terça-feira, 1 de junho de 2021

[Opinião] Dezenove Minutos - Jodi Picoult #343

Compre pela Amazon

Editora: Verus

N° de Páginas: 546

Quote:
"Sentou-se na varanda e olhou para o céu, para duas estrelas que se encostavam. Não se era invencível quando se era adolescente. Só se era burro."

Sinopse:
  Sterling é uma cidadezinha comum do interior, onde nada acontece – até o dia em que a quietude é abalada por um terrível ato de violência. Peter, um adolescente socialmente isolado que há anos sofre bullying, um dia leva uma arma para a escola e abre fogo contra os colegas, matando dez pessoas. Narrações do passado revelam como as constantes provocações dos outros alunos levaram Peter a se isolar, buscando refúgio em jogos violentos de computador. Josie, filha da juíza responsável pelo caso e que já foi a melhor amiga de Peter, deveria ser a testemunha mais valiosa de acusação, mas não consegue se lembrar do que aconteceu bem diante de seus olhos – ou será que consegue? Conforme o julgamento avança, rupturas entre os adolescentes da escola e a comunidade adulta começam a se revelar, destruindo famílias e as amizades mais íntimas.

Opinião: 
  Entrando com louvor para a lista de favoritos temos essa obra prima!
  Ouvi muita gente falando sobre o quão maravilhoso era esse livro, mas a capa dele sempre me repetiu um pouco, não que duvidasse da habilidade da autora, já que um outro livro dela já figura na minha lista de favoritos há vários anos, mas o fato é que não sabia absolutamente nada sobre a historia desse, e imaginei que tivesse alguma coisa a ver com romance, novamente, por causa da capa.
  Aqui conhecemos Josie e Peter, grandes amigos na infância que se afastam com o passar dos anos, principalmente ao chegarem no Colégio e Josie começar a ser parte da turma popular enquanto Peter continua sendo o garoto esquecido e alvo das provocações e todo tipo de ataque.
  A autora divide o ponto de vista entre diversos personagens, nos permitindo um mergulho profundo na mente de cada um, e mantendo uma voz própria para os diferentes narradores.
  A forma como a autora narra os acontecimentos, tanto externos quanto internos, torna tudo muito fidedigno e nos afeiçoamos facilmente com os personagens, ou queremos socá-los... Peter foi sem duvida o personagem que mais me identifiquei, afinal eu também era o garoto esquisito da escola que queria se encaixar e que as meninas nunca davam bola... além de ter tido a minha cota de provocações e surras.
  Talvez por ter visto tanto de mim no livro eu tenha me envolvido e emocionado tanto, e também me fez erguer as mãos pro céu e agradecer por não ter seguido o mesmo caminho que Peter... claro que a sensação de ser uma bomba que não explodiu é,  ao mesmo tempo, tranquilizante e confusa, por muito tempo não sabia direito qual era meu próximo passo... não digo que a escola foi a pior época da minha vida, mas, como acontece com todos, ela me deixou marcas, alguns tem marcas das que se orgulham e gostam de lembrar, outros tem marcas que machucam e gostariam de esquecer....
  Mas já me desviei demais do assunto do livro. A autora tem uma habilidade de emocionar que vi poucas vezes na vida, talvez você não chore, mas uma respirada profunda e pesada eu garanto que você dará.




