como Drama Total a Ilha Pahkitew aqui no Brasil.

Drama Total: Só Estrelas (Total Drama All Stars)
Como o nome sugere, eles reuniram os melhores personagens de todas as temporadas (e o Scott, porque de jeito nenhum ele é um bom personagem) para criar essa, e não é nenhuma surpresa que a maioria seja da primeira temporada... ainda não assisti mas me parece mais interessante que a anterior (difícil ser pior).


  Vocês já assistiram algum episódio de Total Drama? Eu sempre gostei da mecânica de Reality Show, inclusive dois dos antigos quadrinhos que eu fazia eram com essa temática, acho que foi isso que me fez gostar tanto do desenho, além do lado cômico dele, é claro...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

[Opinião] A Namorada do Meu Amigo - Graciela Mayrink

Editora: Novo Conceito (Novas Páginas)

N° de Páginas: 334

Citação:
 - O que vocês acham de brincarmos de Verdade ou Consequência?
  Gelei. Brincar não era bem a palavra, já que aquilo era mais um jogo de vida do que uma brincadeira."

Sinopse:
  Quando voltou das férias de verão, Cadu não imaginava a confusão em que a sua vida se transformaria. Era para ser um ano normal, mas ele entrou em uma enrascada e está correndo o risco de perder a amizade do cara do cara mais legal do mundo. O que fazer quando a namorada do seu amigo vira uma obsessão para você?
  Os churrascos da turma da faculdade talvez ajudem a esquecer Juliana, e, se depender do esforço do divertido Caveira, não faltarão garotas gente boa para preencher o coração de Cadu. Mas não adianta forçar... Quem consegue mandar no coração?
  Alice, a irmã de Beto, é só uma das dores de cabeça que Cadu tem que enfrentar. A vida inventa cada cilada.

Opinião:
  Confesso que tinha muito, mas muito medo desse livro, não é segredo que romances não são o meu forte, mas sempre gostei de histórias de amizade, em uma breve conversa que tive com a autora (absurdamente simpática) ela me disse que o livro tratava mais sobre amizade do que sobre romance. Mas ainda assim tive medo.
  Poderia ter colocado ele na minha maratona como autor desconhecido, mas fiquei com medo de ele me travar por ser romance, a verdade é que se eu tivesse colocado esse no lugar do O Ladrão de Raios, minha maratona teria sido bem mas proveitosa e sem dúvida mais prazerosa também.
  Ah, mas sobre o que é a história? Como o próprio título sugere, é a história de um garoto que se apaixona pela namorada do melhor amigo, que, óbvio, é o único que não percebe.
  Nosso protagonista, Carlos Eduardo (Cadu para os íntimos), é um estudante de direito que pretende se especializar em direito criminal (ou seria civil?) e estuda com, adivinha!? Beto! O melhor amigo, que quer se especializar em direito tributário.
  A história consiste em Cadu ora tentando esquecer Juliana, ora tentando conquistá-la e frequentemente se sentindo a pior pessoa do mundo, a autora não facilita a vida do protagonista e frequentemente o põe em situações, para ele, desesperadoras, e para quem está lendo, divertidíssimas. a narrativa é em primeira pessoa pela visão do Cadu, e a forma com que ele narra torna o humor ainda mais presente na história.
  É absolutamente impossível não se identificar com o Cadu, ele é um garoto de 20 anos, tímido, com dificuldade de chegar nas meninas e não possui uma boa coordenação motora para esportes, além do fato de achar que o pai está constantemente pegando no seu pé, não sei se todo o jovem de 20 anos é assim mas a mim pareceu que a autora estava me descrevendo.
  Com certeza o livro agradará todo mundo que aprecia um bom romance, o que não é meu caso, mas ainda assim eu adorei a leitura, e como a autora tinha me falado (e no começo eu achei que fosse apenas uma forma de me convencer a ler) o livro trata, entre outras coisas, o valor da verdadeira amizade, com personagens secundários quase tão encantadores quanto os principais, cada um dando seu show.
  Mega recomendado a todos, mostra o grande potencial dos autores brasileiros.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Lidos em Janeiro de 2015

  Oi meu povo, pra começar quero pedir desculpas pelo meu sumiço... minha internet andou terrível, e eu não conseguia ficar conectado por mais de 5 minutos.
  Hoje vim aqui para mostrar quais foram as minhas leituras de Janeiro (como vocês já devem ter suposto...). Como sempre, se quiser ver minha opinião mais detalhada sobre cada um basta clicar na foto do livro.


  Comecei o ano lendo um livro incrível, À Espera de Um Milagre, do Stephen King, foi muito além do esperado, nunca imaginei que um livro do mestre me emocionaria tanto, o livro tocou fundo e foi muito surpreendente.


  Outro livro muito bacana foi O Diário do Chaves, do Roberto Gómez Bolaños, tá que ele foi melhor pelo que representa do que pelo conteúdo em si, e as anotações da Florinda no final do livro foram de longe a melhor parte do mesmo.

 
  Então terminei um livro que estava lendo a um tempo já Oráculo é um livro muito bom da Super Interessante, mas com o acabamento mais porco possível, se você conseguir lê-lo ser danificar um absurdo a capa dele... olha... nem sei o que te dizer, você terá feito milagre.

  Li mais um livro do Stephen King espanhol, Carlos Ruiz Zafón, dessa vez foi O Palácio da Meia-Noite, um livro inteligente, juntando mistério, terror, drama e até uma pitadinha de comédia pra dar um saborzinho agridoce... realmente incrível.

  E terminei o mês lendo A Namorada do meu Amigo da brasileira (incrivelmente simpática) Graciela Mayrink, por causa da minha internet maravilhosa ainda não consegui escrever sobre ele, mas será a próxima postagem do blog, então é só ficar de olho ;)


  E foi isso meu povo, quatro livros lidos inteiramente e um terminado no mês passado, e vocês? Quais leram no primeiro mês desse ano?


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...