terça-feira, 25 de maio de 2021

[Opinião] Cabo do Medo - John D. MacDonald #342

Compre pela Amazon

Editora: Darkside

N° de Páginas: 224

Sinopse:
  Até onde você iria para salvar aqueles que mais ama? Por catorze anos, o condenado Max Cady nutriu um ódio por Sam Bowden, um advogado de sucesso que ostenta uma família margarina e que, ao atuar como seu defensor público, pouco fez para evitar que ele fosse parar atrás das grades. Agora um homem livre, Max retorna à sociedade com sangue nos olhos e enlouquecido por uma sede de vingança pelo tempo e família que perdeu. E decide fazer com que toda a família de Sam pague por seu erro. Ícone do suspense, Cabo do Medo foi inspiração para não apenas uma, mas duas adaptações hollywoodianas de peso. A primeira estreou em 1962, com Gregory Peck e Robert Mitchum no elenco. Já a segunda é o remake de 1991, indicado em duas categorias no Oscar e dirigido pelo mestre Martin Scorsese, com Robert DeNiro no papel do ex-presidiário e Nick Nolte como o advogado. Talvez você se lembre da trilha sonora de perfurar os tímpanos ou dos closes de gelar o sangue. Mas o que fascina tanto em Cabo do Medo para justificar suas adaptações? Só lendo o livro e mergulhando na frieza de suas palavras para descobrir. Mas a Caveira dá uma dica: a trama é um thriller do começo ao fim, feita para ser lida em uma noite chuvosa, difícil de largar e mais ainda de esquecer. John D. MacDonald apresenta um angustiante jogo de gato e rato em que as camadas psicológicas da história se entrelaçam com a trama de vingança. Impulsionando seus personagens até o limite, o autor guia o leitor por uma jornada cheia de sentimentos conturbados de hipocrisia, insanidade e fúria. Princípios são traídos e somos confrontados com o questionamento sobre o limite entre o que a lei é capaz de fazer e aquilo que é correto. Martin Scorsese e Robert De Niro são 100% DarkSide, e essa parceria ainda vai trazer muita histórias para os leitores da Caveira. Cabo do Medo chega em uma edição casca grossa, tatuada e em capa dura, no padrão de qualidade quase psicopata da DarkSide® Books. Um livro que aguenta o tranco de uma viagem até os portões do Inferno... ou um passeio de barco.

Opinião:
  Ouvi falar desse livro, confesso que não muito, mas mesmo assim me interessei pela obra. E lá fui eu lê-lo. 
  Aqui a gente acompanha Sam, um advogado que tem uma carreira de sucesso, uma bela casa e uma linda e feliz família. Mas isso tudo fica ameaçado depois que um criminoso sai da cadeia disposto a se vingar de Sam por considerá-lo culpado pela sua condenação (claro, a culpa não foi do crime)
  O livro vai aumentando a tensão gradativamente, no começo é apenas uma vigilância incômoda que logo vira uma sinfonia constante de ameaças e o perigo parece ficar cada pouco mais perto.
  O autor cria a tensão como vi poucos fazerem até hoje, o livro te mantém interessado e envolvido na história até a última página.
  O final do livro é maravilhoso e nos faz pensar em ate que ponto iríamos para defender quem amamos quando todos os meios legais parecem não surtir efeito nenhum.
  Sei que existe uma adaptação desse livro, inclusive esta até ñ sinopse, mas não o encontrei para assistir. 
  É um livro envolvente e muito bem escrito. É a oitava maravilha do mundo? Não, provavelmente não mudará a vida de ninguém e nem é aquele livro que você vai ficar o resto da vida pensando nele, ele vai te assombrar por uma ou duas semanas e depois você segue a vida apenas com a memória de um livro envolvente. 






sábado, 22 de maio de 2021

[Opinião] Play Dead - Harlan Coben #341

Compre pela Amazon

Editora: Signet

N° de Páginas: 539

Sinopse:
  The worlds of celebrity and sports are brilliantly dissected and turned upside down in the debut thriller from the bestselling author and creator of the hit Netflix drama The Stranger.
  Theirs was a marriage made in tabloid heaven, but no sooner had supermodel Laura Ayars and Celtics star David Baskin said “I do” than tragedy struck. While honeymooning on Australia’s Great Barrier Reef, David went out for a swim—and never returned.
  Now widowed and grieving, Laura has a thousand questions and no answers. Her search for the truth will draw her into a web of lies and deception that stretches back thirty years—while on the court at Boston Garden, a rookie phenom makes his spectacular debut...

Opinião:
  Comecei um projeto de leitura... ele consiste em ler toda a obra do Harlan Coben em ordem cronológica, para isso precisei ir atrás dos primeiros livros do autor que nunca vieram para o Brasil. Vou gravar um vídeo para todos, mas aqui vocês só verão aqueles sobre os livros que ainda não tinham ganhado postagem no blog, ou seja, as leituras inéditas.



terça-feira, 11 de maio de 2021

[Opinião] A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes - Suzanne Collins #340

Compre pela Amazon

Editora: Rocco

N° de Páginas: 576
 
Quote:
"[...] atribuímos inocência a elas. E se mesmo os mais inocentes viram assassinos nos Jogos Vorazes, o que isso representa? Que nossa natureza essencial é violenta."

Sinopse:
  UMA HISTÓRIA DA SÉRIE JOGOS VORAZES. AMBIÇÃO O ALIMENTARÁ. COMPETIÇÃO O CONDUZIRÁ. MAS O PODER TEM O SEU PREÇO.
  É a manhã do dia da colheita que iniciará a décima edição dos Jogos Vorazes. Na Capital, o jovem de dezoito anos Coriolanus Snow se prepara para sua oportunidade de glória como um mentor dos Jogos. A outrora importante casa Snow passa por tempos difíceis e o destino dela depende da pequena chance de Coriolanus ser capaz de encantar, enganar e manipular seus colegas estudantes para conseguir mentorar o tributo vencedor. A sorte não está a favor dele. A ele foi dada a tarefa humilhante de mentorar a garota tributo do Distrito 12, o pior dos piores. Os destinos dos dois estão agora interligados – toda escolha que Coriolanus fizer pode significar sucesso ou fracasso, triunfo ou ruína. Na arena, a batalha será mortal. Fora da arena, Coriolanus começa a se apegar a já condenada garota tributo... e deverá pesar a necessidade de seguir as regras e o desejo de sobreviver custe o que custar.

Opinião:
  Seria precipitado começar dizendo, assim de cara, que esse livro é um desastre?
  Como você provavelmente sabe, aqui temos um dos primeiros Jogos Vorazes,  quando o evento era infinitamente menos popular e glamuroso. Vou poupá-los do enredo porque muita gente já falou desse livro na internet... E pelo que vi, a opinião de que ele é um desastre é um senso comum.
  Meus principais problemas com o livro são que a autora quis criar uma nova trilogia em um livro só, somos apresentados ao mundo, que por mais que seja o mesmo mundo que conhecemos devido a trilogia, é  uma versão bruta e não lapidada desse mundo, o que requer toda uma nova apresentação. Aí temos o evento, o pós evento e a "rebelião". Como eu disse, uma trilogia inteira socada em um livro.
  O problema não é ser um livro grande ou uma história que poderia ser mais desenvolvida e virar uma nova trilogia, graças a Deus que não foi feito isso. O problema é o livro ser gordo... Muita coisa não precisava, e a autora quis definir toda a  mudança, fazer toda a lapidação, nesse livro. Até a música que Katniss canta em A Esperança é escrita aqui, gente e todos os anos que vieram depois? Não aconteceu absolutamente nada?
  Praticamente tudo que tem nos Jogos da trilogia e não tem aqui é inventado e definido de uma vez, por mais que tenha o planejamento e tals, como me sai  tudo junto?
  Outro problema é que a protagonista, por quem o jovem Show se apaixona lembra muito a Katniss, com a diferença é que a Katniss estava mais preocupada em ser deixada em paz do que em ser uma rebelde realmente, enquanto a protagonista aqui, cujo nome nem me lembro mais, é uma rebelde completa... como raios isso não voltou a mente de Show quando finalmente conheceu Katniss? Ainda mais se a dita cuja realmente marcou tanto a sua vida como a autora quer nos convencer no decorrer das intermináveis quinhentas e tantas páginas.
  Dito isso quero deixar registrado o que acho que aconteceu: É inegável o sucesso que a historia original fez. Há um tempo ouvi um burburinho que dizia que a Lionsgate (produtora dos filmes) havia encomendado um novo livro nesse mesmo mundo para a autora... E ela fez na má vontade mesmo... fez qualquer coisa para cumprir contrato e ruim o suficiente para que nunca mais pedissem pra ela voltar a esse mundo cuja a historia ela já contou e deu por encerrada. Admito que é uma pena, mas se a ideia realmente era essa ela pode dormir tranquila pois duvido que irão encomendar algum outro livro.





sábado, 8 de maio de 2021

[Opinião] Depois - Stephen King #339

Compre pela Amazon

Editora: Suma de Letras

N° de Páginas: 192

Quote:
"Pensei em perguntar se ela sentia medo de olhar para a noite e ver as estrelas e saber que elas continuam para toda a eternidade, mas nem me dei a esse trabalho. Só falei que não. A gente se acostuma com as coisas extraordinárias. Aceita como normais. Podemos até tentar não nos acostumar, mas é o que acontece. Tem coisa extraordinária demais no mundo, so isso. Em toda a parte."

Sinopse:
  James Conklin não é uma criança comum: ele vê gente morta. Com que frequência? Jamie não sabe bem; afinal, os mortos em geral se parecem muito com os vivos. Exceto pelo fato de que eles ficam para sempre nas roupas em que morreram, e são incapazes de mentir.
Sua mãe implora para que ele mantenha essa habilidade em segredo, o que não é problema na maior parte do tempo. Pelo menos até Liz Dutton, a companheira de sua mãe e detetive do Departamento de Polícia de Nova York, aparecer na saída da escola e anunciar que precisa de ajuda.
  É assim que Jamie embarca em uma corrida para desvendar o último segredo de um falecido terrorista, e começa a jornada mais assustadora de sua vida.

Opinião:
  Existe uma editora, cujo nome não me recordo, que era especialista em publicar livros de suspense e mistério que fossem curtos o suficiente para que o leitor pudesse concluí-los em apenas uma sentada. Por ser Stephen King, bem por ele ser o Stephen King, eles um Di pediram para que ele escrevesse um blurb para chamar a atenção dos leitores para uma determinada obra. Stephen disse que não faria isso, preferia escrever um romance completo para que eles publicassem... e foi assim que nasceu O Homem do Colorado.
  Mas King não parou por aí, O Homem do Colorado fez certo sucesso, principalmente por ter o nome do autor na capa, mas muita gente o acha um livro um tanto decepcionante, eu entendo, mas não concordo... um tempo depois, ele lançou um novo livro para essa editora... agora sim estou falando dele, de Joyland, odiado por uns e amado por muitos (estou no segundo grupo) é um dos livros mais melancólicos que o autor ja escreveu.
  Um tempo depois King lança... Depois, confesso que é um título estranho, mas ele faz todo sentido.
  Acho que posso dizer que aqui o autor reimagina a história de O Sexto Sentido, pois temos uma criança que consegue falar com os mortos. Apesar do livro ser bastante curto o autor não deixa pontas soltas sobre esse dom do garoto, conforme a história vai andando o autor vai acrescentando as explicações devidas em momentos pertinentes. O fato de os mortos não poderem, não serem capazes mesmo, de mentir é o principal pivô que fará essa história andar, afinal, que melhor testemunha para um assassinato, por exemplo, do que a vítima?
  Enfim, a história abordará diversos temas, desde drogas até relacionamentos entre mãe e filho e outros relacionamentos que não vem ao caso mencionar aqui.
  O autor conduz a história com maestria, criando e aprofundando seus personagens de forma convincente e envolvente, mesmo sem ter a quantidade de páginas com as quais está acostumado. Um destaque, óbvio, para o James, nosso protagonista e narrador. O King é um grande autor de personagens, e se esses personagens forem crianças ele consegue desenvolvê-los como poucos são capazes, e James não foge à regra.
  É um livro bastante envolvente, comparando com os outros dois que citei anteriormente, ele é, sem dúvida, o mais comercial, é uma leitura mais acelerada com um enredo mais sucinto, O Homem do Colorado é uma história bem mais tranquila e Joyland tem um teor mais pesado e melancólico, como já disse, além de alternar bastante na questão de núcleo de personagens e até de objetivo da história.
  Apesar disso ainda prefiro Joyland...
  Mas Depois é uma história que vale cada página lida, fica aqui minha forte recomendação, e depois você volta pra me agradecer, ok?




sábado, 1 de maio de 2021

[Opinião] Vozes de Tchernóbil - Svetlana Aleksiévich #338

Compre pela Amazon

Editora: Companhia das Letras

N° de Páginas: 384

Quote:
"Antigamente, na guerra, como dizia minha mãe, as pessoas se compadeciam bem mais do próximo. Outro dia, encontraram no bosque um cavalo selvagem. Estava morto. Em seguida, uma lebre. Não foram mortos, estavam mortos. Todos ficaram preocupados. Depois encontraram um mendigo morto, mas esse passou despercebido."

Sinopse:
 "Em abril de 1986, uma explosão na usina nuclear de Tchernóbil, na Ucrânia então parte da finada União Soviética , provocou uma catástrofe sem precedentes: uma quantidade imensa de partículas radioativas foi lançada na atmosfera e a cidade de Pripyat teve que ser imediatamente evacuada. Tão grave quanto o acidente foi a postura dos governantes soviéticos, que expunham trabalhadores, cientistas e soldados à morte durante os reparos na usina. Pessoas comuns, que mantinham a fé no grande império comunista, pereciam após poucos dias de serviço. Por meio das vozes dos envolvidos na tragédia, Svetlana constrói este livro arrebatador, que tem a força das melhores reportagens jornalísticas e a potência dos maiores romances literários. Uma obra-prima do nosso tempo."

Opinião:
  O terceiro livro da lista de 30 antes dos 30.




terça-feira, 27 de abril de 2021

[Opinião] 1Q84 - Haruki Murakami #337

Compre pela Amazon

Editora: Alfaguara

N° de Páginas: 1280

Quote:
"No céu haviam duas luas: uma pequena e outra grande. As duas estavam emparelhadas. A lua grande era a mesma que ela estava acostumada a ver. Era quase uma lua cheia de cor amarelada. Mas, ao lado dessa, havia uma outra, bem diferente. Uma lua que ela nunca tinha visto antes. Tinha o formato irregular e sua cor era levemente esverdeada, como se tivesse a superfície coberta por musgos."

Sinopse:
  1Q84 é o livro mais ambicioso de Haruki Murakami, fenômeno da literatura contemporânea. Escrita originalmente em três volumes, a obra esteve no topo das listas de mais vendidos no mundo inteiro e, só no Japão, ultrapassou a marca de 4 milhões de exemplares vendidos.
Tóquio, 1984. Aomame, uma mulher que esconde sua profissão de assassina, é enviada para matar um homem numa missão que mudará drasticamente sua vida. Em paralelo, Tengo, professor de matemática e aspirante a escritor, se envolve em um misterioso projeto de reescrever o romance Crisálida de ar, composto por uma menina de 17 anos. De forma alternada, as duas narrativas convergem, e aos poucos o leitor descobre o verdadeiro elo entre elas.
  Conforme 1Q84 caminha para uma resolução, acompanhamos o incerto destino se fechar ao redor de Aomame e Tengo. Ao mesclar com maestria suspense, fantasia e amor, Murakami alcança nesta trilogia o ápice de sua criatividade literária.

Opinião:
  Este é outro livro da minha lista de 30 antes dos 30, e até o presente momento está anos Luz a frente na minha preferência em comparação a qualquer outro, no momento que escrevo isso estou no nono livro da lista.
 
  Uma coisa eu preciso deixar clara... assim como você nunca mais olhará para uma Rosa da mesma forma depois de ler A Torre Negra, você nunca mais olhará para a lua da mesma forma depois de ler essa maravilha.






terça-feira, 6 de abril de 2021

[Opinião] Elantris - Brandon Sanderson #336

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog

Editora: Leya

N° de Páginas: 576

Sinopse:
  O príncipe Raoden, de Arelon, foi um dos tocados pela maldição que o levou a viver, ou a tentar sobreviver, em meio à loucura e maldições da cidade caída que, desde a maldição, tornara-se um cemitério para os que foram amaldiçoados. Prestes a se casar com Sarene, filha do rei de um país vizinho de Arelon – uma mulher que nem chegou a conhecer pessoalmente, mas que, mesmo com um casamento politicamente forçado, passou a conviver por meio de cartas – o príncipe é dado como morto, uma situação que parece ser irremediável, mas que precisa de explicações. E são esses mesmos esclarecimentos que Sarene procura ao chegar em Arelon e descobrir que tornara-se viúva antes mesmo de conhecer seu marido. E a partir daí começa a entender que terá que tomar conta de tudo sozinha, principalmente de um homem chamado Hrathen, um dos mais poderosos nobres, que está disposto a substituir o rei Iadon, pai de Raoden, para poder converter o país à religião Shu Dereth.
  Elantris, que intercala capítulos sobre Raoden, Sarene e Hrathen, é uma obra cheia de energia e histórias fantásticas que não permite que o leitor pense em outra coisa, senão, na cidade de Elantris e suas maldições.

Opinião:
  Elantris foi o primeiro livro da minha lista de 30 antes dos 30 que peguei para ler, como resolvi fazer esse projeto no período de hiato do Hiattos ele só foi "anunciado" no YouTube, eventualmente os livros vão aparecer aqui, principalmente porque faço uma espécie de diário de leitura dos livros dessa lista, assim sendo, segue abaixo o vídeo sobre o livro em questão. Ah, lembrando que contém spoiler. 

 


  Como não morri de amores pelo livro me desapeguei dele logo depois da leitura, só mais tarde fui descobrir que é uma edição rara :')



sábado, 3 de abril de 2021

[Opinião] O Grande Divórcio - C. S. Lewis #335

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog

Editora: Thomas Nelson Brasil 

N° de Páginas: 155

Quote:
"Não há como prometer nada disso. Nenhuma esfera maior de utilidade, pois lá ninguém precisa de você. Nenhum espaço para os seus talentos, apenas perdão por tê-los pervertido. Nenhuma esfera de investigação, pois eu o levarei para a terra não de perguntas, mas de respostas, e você verá a face de Deus."

Sinopse:
  Em O Grande Divórcio, C. S. Lewis novamente emprega seu formidável talento para fábulas e alegorias. O escritor se encontra no inferno embarcando em um ônibus com destino ao Paraíso. A incrível oportunidade é que, quem quiser ficar no Céu, fica. Este é o ponto de partida para uma meditação extraordinária sobre o bem e o mal, a graça e o julgamento.
  A ideia revolucionária de Lewis é a descoberta de que os portões do Inferno estão trancados por dentro. Nas próprias palavras de Lewis: "Se insistirmos em manter o Inferno (ou mesmo a Terra), não veremos o Céu: se aceitarmos o Céu, não seremos capazes de reter nem mesmo as menores e mais íntimas lembranças do Inferno".

Opinião:

   Este foi um dos poucos livros que gravei um vídeo falando sobre no período de hiato do Hiattos... assim sendo vou deixar que meu eu audiovisual fale sobre a obra. Apesar de achar que sou muito mais sucinto escrevendo do que falando

 

terça-feira, 30 de março de 2021

[Opinião] O Dia em que Selma sonhou com um Ocapi - Mariana Leky #334

Compre pela Amazon e ajude a manter o blog

Editora: Planeta (Edição Especial TAG: Experiências Literárias)

N° de Páginas: 314

Quote:
"As pessoas da cidade inspecionaram seus corações, que - sem estarem acostumados com tanta atenção - dispararam, causando perturbação. Elas lembraram que, antes do infarto, um braço formiga, mas não lembraram qual deles, de modo que ambos os braços das pessoas da cidade começaram a formigar. Elas inspecionaram seus Estados de espírito, que  também sem estarem acostumados a tanta atenção - igualmente se agitaram, causando preocupação." 

Sinopse:
  Todos os habitantes da pequena Westerwald, uma cidadezinha no interior da Alemanha, sabem que Selma tem um dom especial: quando ela sonha com um Ocapi, é sinal de que alguem esta prestes a morrer.
  A questão éque ninguém sabe de quem será a vez, e, nas 24 seguintes ao sonho de Selma, as verdades mais secretas são reveladas, as cartas iniciadas com "sempre" e "nunca" são, enfim, enviadas e todos, cada um a sua maneira, refletem a respeito da sua mortalidade.
  E naquele dia, depois daquele sonho, a vida de Louise, de Martin, do oculista apaixonado, da triste Marlies, de um monge budista bem peculiar e da própria Selma mudarão para sempre.

Opinião:
    Este é o terceiro livro enviado pela TAG Inéditos que leio, e é sem dúvida o meu favorito dentre eles, meu favorito abarcando muito mais do que os enviados pelo clube, inclusive.
  Aqui vamos conhecer um elenco de personagens bastante peculiar, mas se fosse falar detidamente sobre cada um deles o blogger provavelmente não me permitiria manter a postagem inteira em apenas uma página, então vamos apenas dizer que é um elenco cativante, cada um a sua maneira.
  Dentro desse elenco temos Selma, uma senhora com certa idade que, apesar de ter seu nome no título ado livro, não é a nossa protagonista, mas avó dela. Selma tem um estranho dom, toda a vez que ela sonha com um Ocapi alguém da cidade morre em 24h, no comeco da história sabemos que naquela noite Selma sonhou com o animal, mas ela não quer gerar pânico, obviamente a notícia logo se espalha e todos começam a rever suas vidas e preparar o caminho para, caso sejam eles os "escolhidos" tudo seja mais simples para a família e afins.
  A história se passa durante anos, mas não é repetitiva, dentro desses anos acompanhamos apenas duas ocasiões em que os sonhos acontecem. O mais interessante é ver como diferentes pessoas são afetadas de diferentes formas ao se verem de frente com a inevitabilidade da morte, coisa que praticamente todo ser humano costuma ignorar.
  Apesar do tema o livro é leve, aconchegante e até divertido. A autora sabe dosar muito bem o quanto de drama coloca na história para não deixá-la pesada, então a obra é, sendo repetitivo, aconchegante.
  Um convite singelo a desaceleramos e examinar a forma de como estamos levando nossa vida, além de imaginar o que faríamos se soubéssemos (ou não ignorassemos) o fato de que não veremos o nascer de mais uma dia.




Talvez você goste de:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...